Energia solar e eólica: moradores das ilhas de Cururupu utilizam os recursos naturais para o cotidiano e turismo

Nos lugares distantes dos grandes centros urbanos, isolados pelas condições geográficas, o uso do sol e do vento pode ser alternativa para a geração de energia e melhoria na vida de pescadores, moradores em geral, do comércio e outras atividades como o turismo.

É o que acontece em duas ilhas da Reserva Extrativista Marinha (Resex) de Cururupu, composta por 17 unidades insulares no litoral ocidental do Maranhão.

Na ilha de Lençóis, famosa pela lenda do sebastianismo, um projeto da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) utiliza a energia do sol e do vento para iluminar as casas, ligar aparelhos eletrodomésticos e até mesmo para a iluminação das poucas ruas da vila.

Fernando Gonçalves fala sobre melhorias no turismo em Lençóis. Imagens: Marizélia Ribeiro

O proprietário da pousada Recando das Aves, Fernando Gonçalves, explicou que antes do sistema de energia híbrida (solar e eólica) o funcionamento da hospedagem era limitado porque não tinha o conforto pleno para os turistas.

A energia na ilha de Lençóis era originada de um motor a diesel que só funcionava em horário limitado.

Já na comunidade Taboa, localizada na ilha de Mangunça, a geração de energia solar é bem mais artesanal e as instalações foram feitas pelos próprios moradores de uma residência. O casal Nalva e Nildo vendeu um porco e com o dinheiro comprou uma placa solar, de muita utilidade para eles.

Nalva vendeu um porco e comprou a placa solar. Imagens: Marizélia Ribeiro

Taboa, onde moram apenas seis famílias, é desprovida de qualquer sistema de energia. Não tem sequer motor a diesel. Os pescadores têm de ir até a sede do município de Cururupu em uma viagem de 3 horas de barco para comprar gelo e acondicionar os produtos do mar.

Sem acesso fácil ao gelo, a maior parte da produção é colocada ao sol para secar.

A única alternativa dos moradores é a utilização de placas de energia solar adaptadas a outros equipamentos que permitem iluminar a casa e funcionar eletrodomésticos.

Controvérsias

Um dos entraves no uso dos recursos naturais para a geração de energia é a gestão e o interesse empresarial. Na ilha de Lençóis o projeto inicial era da UFMA e a taxa paga pelos moradores, simbólica. Quando passou para a gestão da Cemar, os preços foram para a estratosfera (veja o vídeo).

O crescente uso da energia solar abriu recentemente uma polêmica sobre “taxação do sol”, proposta pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A “taxa do sol” consiste em diminuir os subsídios do consumidor que utiliza um painel fotovoltaico em casa, por exemplo. Na prática, essa medida, se aprovada em definitivo, vai tornar mais cara a energia obtida com o recurso natural do sol.

Produtos de mídia orientam usuários do SUS sobre Tratamento Fora de Domicílio

Alunos dos cursos de Rádio e TV e Jornalismo da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) concluíram o segundo semestre de 2019 com a produção de programas educativos sobre Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Os programas foram elaborados em parceria com a Defensoria Pública do Maranhão, visando orientar e esclarecer os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e a população em geral sobre o TFD – uma política pública do Ministério da Saúde (MS) que garante auxílio financeiro para atendimento médico de pacientes portadores de doenças que não têm tratamento no município de origem.

Embora seja um direito, instituído pela Portaria nº 55 do Ministério da Saúde, o TFD é pouco conhecido e divulgado. Devido à carência de informação, a Defensoria Pública buscou apoio no Curso de Comunicação da UFMA com o objetivo de elaborar conteúdos educativos sobre o Tratamento Fora de Domicílio, em formatos de programas de rádio, televisão e impresso.

Capa da cartilha sobre TFD servirá para orientar a população

Os conteúdos foram preparados pelos alunos ao longo do segundo semestre de 2019 com a orientação dos professores de quatro disciplinas: Direção de Televisão; Jornalismo de Revista; Sonorização e Trilha Sonora; e Roteiro para Rádio, ministradas respectivamente pelos professores Josie Bastos, Bruno Ferreira, Carlos Benalves e Ed Wilson Araújo.

Ao longo das disciplinas os estudantes experimentaram vários gêneros e formatos de mídia sonora e audiovisual como vídeos para TV aberta e redes sociais, podcast, programas educativo-culturais, jingles, dramas, spot e cartilha.

Os programas de rádio podem ser acessados nesses links: TFD 1, TFD 2, TFD 3 e TFD 4.

Os defensores Jean Carlos Nunes e Benito Pereira da Silva Filho estiveram na UFMA e prestaram todas as informações técnicas e jurídicas para subsidiar as produções dos estudantes. Outras fontes consultadas foram usuários do TFD e gestores da Secretaria de Estado da Saúde: a chefa do Departamento de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), Geovana Moreira; e a assessora jurídica Janyr Carvalho.

Sobre o TFD

Se um paciente morador do município “x” precisa fazer tratamento de hemodiálise e essa especialidade não é oferecida na referida cidade, o enfermo pode solicitar o acesso ao recurso assegurado no TFD para fazer o deslocamento até uma unidade de saúde em outra cidade, onde o tratamento é ofertado.

A realocação do paciente é coordenada pelo serviço de Regulação do SUS (Sistema Único de Saúde), a partir de critérios como a disponibilidade de vagas. O recurso consiste em uma ajuda de custo para viabilizar despesas com transporte, hospedagem e alimentação, inclusive do acompanhante, caso necessário.

Defensor Jean Nunes explica o passo a passo do TFD

Para a coordenadora do Curso de Comunicação, Luiziane Saraiva, a parceria com a Defensoria Pública é duplamente interessante. “Pela ótica da responsabilidade social, a academia presta serviço à comunidade, devolvendo parte do investimento que vem sendo feito e, para o grupo de estudantes que participaram do projeto, foi uma oportunidade de aprendizado e aplicação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula”, explicou.

O chefe do Departamento de Comunicação, Carlos Benalves, destacou que parcerias como esta são muitos importantes para a UFMA como um todo pois, além de dar vazão às produções feitas pelos alunos e pelos professores, contribui diretamente com uma questão social específica e reafirma o papel das universidades públicas.

Festival Guarnicê de Cinema faz itinerância em Pinheiro e Alcântara

A Universidade Federal do Maranhão (Ufma), através do Departamento de Assuntos Culturais (Dac/Proexce), realiza exibições gratuitas de filmes e ações formativas nessa terça (22) e quarta-feira (23), na cidade de Pinheiro, e na quinta-feira (24), em Alcântara. A programação integra o projeto de extensão Guarnicê em Itinerância, que será encerrado no mês de novembro/19, com a realização das ações culturais no município de Raposa.

A programação oficial começará na terça-feira (22), no Auditório Central da Ufma Campus Pinheiro/MA, com a exibição da Mostra Guarnicêzinho, das 9h às 10h. Em seguida terá a Mostra Copa Studio 10 anos, das 10h às 11h. Das 14h30 às 15h30 haverá a solenidade oficial de abertura com exibição às 15h30 do filme ‘Selvagem’, de Diego da Costa, melhor longa nacional do 42º Festival Guarnicê de Cinema. A programação está no site http://www.cultura.ufma.br/index.php/festival-guarnice-de-cinema-em-itinerancia/ e nos folders e cartazes distribuídos nos locais de exibição.

Inclusão cultural

Nesse projeto, a Ufma levará a experiência do cinema a locais onde a população não possui acesso à arte cinematográfica. Realizará ainda ações formativas que colocam crianças e jovens em contato com técnicas básicas de produção de filmes. “O Guarnicê em Itinerância ampliará as oportunidades do encontro entre o cinema e o público, fazendo circular a obra audiovisual por meio de mostras itinerantes em comunidades do interior do Estado”, disse a diretora do Dac e coordenadora do projeto, Fernanda Santos Pinheiro.

A iniciativa tem patrocínio do Centro Elétrico e Governo do Maranhão (Lei Estadual de Incentivo à Cultura). “Por meio do Guarnicê em Itinerância, crianças e jovens das comunidades beneficiadas despertarão ainda o interesse nos processos audiovisuais, estimulando a formação de plateia e o interesse pela linguagem artística”, explica a diretora. “Esse projeto é uma extensão do nosso Festival Guarnicê de Cinema, que terá sua 43ª edição em 2020. Oportuniza ainda espaços de exibição em locais onde não há salas de cinema. Levamos a arte e a cultura do cinema para onde o povo está”, finalizou Fernanda Santos Pinheiro.

Acervo do Guarnicê

O público alvo do Guarnicê em Itinerância é heterogêneo, focando a presença de alunos do ensino superior, da educação básica e a comunidade em geral. O Festival Guarnicê de Cinema é uma referência como polo difusor da arte cinematográfica e possui um dos mais ricos acervos fílmicos do país. Quarto festival mais antigo do Brasil e o segundo mais antigo promovido por universidades, exibe há 42 anos o melhor da produção do cinema autoral brasileiro, sendo janela das mais importantes no cenário dos festivais nacionais.

Em Pinheiro, o Guarnicê em Itinerância tem apoio da Fundação Sousândrade, Universidade FM, Gráfica Universitária, Ufma Campus Pinheiro (Centros de Ciências Humanas Naturais, Saúde e Tecnologia), Prefeitura de Pinheiro, CDL/Câmara de  Dirigentes Lojistas de Pinheiro, Uema Campus Pinheiro e Ifma Campus Pinheiro. Em Alcântara, apoiam o projeto a Fundação Sousândrade, Universidade FM, Gráfica Universitária e ainda a Prefeitura de Alcântara (secretarias municipais de Educação e de Cultura e Turismo), Ifma Campus Alcântara e Paróquia de São Matias.

Apruma em mobilização: Semana do Docente terá música, cinema e assembleia

Fonte: Site da Apruma

Na próxima terça-feira, 15 de Outubro, a Apruma (Associação dos Professores da UFMA, seção sindical do Andes-SN) apresenta, como parte da programação da Semana do Docente, o espetáculo “Milhões de Uns“, do cantor maranhense Joãozinho Ribeiro.

A apresentação, com as participações especiais de Fátima Passarinho e Josias Sobrinho, acontece às 17h30 no Auditório Principal do Centro Pedagógico Paulo Freire, no Campus do Bacanga.

Em tempos de ataques à democracia, a atividade realizada pela Apruma marca também os 40 Anos da Anistia e da Greve da Meia-Passagem, mobilizações históricas das quais o artista-militante foi testemunha e partícipe, fazendo da sua obra também um auto da liberdade de expressão e da necessidade de resistência.

A Apruma honrosamente chama a categoria a celebrar seu dia, em tempos também de duros ataques à Educação Pública, marcando a Nossa Semana com arte, cultura, vida e luta, elementos que estão interligados e fazem parte de nossa História!

Filme e Música

No dia seguinte, 16 de outubro, ainda como parte das comemorações do Dia do/a Professor/a, tem o lançamento do documentário do cineasta e professor Murilo Santos sobre a trajetória da Apruma, intitulado “40 Anos de Lutas e Conquistas“, com a participação de diversos docentes que ajudaram a construir essa história ao longo destas décadas.

Nesse dia (16), a programação começa às 18h, no Auditório Central da UFMA, também no Campus do Bacanga.

Além do filme, haverá exposição fotográfica, música ao vivo com a cantora Tássia Campos e coquetel de confraternização.

Luta

No dia seguinte às comemorações, todos e todas à Assembleia Geral da Apruma: dia 17, quinta-feira, às 17h, no Auditório Ribamar Carvalho, na Área de Vivência do Campos do Bacanga.

Na ocasião, será debatido o último Congresso da CSP-Conlutas e suas implicações, diante da conjuntura, para o Movimento Docente.

Semana do Docente – Agende-se:

Dia 15 – Show “Milhões de Uns”, de Joãozinho Ribeiro, com participações especiais de Fátima Passarinho e Josias Sobrinho – 17h30, Auditório Principal do Paulo Freire

Dia 16 – Lançamento do documentário “40 Anos de Lutas & Conquistas”, de Murilo Santos, com participação de diversas gerações de docentes da UFMA – 18h, Auditório Central, também no Campus do Bacanga

Dia 17 – Assembleia Geral – 17h, Auditório Ribamar Carvalho, Área de Vivência – Campus do Bacanga.

Nesta quinta-feira: Apruma realiza assembleia geral

EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 08/2019

Assembleia Geral Extraordinária

A Diretoria da APRUMA – Seção Sindical do ANDES-SN, nos termos do artigo 13 de seu Regimento, convoca os sindicalizados para Assembleia Geral Extraordinária, no dia 10 de outubro de 2019 (quinta-feira), com primeira chamada às 17h, e segunda para às 17h30, no Auditório Ribamar Carvalho – Campus Bacanga – UFMA.

Pauta:

1-    Informes;

2-    Discussão sobre o IV Congresso da CSP Conlutas e suas repercussões para o Movimento Docente.

Sirliane de Souza Paiva

Presidente/APRUMA

Gestão 2018-2020

Escritora feminista Silvia Federici participa de debate e lança livro em São Luís

O Fórum Maranhense de Mulheres e várias entidades do meio acadêmico e político realizam duas atividades com a escritora e ativista Silvia Federici, em São Luís, dias 10 e 11 de outubro, quando haverá um debate e o lançamento do livro “O ponto zero da revolução”, no qual a autora reconstrói os caminhos do feminismo e sua luta anticapitalista e anticolonialista.

O debate, dia 10 (quinta-feira), às 17h, será realizado no auditório do curso de História da UEMA, na rua da Estrela, no Centro Histórico.

Já o lançamento do livro, dia 11 (sexta-feira), às 18h30, acontecerá no Solar Cultural da Terra Maria Firmina dos Reis/MST, localizado na rua Rio Branco, 420, Centro, próximo à praça Deodoro.

A produção acadêmica de Silvia Federici está imbricada com sua ação feminista, cujos passos vêm de longe. Suas inquietações transcritas no livro “Calibã e a bruxa” demonstram como os saberes das mulheres ignorados pela ciência foram apropriados pelo capitalismo e de que forma esse processo contribuiu para a exclusão social e política das mulheres e consequentemente o empobrecimento da ciência.

Quem é Silvia Federici?

É uma escritora, professora e ativista feminista italo-estadounidense. Nasceu em Parma/Itália há 77 anos. Seus trabalhos são dedicados a pensar as mulheres como sujeito político. Tem dado uma ênfase especial à discussão sobre o trabalho reprodutivo e de como sua gratuidade contribui para a exploração das mulheres, sendo, portanto, a base que sustenta o capitalismo.

“O ponto zero da revolução: trabalho doméstico, reprodução e luta feminista”, o livro que será lançado no dia 11 de outubro, tem um significado especial para todas as feministas, em virtude da abordagem feita pela autora a partir de sua experiência pessoal ao longo da luta feminista no Século XX. Silvia recupera pontos importantes dessa jornada desde seus primórdios para recompor de forma mais completa os últimos 50 anos do feminismo no mundo.

“As contribuições de Silvia Federici, que nos honra com sua presença nestes dois dias em São Luís, fortalecem a luta feminista no mundo, e em especial no Maranhão, ampliam o diálogo com os diversos setores da sociedade e do mundo acadêmico, desconstruindo a visão patriarcal de concepção de mundo onde as mulheres foram excluídas e alijadas dos processos de produção”, explicou a organização dos eventos de recepção à escritora.

Prazo prorrogado! IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia recebe resumos até 10 de fevereiro

Foi prorrogado para o dia 10 de fevereiro o prazo de envio de resumos expandidos ao quarto Simpósio será realizada em São Luís

A Comissão organizadora do IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia, que acontecerá de 3 a 5 de abril, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), prorrogou o prazo para submissão de trabalhos (resumos expandidos). Até o dia 10 de fevereiro de 2019, os interessados poderão enviar trabalhos para a quarta edição do evento, que selecionará resultados finais ou parciais de projetos de pesquisa em nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, assim como relatos de experiência de pesquisas artísticas e midiáticas.

O Simpósio é promovido pelo Núcleo de Pesquisa e Produção de Imagem (Nuppi) com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) e traz como tema central “Imagina(R)Existências”. Através dessa temática busca-se promover o debate sobre as resistências, imagens e iniciativas que com seu acontecer reafirmam a variabilidade de existências possíveis e que acabam muitas vezes por se contrapor às visibilidades e narrativas predominantes nos meios midiáticos e artísticos.

Compõem a programação do evento pessoas de referências do campo da comunicação social e das artes. Dentre eles já estão confirmadas: Rosana Paulino, Miro Spinelli, Rosane Borges, Cíntia Guedes, Genilson Guajajara e Antônio Bispo. A conferência de abertura será ministrada pela artista e doutora Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), Rosana Paulino. A obra de Paulino caracteriza-se por abordar temáticas ligadas a questões sociais, étnicas e de gênero e tem encontrado destaque e repercussão no cenário artístico nacional. Seus trabalhos têm como foco principal a posição da mulher negra na sociedade brasileira e os diversos tipos de violência sofridos por esta população decorrente do racismo e das marcas deixadas pela escravidão.

Durante o Simpósio, além de palestras, mesas redondas, oficinas, exibição de filmes, atividades culturais e artísticas, também serão realizadas as reuniões dos Grupos de Trabalho (GTs) do evento. Os Gts, coordenados por pesquisadoras e pesquisadores de diferentes instituições do Brasil, configuram-se como um espaço favorável à troca e reflexão sobre diversas temáticas emergentes na intersecção entre arte e mídia.

A submissão de trabalhos pode ser feita no formato de resumo expandido, de 2 a 5 páginas, que deve ser enviado para o e-mail coletivonuppi@gmail.com até 10 de fevereiro. Poderão ser submetidos resultados finais ou parciais de projetos de pesquisa em nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, assim como relatos de experiência de pesquisas artísticas e midiáticas. Outras informações sobre o processo de submissão de trabalhos acessem http://simposioartemidia.ufma.br . Confira abaixo a lista dos Grupos de Trabalho e suas ementas:

GT 1 – Estética, mídia e cultura – Metodologias de pesquisas em mediações culturais. Arte e cultura popular. Folkcomunicação. Artivismo e ação cultural. Cultura das mídias. Memória e patrimônio cultural.

GT 2 – Arte contemporânea e o contemporâneo das artes – Estados e Estudos Contemporâneos das Artes. Artes Integradas e Sociedade Contemporânea Fragmentada. História Social da Arte. Ensino das artes e da cultura visual. Pensamentos emergentes sobre processos criativos e artísticos como existência e resistência.

GT 3 – Fotografia, cinema e vídeo – Tecnologias, linguagens e estéticas fotográficas e audiovisuais. Narrativas: hibridismo e transmidiação. Visualidades e visibilidades contemporâneas. Videoarte. Fotografia artística. Usos sociais e cotidiano das imagens técnicas. Suportes e materialidades.

GT 4 – Redes Sociais, Mídias Digitais e Economia das imagens – Economia e Política das imagens. Midiativismo. Cultura Visual e partilha em rede. Arte, design e comunicação visual. Curadoria digital. Arquivos e apropriações.

GT 5 – Corpo, arte e mídia – Teatro e os desafios da narrativa. Performance: corpo, memórias e tecnologias. Corpo instalação. Intervenções urbanas: o corpo e a cidade. O corpo e os invisíveis. Corpo e conflito. Corpo e imagem. Corpo e gênero. Corpo e racialidade.

GT 6 – Palavra, imagem e som – Música e mídia sonora. Rádio, podcast, streaming e compartilhamento. Trilha sonora, som ambiente, sonoplastia e ruído no audiovisual. Audiodescrição. Arte Sonora. Literaturas expandidas. Poesia visual e sonora. Linguagens poéticas e mídias. Palavra e performance. Literaturas e artes visuais.

Calendário dos GTs

Envio de resumos – 10 de fevereiro

Aceite dos resumos – 25 de fevereiro

Serviço

O que

IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia

Quando

03, 04, 05 de abril de 2019

Onde

Universidade Federal do Maranhão e Instituto Federal do Maranhão

Conferência vai debater direitos humanos e diversidade

O Maranhão recebe a XIII edição da Conferência Brasileira de Comunicação Cidadã de 21 a 23 de novembro, na capital São Luís. Com o tema central Comunicação, Direitos Humanos e Diversidade, o evento é uma realização da Universidade Federal do Maranhão, em parceria com a Universidade Ceuma e a Faculdade Estácio – São Luís.

A conferência conta com mesas, grupos de estudos, painéis discutindo temáticas relacionadas ao tema central. Assim, podem participar estudantes, professores, profissionais, pesquisadores e comunidade em geral que tenha interesse no tema. A proposta do evento é também promover a participação de profissionais e ativistas de fora do universo acadêmico, trazendo olhares diversos que enriqueçam o debate.

Veja mais informações e a programação completa aqui

UFMA repudia postagens preconceituosas de estudante

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) publicou uma nota repudiando a atitude do estudante Marcos Silveira, do curso de Química Industrial, que postou vários textos no seu perfil em uma rede social, sugerindo violência contra homossexuais e delação de militantes de esquerda.

Em um dos textos, na imagem acima, ele faz alusão a violência contra gays.

O tom agressivo das postagens ganhou repercussão e foi reprovado por vários estudantes. Na nota, a UFMA informa que vai apurar os fatos.

Veja abaixo a nota, que pode ser acessada neste link:

SÃO LUÍS – Na manhã do dia 29 de outubro de 2018, a Universidade Federal do Maranhão tomou conhecimento de manifestações preconceituosas, investidas de intimidação, ódio e defesa de eliminação de minorias por parte de um estudante da Instituição em sua rede social. A UFMA, alicerçada na Resolução Normativa nº 238-CONSUN, de 1º de julho de 2015, promoverá a apuração dos fatos, considerando a gravidade das declarações.

A UFMA reforça, fiel à sua história de 52 anos, sua incondicional defesa da democracia, acolhendo e respeitando os diferentes pontos de vista, mas se posicionando em colisão frontal com a agressão, seja ela física, simbólica ― verbal ou não verbal.

Na democracia, todo cidadão tem o direito à liberdade de expressão, manifestação e opinião, sem perder de vista que a publicização de certas opiniões que ferem a dignidade humana é incompatível com o Estado Democrático de Direito.

Pela urgente necessidade de um país melhor, a UFMA reitera seu repúdio, contundentemente, às postagens que fomentem o ódio, o solapamento do outro e o desrespeito aos diferentes segmentos sociais.

Consun da UFMA aprova carta em defesa da democracia e da universidade pública

Fonte: Portal UFMA

SÃO LUÍS – O Conselho Universitário (Consun) realizou, na manhã desta terça, 23, uma reunião extraordinária para aprovar a carta em defesa do pleno funcionamento das universidades públicas e da democracia brasileira. A reunião ocorreu no Auditório Sérgio Ferretti, localizado no prédio CEB Velho da Cidade Universitária Dom Delgado.

O documento, que teve a conselheira Rosilda Silva Dias como relatora, aborda a posição da Universidade sobre o atual momento histórico que a sociedade brasileira está vivendo, reiterando a crença no papel da instituição para a construção de um país justo e democrático e a preocupação sobre a divulgação de posicionamentos que promovem a discriminação de segmentos sociais minoritários. A Universidade também reforça no documento que é um pilar do desenvolvimento científico e tecnológico, formadora de vários acadêmicos e profissionais, e responsável por serviços que assistem a população em diversas áreas sociais, como o Hospital Universitário, por exemplo.

O documento afirma o olhar da Universidade para o futuro sem esquecer o passado, prevenindo a repetição de erros cometidos, anteriormente, e servindo de orientação positiva para gerações futuras.

“Precisamos acreditar que é possível transformar o nosso país e que não podemos nos intimidar diante das dificuldades. Já vivemos momentos terríveis no país e não queremos voltar a viver isso novamente”, disse a reitora Nair Portela.

Confira o texto abaixo na íntegra

CARTA EM DEFESA DA DEMOCRACIA, DA EDUCAÇÃO E DA UNIVERSIDADE PÚBLICA

A Universidade Federal do Maranhão considera indispensável manifestar-se pela defesa incondicional e permanente da universidade pública, gratuita, autônoma, laica, pluralista, de qualidade, socialmente referenciada, de gestão democrática, centrada nos órgãos deliberativos e conectada às demandas da sociedade.

O momento crucial que vivemos, de escolha do dirigente máximo da nação, ocorre com a livre expressão de opiniões e processo eleitoral democrático, e só assim acontece porque a sociedade brasileira lutou com afinco para o fim da ditadura, das restrições aos direitos e dos excessos cometidos durante esse período, sofrendo ao ver serem sacrificados ou expurgados jovens idealistas e exilados muitos de seus intelectuais mais brilhantes.

Pilar do desenvolvimento científico e tecnológico, responsável pela formação acadêmica e profissional de várias gerações de profissionais de diferentes áreas, responsável por uma rede de equipamentos públicos e serviços que assistem à população nas mais diversas áreas, incluindo hospitais universitários de alta complexidade, vinculados ao Sistema Único da Saúde, a universidade volta seu olhar no futuro, mas não pode permitir-se esquecer o passado naquilo que possa servir de orientação positiva bem como na prevenção contra os erros já cometidos.

Nestes tempos difíceis de polarização política e de surpreendentes e assustadoras posições de defesa do retrocesso ao período doloroso da ditadura, da tortura, da exclusão, da discriminação, do preconceito, a UFMA não pode deixar de reafirmar sua inabalável crença na importância do seu papel para a construção de um país justo, includente e democrático e no seu compromisso na defesa do exercício do estado democrático de direito, ancorado na liberdade de opinião e de expressão, bem como no respeito aos direitos humanos.

Preocupa-nos principalmente ver divulgada, com apreço, proposta autoritária e retrógrada e posicionamentos que incentivam a discriminação de segmentos sociais minoritários, tradicionalmente oprimidos, e a defesa e incentivo à violência moral, física ou simbólica como forma de solucionar conflitos ou impor uma visão de mundo.

A UFMA defenderá sempre o respeito à diferença e à livre orientação sexual e de gênero, aos direitos das classes trabalhadoras, das mulheres, dos negros, dos

quilombolas e dos indígenas e refutará com veemência as ameaças à garantia constitucional de direito a uma educação pública, gratuita e de qualidade, predominantemente presencial, e à autonomia da universidade pública indispensável para a construção de um pensar aberto, polissêmico e polifônico, propiciando uma forma segura e abrangente de ascensão social, dedicando-se à produção do conhecimento indispensável ao desenvolvimento do país e consolidando-se como o maior patrimônio do povo brasileiro.

A missão da UFMA ancora-se no compromisso com a formação cidadã, humana e profissional de qualidade e compreende não só o tripé ensino, pesquisa e extensão, mas ainda o desenvolvimento da ciência, da inovação e da tecnologia, em todas as áreas do conhecimento, pautando-se no senso crítico, humanista e sensível às alteridades que compõem o complexo tecido social contemporâneo, reforçando problemáticas mais abrangentes, ligadas à preservação dos direitos sociais, à convivência social democrática, às diversidades e ao respeito às diferentes subjetividades.

A comunidade acadêmica, consciente do atual momento histórico que vivemos e segura de suas responsabilidades sociais, ambientais e humanas, reafirma seu engajamento para o fortalecimento dos princípios e marcos civilizatórios da sociedade brasileira e para denunciar e combater os riscos de propostas que não reforcem a democracia, a liberdade de opinião e o estado democrático de direito.

Aprovada na 106ª Sessão Extraordinária do Conselho Universitário/CONSUN, realizada no dia 23.10.2018, no Auditório Sérgio Ferretti, na Cidade Universitária “Dom Delgado”, Bacanga.

Imagem: reprodução deste site