Maranhão inicia retomada gradual do turismo doméstico, mas setor deve seguir “rígido protocolo sanitário”, diz secretário

O setor turístico do Estado aos poucos vem retomando as atividades no Maranhão, mas o retorno deve atender a um “rígido protocolo sanitário de biossegurança”, como explica o secretário de Estado do Turismo (Sectur), Catulé Júnior. 

“Aos poucos, os principais destinos turísticos do Maranhão vêm abrindo as suas portas para os visitantes e esta retomada está sendo feita de forma gradual. Estamos sensibilizando todo o trade turístico sobre a importância de mantermos firmes a vigilância sobre o cumprimento de todos os protocolos e normas sanitárias”, disse o secretário.  

Apesar da reabertura de pontos turísticos que atraem visitantes de vários países, Catulé Júnior frisa que a ênfase nesse momento é o mercado interno. 

“Dentro da nossa política de promoção turística priorizaremos o turismo doméstico, dentro do nosso próprio Estado. Faço aqui um convite a todos os maranhenses, para que façamos de forma responsável, gradativa e gradual uma visita pelos principais destinos turísticos do Maranhão, nossa terra de encantos”, ressalta Catulé. 

Desde o dia 1º, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, destino procurado por turistas do mundo inteiro e de gestão federal, foi reaberto para visitação. Os principais atrativos turísticos de cidades como Tutóia, Fortaleza dos Nogueiras e Riachão, assim como o Centro de Comercialização de Produtos Artesanais do Maranhão (Ceprama), em São Luís, também estão abertos.

Lagoas formadas por água das chuvas nos Lençóis Maranhenses

Nesta etapa, o cuidado com a higienização tem que ser redobrado e toda cadeia produtiva envolvida deve adotar métodos que primem pela saúde dos turistas e trabalhadores do setor. 

“É importante salientar que todos eles [reabrem] sob um rígido protocolo sanitário de biossegurança, para que assim nossos turistas e visitantes se sintam mais seguros”, alertou o secretário Catulé Júnior. 

Aplicativo para visitar a Chapada das Mesas com segurança

Considerado um paraíso do ecoturismo, por mesclar rios, cachoeiras e uma exuberante paisagem do cerrado, o Parque Nacional da Chapada das Mesas também começa a receber visitantes.  

Além de mobilizar os atores do turismo para a elaboração dos protocolos sanitários, a Setur apoiou a criação de um aplicativo que indica aos turistas quais prestadores de serviço possuem o “Selo Turismo Responsável”, programa lançado pelo Ministério do Turismo (MTur) que estabelece boas práticas de higienização para cada segmento do setor. Segundo o MTur, o selo é “um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da Covid-19”. 

Com o lema ‘Turismo responsável, limpo e seguro’, a ferramenta virtual permite que o usuário saiba, por exemplo, quais meios de hospedagem, agências de turismo ou restaurantes da Chapada das Mesas já estão adaptados às novas regras sanitárias. 

O app também oferece acesso à integra dos protocolos de biossegurança que foram adotados como referências para o retorno seguro da atividade turística no Parque.

“A Setur tem trabalhado para que esses protocolos possam ser implementados e para que a gente possa ter essa retomada da melhor maneira possível, de forma mais segura. Os atores do Turismo de cada município são peças fundamentais na execução desses protocolos”, avalia o superintendente de Turismo da Chapada das Mesas, Beto Kelnner. 

O recurso online conta, ainda, com cartilhas educativas e vídeos que apresentam as belezas da Chapada das Mesas. O aplicativo pode ser acessado de qualquer navegador web, no celular ou no computador, por meio do endereço eletrônico chapadadasmesas.glideapp.io/.

Imagens: Agência de Notícias / Governo do Maranhão
Foto destacada: Poço Azul, na Chapada das Meses, na região sul do Maranhão.

Milhares de peixes mortos encalham na praia de Santo Amaro, nos Lençóis Maranhenses

Uma imensa faixa de areia na orla de Santo Amaro vem registrando desde quarta-feira (10) uma quantidade expressiva de peixes mortos. Segundo a narração do vídeo enviado ao blog, a “mancha” de peixes em estado de decomposição ao longo da praia alcançaria cerca de 10 Km.

Narrador faz referência também aos peixes mortos dentro d’água
Ao fundo, dois barcos fazem arrastão no mar dos Lençóis Maranhenses

Ambientalistas de Santo Amaro informaram que a mortandade dos peixes é provocada pela pesca de arrastão, modalidade que prioriza peixes e camarão de médio e grande porte, eliminando as espécies menores, denominadas “arraia miúda”. Os agentes ambientais também identificaram uma tartaruga marinha morta, na praia da Travosa, próximo à Barra da Baleia.

Localizada a 235 Km de São Luís, na área do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (PNLM), Santo Amaro é uma das cidades mais procuradas pelos turistas devido ao conjunto de dunas, lagoas e praias que se estendem ao longo de mais três municípios integrantes do PNLM: Barreirinhas, Paulino Neves e Primeira Cruz.

Tartaruga marinha com a nadadeira mutilada foi encontrada morta na Travosa

Contatado pelo blog, o servidor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e chefe do PNLM, Lucas Garcez, confirmou a versão dos ambientalistas. “É a pescaria de arrasto do camarão. Barcos não autorizados fazem a pescaria indevida e esse tipo é extremamente agressiva pois provavelmente está sendo feita em faixa não permitida”, esclareceu.

O chefe do PNLM acrescentou que a fiscalização ocorre em parceria com a Capitania dos Portos para que o processo de autuação das embarcações seja realizado. “Fizemos os registros e vamos repassar à Capitania dos Portos para identificar as embarcações. Então serão autuadas e se forem reincidentes terão a embarcação apreendida”, detalhou Garcez.

Na mesma região onde os peixes mortos apareceram houve o registro de manchas de óleo e dos misteriosos “caixotes emborrachados”, em outubro de 2019, à época identificados por ambientalistas do grupo Amigos do Parque, sediados em Santo Amaro. Reveja aqui