IX Ciclo ObEEC terá palestra e lançamento de livros

Atividades acontecem hoje (sexta-feira, 11), às 16h, via Google Meet

O IX Ciclo de Debates realizado pelo Observatório de Experiências Expandidas em Comunicação (ObEEC), da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), tem como tema “Outras epistemologias” e receberá a professora doutora Cynthia Carvalho Martins para a conversa.

Cynthia Martins é antropóloga e poeta, além de professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Maranhão e do Programa de Pós-Graduação em Cartografia Social e Política do Maranhão (UEMA). É, ainda, conselheira da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

Após o Ciclo de Debates ObEEC haverá o lançamento de três obras, editadas pela editora da Universidade Federal do Maranhão (EdUFMA): o livro “Experiências Expandidas em Comunicação, Volume II”, organizado pela professora doutora Letícia Cardoso e pelo professor doutor Márcio Monteiro, que reúne trabalhos dos pesquisadores do ObEEC com parceiros de outras instituições; o livro “Vozes do Anjos: do alto-falante à Bacanga FM”, organizado pelo professor doutor Ed Wilson Araújo e pelo mestrando em Comunicação (UFMA) Saylon Sousa; e o livro “Trabalho escravo, políticas públicas e práticas comunicativas no Maranhão contemporâneo”, organizado pela professora doutora Flávia de Almeida Moura e pelo doutor Marcelo Sampaio Carneiro.

O ObEEC é formado pelos(as) docentes pesquisadores do Curso de Comunicação da UFMA: Ed Wilson Araújo, Flavia Moura, Larissa Leda, Letícia Cardoso, Marcio Monteiro, Melissa Moreira, Patrícia Azambuja e Ramon Bezerra.

SERVIÇO

Palestra e lançamento de livros no IX Ciclo do Observatório de Experiências Expandidas em Comunicação (ObEEC)

Quando: 11 de dezembro (sexta-feira), às 16h, via Google Meet: meet.google.com/udy-geyj-mht

Aos inscritos será fornecido certificado de participação.

Inscrição pelo SIGE Eventos: https://sigeventos.ufma.br/eventos/public/evento/CDOOE

Lançamento: livro “Rádios comunitárias no Brasil” já está disponível

Começou a circular essa semana uma das novas publicações do Grupo de Pesquisa (GP) Rádio e Midia Sonora, vinculado à Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação).

Gestado em 2018, o livro “Rádios Comunitárias no Brasil: resistências, lutas e desafios”, publicado agora pela editora Apris ( https://www.editoraappris.com.br/produto/4534-rdios-comunitrias-no-brasil-resistncias-lutas-e-desafios), pode ser adquirido com desconto do cupom em anexo, tanto no formato digital como impresso.

A ideia da publicação surgiu nas discussões e planejamento do GP Rádio e Mídia Sonora, durante o Congresso da Intercom, em 2018, quando a Lei de Radiodifusão Comunitária nº 9.612/98 completava 20 anos.

Um dos textos da obra, com o título “Do alto-falante à rádio comunitária Bacanga FM: comunicação e organização popular no bairro Anjo da Guarda, em São Luís-MA”, tem autoria do professor do curso de Rádio e TV da UFMA, Ed Wilson Ferreira Araújo, do mestrando em Comunicação (UFMA) Jefferson Saylon Lima de Sousa, e dos radialistas Robson Silva Correa, Rodrigo Augusto Mendonça Araujo, Rodrigo Anchieta Barbosa.

O comitê editorial selecionou oito textos que retratam a história das rádios comunitárias, a reaproximação com os movimentos sociais, as falsas rádios comunitárias, a cidadania e autonomia nas emissoras, as culturas populares e massivas na programação e as re-existências das rádios em alto-falantes.

A pesquisadora Denise Cogo prefacia a obra. “Esta coletânea representa um registro histórico da luta pela democratização da comunicação que, nas décadas de 1990 e 2000, estava centralizada na ‘reforma agrária do ar’ e atualmente se expande para as redes digitais, inclusive com as resistências destas estações nos novos ambientes”, pontuou o coordenador do livro, professor Ismar Capistrano Costa Filho, da Universidade Federal do Ceará.

VEJA A LISTA DE ARTIGOS DO LIVRO

Sobre comunas comunicacionais radiofônicas: uma análise crítica do processo histórico de formulação da Lei n. 9.612 (João Paulo Malerba)

Rádios Comunitárias: a retomada do ideal comunitário no processo do fortalecimento da organização popular (Márcia Vidal Nunes)

Cidadania Comunicativa e Autonomia Comunicativa: lutas pelo direito à comunicação nas rádios comunitárias (Ismar Capistrano Costa Filho)

Do alto-falante à rádio comunitária Bacanga FM: comunicação e organização popular no bairro Anjo da Guarda, em São Luís-MA (Ed Wilson Ferreira Araújo, Jefferson Saylon Lima de Sousa, Robson Silva Correa, Rodrigo Augusto Mendoça Araujo, Rodrigo Anchieta Barbosa)

Os receptores das rádios comunitárias em Fortaleza (Catarina Tereza Farias de Oliveira)

Rádios comunitárias só no nome: um panorama das rádios comunitárias no Agreste de Pernambuco (Giovana Borges Mesquita, Sheila Borges de Oliveira, Diego Gouveia e Rodrigo Barbosa)

Salada Sonora: o que dizem as paisagens sonoras e a rádio de poste sobre viver em comunidade em um Bairro Popular de Salvador (Andrea Meyer Medrado)

Rádio GAC: uma análise da participação dos moradores da Quadra no processo de criação da rádio poste (Milena de Castro Ribeiro)

MundiOca: CD completo de Beto Ehongue já está em circulação

Depois do lançamento em julho/2018 do EP As Armas MIDI do Século XXI, no Centro Histórico de São Luis, Beto Ehongue agora disponibiliza a sequência desse trabalho completo, o MundiOca, nas plataforma digitais para o grande público. O trabalho conta com 9 faixas. Foi produzido pelo paraense Dub Black, junto ao maranhense Sandoval Filho, no BlackRoom Studio, com exceção da nona faixa, bonus track, que é um produção quase caseira produzida em cima da hora e que retrata um pouco do momento político atual e as esperanças.

O MundiOca de Beto Ehongue traz as participações de Luciana Pinheiro, Dicy, Célia Sampaio e as atuações instrumentistas de João Simas, Dub Black e Sandoval Filho. Os dois últimos assinam a produção, como já mencionado.

Ao apresentar o MundiOca, Beto Ehongue mostra mais uma vez sua versatilidade e inquietação trazendo um trabalho autoral que une ritmos análogos ao reggae, basslines Caribbean-dub, guitarras de inspiração rock e sons tradicionais recolhidos dos terreiros afro-religiosos, dos barracões de festa negra e do rádio, colados a letras conscientes de bate-papo rápido e reflexivo junto a influências que vão do rap ao bumba boi.

A faixa abertura é Tambor Chegô, um grito caboclo moderno com riffsfortes de guitarra, beats e a pulsação do couro ouvido nos tambores e pandeirões dos batalhões de bumba boi  e crioula da cidade de São Luis; em seguida a já conhecida Que Tal Um Passo Além da Ignorância?, lançada no EP As Armas MIDI do Século XXI e bastante executada nas rádios locais, ficando entre o Top 10 da semana por várias vezes na programação da Universidade FM; adiante a inédita Você Não Sabe Nada de Mim que em ska/jovem-guarda conta de forma irreverente o erro de julgar sem conhecer as causas e a essência; e assim seguimos na trilha com Inna Boreal; Deuses e Homens; Deus na Esquina; Vinho Tinto; a aclamada Maria de Jesus; e fechando os trabalhos a faixa bonus track reflexiva e delicada Se Não Nós Quem Seria?! Junto ao som do mar, somente.

Com uma respeitável trajetória na cena cultural de São Luís e projetos musicais diversos, Beto Ehongue já viajou o país tocando em cidades como Rio de janeiro, Belém, Niterói, Nova Iguaçu, São Gonçalo, São Paulo, Fortaleza, Teresina, Sousa e Juazeiro, dentre outras. Em São Luís ele atua há mais de 15 anos na cena musical e isso já lhe deu oportunidade para abrir shows de artistas importantes da música brasileira como Nação Zumbi, Otto, Black Alien, Demônios da Garoa, Chico Correia, Cabruêra.

Além disso, possui projetos em parcerias importantes, dentre elas com o poeta Celso Borges, Lobo Siribeira e Loopcinico, esse último foi pré-selecionado para o prêmio da música brasileira. Participou do CD Palavra Acesa musicando poemas do poeta José Chagas junto com grandes artistas como Fagner, Chico César, Lula Queiroga, Ednardo, Josias Sobrinho, Fernando Filizola, César Teixeira, Assis Medeiros e outros nomes. O CD foi produzido por Celso Borges e Zeca Baleiro. Paralelo ao MundiOca, o artista produz junto com o DJ TiCallo Awá Sound System.

Botando fogo na fogueira da inquietação e entendo que mais do que nunca o momento é de compartilhar, todas a faixas estão disponíveis nas plataformas digitais mais conhecidas gratuitamente, sendo assim Beto Ehongue vos apresenta o MundiOca. Ouça sem moderação.

Links para audição:

https://open.spotify.com/album/1FaLxIcBR0nfVL1GUo6pAY

https://www.youtube.com/watch?v=xx2CsyNcEiM