Migração do rádio AM para FM pode deixar vazio na audiência

Wagner Louzeiro, o popular Waguinho, está apreensivo com a migração do rádio AM para FM.

Ambientalista e líder comunitário, ele mora na ilha de Guajerutiua, uma das 17 áreas insulares que compõem a Reserva Extrativista Marinha de Cururupu, no Maranhão.

Nesta área encantadora, também denominada Floresta dos Guarás, está localizada a ilha de Lençóis (foto), famosa pelo sebastianismo.

Em todas as ilhas os moradores só conseguem ouvir emissoras AM, no radinho de pilha, sintonizando rádios do Maranhão e do Pará.

O rádio AM, para Waguinho, é a universidade que ele não cursou, um amigo e companheiro de todas as horas.

Neste vídeo, ele conta como se relaciona com o rádio e demonstra preocupação diante do novo cenário tecnológico da migração, que ainda não oferece as condições para que ele ouça as emissoras migrantes em aplicativos de smartfones.

Celular, ele só tem um “tijolinho”, aparelho simples e barato, apenas para ligações.

A situação de Guajerutiua é a mesma de outras regiões longínquas do Brasil profundo, onde a oferta de conexão à rede mundial de computadores ainda é um sonho distante.

Como toda inovação tecnológica, a migração causa impacto e susto, tão fortes quanto o advento do cinema e da televisão, hoje tão popularizados.

Para entender melhor a migração, recomendo a leitura da obra recém-lançada no 20º Congresso da Intercom, em Joinvile (Santa Catarina), “Migração do rádio AM para o FM: avaliação de impacto e desafios frente à convergência tecnológica“, organizado pelas escritoras Nair Prata e Nelia Del Bianco, do Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora.

Pesquisa de fôlego realizada em todas as regiões do país, a obra faz um amplo levantamento do cenário da migração.

O livro contém a investigação e o relato sobre a migração no Maranhão, produzidos em trabalho coletivo por Carlos Benalves, Ed Wilson Araújo, Saylon Sousa, Nayane Brito, Robson Corrêa, Rodrigo Reis, Roseane Pinheiro e Rosinete Ferreira.

A obra pode ser adquirida na Editora Insular.

Boa leitura.

Foto / divulgação neste site

Floresta dos Guarás e Alcântara recebem cursos de qualificação turística

Os municípios de Cururupu, Bequimão, Guimarães, Porto Rico e Alcântara receberão, a partir desta segunda-feira (16), os projetos “Mais Qualificação e Turismo” e “Regionalização”. A ação que acontece até o dia 20 de abril é uma iniciativa do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur), e irá beneficiar o Polo Floresta dos Guarás e Alcântara, município pertencente ao Polo São Luís.

“Por determinação do secretário de Estado da Cultura e Turismo, Diego Galdino, estamos visitando todos os polos a fim de medir as atividades turísticas dessas regiões e incentivar a melhoria contínua das atividades turísticas. O programa de Regionalização melhora e estrutura o turismo dos municípios com uma série de ações, uma delas é o Cadastur, que promove a regularização dos meios de hospedagens, com isso, a categorização sobe, assim, os municípios ficam aptos para captar recursos do Ministério do Turismo e da Embratur. Nesta gestão, nós unificados os programas “Mais Qualificação e Turismo” e “ Regionalização” por entendermos que essas atividades precisam andar de forma paralela potencializando o turismo e otimizando os recursos”, explica o secretário adjunto de Turismo, Hugo Veiga.

Os municípios irão receber a equipe da Secretaria Adjunta de Turismo da Sectur com uma agenda de reuniões técnicas, palestras, cursos de qualificação e ações esclarecedoras voltadas para o novo sistema de Cadastro de Pessoas Físicas e Jurídicas do Turismo (Cadastur).

Nos cinco municípios, as pessoas interessadas terão a oportunidade de participar dos cursos de Organização de eventos, Qualidade no atendimento, Como manter um negócio: cama e café, Técnicas para recepção para meios de hospedagens, Qualidade no atendimento em bares e restaurantes, Boas práticas para manipulação de alimentos e Gestão Pública para o Turismo e Projetos Técnicos (este último para servidores públicos).

Regionalização

O Polo Floresta dos Guarás e o município de Alcântara também receberão as ações do programa Regionalização. O programa reúne ações de maneira associada e articulada de incentivo à estruturação dos 10 Polos Turísticos, como reuniões técnicas com gestores e secretários de Turismo e curso de Gestão Pública para o Turismo e Projetos Técnicos. Na oportunidade, também será feita a identificação dos atrativos e das condições de infraestrutura das localidades, servindo de base para conscientização e monitoramento para o remapeamento em 2019.

Fonte: Release Secap