Memórias: Bandeira de Aço e Boi de Axixá na minha rua Sousândrade, no Apeadouro

Tive a alegria de viver uma boa parte da vida no bairro Apeadouro, em São Luís, e ainda frequento muita coisa boa ali. Lembro, especialmente, de um casal que mudou para bem perto da casa dos meus pais, na rua Sousândade.

Tenho guardado bem na memória as manhãs chuvosas de sábado, naquele tempo de inverno rigoroso como esse de 2019, quando a gente amanhecia ouvindo as músicas do disco Bandeira de Aço. Eu ainda era adolescente quando gostei daquele som, as letras, os ritmos, a forma de tocar… e aquela provocação “mamãe eu tô com uma vontade louca de ver o dia nascer pela boca.”

A casa onde tocava o Bandeira de Aço, muitos anos antes …  eu ainda criança … marcou o meu interesse por bumba-meu-boi. Ali morava Dona Basica e nos arredores vários parentes dela oriundos da região do Munim, principalmente de Icatu e Axixá.

Quando eu era criança, acordava nas noites de São João com os acordes do Boi de Axixá, que sempre se apresentava na casa de Dona Basica para agradecer a ela pelas honrarias à brincadeira, porque ela era uma das mulheres que costurava o couro do boi.

Na minha infância sem muitas expectativas, o disco Bandeira de Aço era uma alegria e despertou em mim uma curiosidade imensa, só satisfeita quando eu me inteirei sobre o Bandeira de Aço e a sua importância para a música brasileira.

Era muito emocionante despertar com os acordes dos metais da orquestra principal do vale do rio Munim. Eu cresci vendo um bumba meu boi se apresentar quase na porta da minha casa, de forma muito natural, num outro tempo dos festejos juninos, quando não tinha quase nenhum arraial.

Aquele ritual de agradecimento acabou engendrando o famoso Arraial do Apeadouro, um dos mais famosos terreiros de festejos juninos em São Luís, durante muitos anos.

Depois de muito tempo fui saber que a minha rua tinha o nome de um importante escritor  – Joaquim de Sousa Andrade, o Sousândrade, autor do “Guesa Errante” e “O inferno de Wall Street”, entre outras obras.

Um dia pretendo escrever uma crônica sobre a minha rua com nome de escritor.

Teia de Comunicação Popular do Brasil: um ano no fio do pavio

Fonte: Blog Buliçoso

Em um momento de profundas estocadas na democracia brasileira, nunca foi tão fundamental o debate sobre um campo de atividades que carrega em sua essência semântica a possibilidade de “tornar comum, de partilhar ou compartilhar”. À comunicação estão reservadas tarefas de profundo impacto na sociedade, em especial no que se refere à controversa formação de opinião. Mais do que debater, fazer tem sido o desafio dos que se recusam a dublar as narrativas de certos grupos que engrossam as espumas do discurso de ódio e seus desdobramento, entre eles, a intolerância, o racismo, o feminicídio, a LGBTfobia e toda forma de opressão, violência e injustiça social.

Há um ano foi criado no Brasil um movimento inédito que reúne diferentes experiências de comunicação na contramão da grande mídia: a Teia de Comunicação Popular do Brasil, uma iniciativa do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC), maior referência em comunicação popular e sindical no país. Aos desavisados, o termo comunicação popular é autoexplicativo: é produzida pelo povo e para o povo, “com objetivo de alterar a realidade social de determinada comunidade ou grupo social”, conforme definição do fundador do NPC, Vito Gianotti.

De norte a sul do Brasil, existe muita gente, muitos coletivos produzindo comunicação a serviço da cidadania, dos interesses populares. A Teia registra: “são jornais impressos, blogs, sites, coletivos de fotografia, programas de rádio e de TV que se dedicam a divulgar informações a partir da perspectiva dos trabalhadores, quilombolas, povos originários, sindicalistas, sem-terra, sem-teto e artistas populares. Pelas lentes dessas iniciativas, é possível conhecer o Brasil que sofre com a opressão, mas que também se organiza na resistência e na luta por direitos”.

A Teia – A Teia da Comunicação Popular do Brasil (http://teiapopular.org) foi lançada no dia 15 de março de 2018, no Fórum Social Mundial 2018, em Salvador. A palavra teia remete a um emaranhado de fios. Com a organização da Teia de Comunicação Popular do Brasil, o NPC “identifica fios que irão se entrelaçar, tecendo, juntando e compondo uma rede de solidariedade entre belíssimas e diferentes experiências de comunicação contra-hegemônica”, espalhadas pelo Brasil. A ideia é “compor e compartilhar as histórias de trabalhadoras e trabalhadores do país, tramar uma estratégia para fazer com que tudo isso chegue da forma mais organizada possível a opinião pública e a todas e todos que querem um mundo melhor, justo e igualitário”.

No Maranhão, compõe um destes fios a agência Tambor (agenciatambor.net.br), que veicula de segunda a sexta o radiojornal Tambor, com duração de 1 hora, notícias e entrevistas diárias. O projeto de comunicação foi lançado no dia 22 de março. O blog vai fazer um registro do significado deste projeto, de comunicação que há um ano resiste, em meio às TVs e rádios arrendadas por políticos que tanto criticaram o grupo Sarney por seu coronelismo eletrônico, durante décadas de poder no estado.

São Pedro dos Crentes (parte 2): cidade evangélica é o último reduto de José Sarney no sul do Maranhão

O Blog do Ed Wilson publica hoje a segunda reportagem da série sobre a cidade evangélica São Pedro dos Crentes. Saiba como atua o prefeito anti-comunista e veja os resultados eleitorais de 2018

Política e púlpito são assuntos indissociáveis na longínqua São Pedro dos Crentes, município de 4.651 habitantes (IBGE, 2018) encravado no sul do Maranhão, a 758 km de São Luís, com 3.889 eleitores. A cidade fundada por evangélicos da Assembleia de Deus tem um forte traço conservador, espelhado nas sucessivas votações de candidatos da extrema direita.

O prefeito Lahésio Bonfim (PSDB) é o principal pregador do anti-comunismo e trava uma batalha solitária contra o governador Flavio Dino (PCdoB). Na eleição de 2018 para o governo do Maranhão o tucano declarou voto em Roseana Sarney (MDB). “Não tem mais lugar nesse Maranhão para comunista. Eu nunca mais vou deixar de votar nos Sarneys. Nunca mais vou deixar de acompanhar o Lobão, o João Alberto”, asseverou.

Assista no video abaixo a declaração de apoio do prefeito à então candidata Roseana Sarney.

Nem mesmo a distribuição dos cargos de capelão aos evangélicos (veja aqui) amainou a fúria conservadora dos líderes da Assembleia de Deus contra o governador comunista.

A promessa de Bonfim apareceu nas urnas. Roseana Sarney teve 75,76% dos votos (2.163 eleitores) contra 14,75% (421 votos) de Flávio Dino.

Candidatos ao Senado, Sarney Filho e Edson Lobão também tiveram expressivo apoio do eleitorado de São Pedro dos Crentes, com votação de 39,30% (2.150 eleitores) e 34,86% (1.907 eleitores), respectivamente.

Eliziane Gama (PPS), candidata evangélica oficial da Assembleia de Deus, ficou em terceiro lugar no Senado, com apenas 13,12% (718 votos) na cidade. O quarto colocado foi Weverton Rocha (PDT) e obteve 8,44% dos votos válidos (462 eleitores).

Apoiados pelo governador Flávio Dino, Gama e Rocha foram eleitos ao Senado derrotando os candidatos da família liderada por José Sarney.

O revés do voto evangélico no Senado chegou também à disputa da Assembleia Legislativa. Candidato preferido da Assembleia de Deus em São Pedro dos Crentes, pastor Cavalcante (PROS) obteve apenas 73 votos dos irmãos e ficou em quinto lugar entre os mais votados na cidade. Quem ‘bombou’ nas urnas para deputado estadual foi Adriano Sarney (PV). Ele teve 61,59% dos votos válidos (1.825 eleitores). Reeleito, Adriano é neto de José Sarney e primogênito de Sarney Filho.

Para deputado federal outro sarneísta liderou com folga a votação entre os evangélicos. Victor Mendes cravou 61,91% dos votos válidos, obtendo a preferência de 1.832 eleitores.

Veja na tabela abaixo os seis candidatos mais votados para a Câmara Federal em São Pedro dos Crentes:

candidato(a) votos % votos válidos situação
Victor Mendes (MDB) 1.832 61,91 suplente
Deoclides Macedo (PDT) 393 13,28 suplente
Sebastião Madeira (PSDB) 270 9,12 suplente
Marcio Jerry (PCdoB) 83 2,81 eleito
Josivaldo Melo (PHS) 42 1,42 suplente
Zé Carlos (PT) 30 1,01 eleito

De todo o visual de São Pedro dos Crentes, ainda causa impressão a quantidade de cartazes do candidato Adriano Sarney colados nas paredes das casas na sede do município.

Cartazes da dobradinha sarneísta apoiada pelo prefeito ainda estão afixados
em muitas casas de São Pedro dos Crentes

Mistura das cidades fictícias Macondo e Sucupira, São Pedro dos Crentes é terra fértil para o realismo fantástico de Gabriel Garcia Márquez, autor do clássico “Cem anos de solidão”; e a escrita sarcástica de Dias Gomes na sempre atual novela “O bem amado”.

A cidade marcada pela vida religiosa da Assembleia de Deus tem vários bares e logo no acesso à rua principal um campeonato de sinuca animava evangélicos e crentes desviados com bebida, cigarro e música forrozeira.

Leia a primeira reportagem aqui

Bibliocracia: Deus mandou votar em Bolsonaro

A tendência conservadora tem duas fontes de inspiração: os pastores e o prefeito, também evangélico. O rebanho é tocado pelas orientações dos pregadores e, simultaneamente, alimentado nas relações fisiológicas características da maioria das cidades do Maranhão, tornando o eleitorado refém dos mandatários.

Combinados, o prefeito devoto e os pastores impõem uma força eleitoral imbatível. Em 2014, por exemplo, São Pedro dos Crentes foi a única cidade do Maranhão a dar a vitória ao presidenciável Aécio Neves (PSDB) no Maranhão, estado onde a candidata Dilma Roussef (PT) teve a maior votação proporcional do Brasil.

Dilma teve 78,76% dos votos válidos, contra 21,24% de Aécio no Maranhão. A petista recebeu votos de 2.475.762 eleitores, enquanto o tucano levou 667.517.

Mas, em São Pedro dos Crentes Aécio Neves (PSDB) ganhou por pouco: teve 50,10% dos votos válidos (1.256 dos eleitores) contra 49,90% de Dilma Roussef (1.251 votos).

Em quatro anos, a tendência do voto anti-PT cresceu na onda conservadora que levou Jair Bolsonaro à Presidência da República. São Pedro dos Crentes foi uma das três cidades do Maranhão onde o candidato do PSL ganhou a eleição logo no primeiro turno, com 50,93% dos votos, enquanto Fernando Haddad obteve 37,53%. No segundo turno os candidatos alcançaram, respectivamente: 57,49% x 42,51%.

Pastor Manoel Lima explica o voto em Bolsonaro: “Deus direcionou!”

Na cidade onde o prefeito e todos os vereadores são evangélicos, o eleitorado é regido por uma espécie de bibliocracia. O pastor presidente da Comadesma (Convenção dos Ministros das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Maranhão) em São Pedro dos Crentes, Manoel Lima de Sousa, apresentou um argumento curto e grosso para justificar o comando de voto dos evangélicos para o presidenciável Jair Bolsonaro, em 2018. “A palavra de Deus, a bíblia sagrada, o livro dos livros, tem resposta para todas coisas que nós imaginarmos. Ela já nos informa que todas as autoridades são constituídas por Deus, inclusive nosso presidente. E assim sendo, Deus direcionou ao povo votar no Bolsonaro.  E assim Deus fez dele o nosso presidente”, atestou.

Em São Pedro dos Crentes existem 21 congregações da Assembleia de Deus, ministério Comadesma, sendo três na sede e das demais na zona rural.

Anti-comunista de fachada

“Vocês conhecem os meus vídeos e sabem que têm um destino: o Palácio dos Leões”. A frase de efeito está registrada em um dos muitos recados do prefeito Lhaésio Bonfim para Flávio Dino. Dizendo-se vítima de perseguição, o gestor que também canta nas igrejas é o único a confrontar publicamente o governador em discursos fartamente compartilhados nas redes sociais.

Na base do governador, a réplica é disparada pelo assessor da Secretaria de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap) na região de Balsas (sul do Maranhão), Valdir Oliveira de Sousa, o Valdir Preto.

Aliado de Flávio Dino, o assessor Valdir Preto monitora o prefeito Lhaésio Bonfim em São Pedro dos Crentes

Membro da Assembleia de Deus (Ministério Madureira), nascido em São Pedro dos Crentes e originário de uma comunidade remanescente de quilombo, Valdir Preto afirma que o prefeito vem apresentando sinais de enriquecimento ilícito e mantem relações clientelistas e alto nível de fisiologismo na gestão.

Antes de ser prefeito, o médico Lahésio Bonfim chegou a apoiar Flávio Dino na corrida para o Palácio dos Leões, em 2014, mas mudou radicalmente quando percebeu a onda conservadora crescente no meio evangélico e associou-se à família Sarney e ao bolsonarismo.

O prefeito controla a Câmara Municipal, composta por oito vereadores, todos evangélicos. Valdir Preto denuncia que a gestão é minada por favores e serviços contratados em troca de apoio dos edis, como empregos, cargos e aluguel de carros para a administração municipal.

Prefeito Lhaésio dispara a metralhadora giratória contra Flávio Dino

Sobre os cartazes de Adriano Sarney afixados ao longo da cidade, Valdir Preto explica: “As pessoas eram obrigadas a votar para segurar o emprego. Se não botasse o cartaz na porta já tinha perdido o emprego. E como São Pedro dos Crentes quase todo mundo é da mesma família o prefeito conseguiu ludibriar, botar na vasilha dele e dizer ‘ou você vota com meu candidato ou está fora do emprego’. Isso é a razão de ele ter tirado esse tanto de votos.”

O contraste entre o desempenho de Adriano Sarney (1.825 votos) e do pastor Cavalcante (73 votos) na eleição de deputado estadual contradiz a máxima bíblica de que os fiéis devem seguir os pastores. O irmão Cavalcante é presidente da Assembleia de Deus (Ministério Comadesma), fez campanha na cidade e participou de comício com pastores, mas os votos minguaram.

Teria sido traição?

Para o advogado Neuton Coelho dos Santos, filho de Zequinha Coelho (2007-2010), o primeiro prefeito da cidade após a emancipação, a votação em massa ao Adriano Sarney é fruto de uma polarização. “O prefeito conseguiu jogar toda a comunidade evangélica contra o governador”, decifrou.

Ele avalia que São Pedro dos Crentes é um campo fértil para o conservadorismo devido às peculiaridades da disputa eleitoral e o prefeito soube capitalizar o cenário, discursando para os evangélicos, a favor da família e determinado ao rompimento com o governador do PCdoB. Assim, o prefeito percebeu a onda conservadora e fez campanha aberta para Bolsonaro.

Sobre os cartazes de Adriano Sarney nas portas das casas, Neuton Santos interpreta como “um carimbo” que demarca o território eleitoral e ajusta os interesses ao voto de cada pessoa.

70 anos do Clube de Engenharia do Maranhão

O Clube de Engenharia do Maranhão (CEM) completa 70 nesta segunda-feira (18). E para celebrar a data será lançada, às 18h30, uma super programação de palestras e cursos que serão realizados em 2019. 

“Os engenheiros do Maranhão estão em festa, pois a entidade que representa esse segmento importante da sociedade há mais tempo celebra seus 70 anos com vigor e vitalidade na defesa dos interesses desses profissionais”, afirma o presidente do CEM, Emanuel Migiez Dias. 

Depois da solenidade de lançamento do Plano de Atividades 2019, na segunda-feira (18),  o Eng. Civil Mário Calheiros ministra a palestra “Concreto protendido, conceitos iniciais”. Ele é especialista em Estrutura de Concreto e Fundação.  

Fundado de 18 de março de 1949, o CEM celebra seu aniversário com várias atividades que acontecem neste mês. No próximo dia 26, também às 18h30 e na sede do CEM, as comemorações prosseguem com a palestra “Sistemas estruturais aplicados à construções de pontes” com a participação do Eng. Civil João Celso Martins Marques, mestre na área de Estruturas. 

As inscrições para o evento desta segunda-feira (18) estão abertas e dão direito a certificação e coffee break. 

Informações e inscrições pelo whats*: (98)9.8460-8965. A sede do CEM fica na Av. dos Holandeses, Ed Century – sala 1403 – nas proximidades dos Hotel Ibis.

Programa Papo de Crente recebe o professor Paul Freston, na rádio Tambor

Neste sábado (16/03), às 9h, a Rádio Tambor estreia o programa Papo de Crente. A edição inaugural recebe o entrevistado Paul Charles Freston, professor na Wilfrid Laurier University, do Canadá.

O programa tem transmissão ao vivo no site agenciatambor.net.br e no Facebook Agência Tambor.

Apresentado pelo pastor Lyndon Santos, professor do curso de História da UFMA, o programa contem música, reflexão bíblica e agenda de eventos evangélicos.

Paul Freston é o primeiro entrevistado do programa Papo de Crente

A proposta é dialogar sobre fé e o dia-a-dia das pessoas, de maneira simples, fundamentada e descontraída.

Papo de Crente é o segundo programa da Rádio Web Tambor, que completa um ano em março. De segunda a sexta-feira a emissora apresenta o Jornal Tambor, das 11h às 12h da manhã, com transmissão ao vivo.

Conversa sobre fé e vida

Paul Freston é inglês naturalizado brasileiro, sociólogo e autor de livros nas áreas de liderança cristã, política e religião.

Entre os títulos publicados por  Freston, estão: “Fé e Política, sim. Igreja e Estado, não”, “Evangélicos e política no Brasil”, “Neemias, um profissional a serviço do Reino” e “Cuba e Nicarágua”; e “Marxismo e Fé Cristã”.

Paul Charles Freston chegou ao Brasil em 1976 e foi obreiro da Aliança Bíblica Universitária.

Segundo Lyndon Santos, Papo de Crente será um programa aberto, com uma linguagem inclusiva, “uma experiência cristã, portanto”, diz ele, acrescentando: “Precisamos aproveitar esses espaços de interlocução”.

Para ouvir depois

Quem não acompanhar o programa ao vivo pode acessar, baixar e compartilhar o conteúdo na íntegra, a qualquer momento, no endereço https://www.mixcloud.com/ag-tambor/

Hoje! Casa Josué Montello tem lançamento de livro e exposição

A Casa de Cultura Josué Montello (CCJM) realiza, nesta sexta-feira (15), lançamento do segundo volume da coletânea de crônicas de Josué Montello (Escritores Maranhenses: 1966-1993) e abertura da exposição “A nova aparência do lixo’, do artesão, escultor e escritor Antônio Melo. O evento acontece a partir das 16h, na CCJM, Rua das Hortas, 327, Centro de São Luís.

A programação será realizada em lembrança aos 13 anos de morte do escritor maranhense e, também, como parte do projeto ‘CCJM Recebe’, que tem por objetivo realizar uma série de encontros literários durante este ano.

“São 13 anos sem a presença de Josué Montello, um dos mais importantes escritores brasileiros, vamos lembrar dessa data com a divulgação de sua obra e, também, realizando a segunda edição do ‘CCJM Recebe’ que começou em janeiro com o projeto Literatura Mútua e agora traz a rica exposição do artista Antônio Melo”, afirmou Joseane Sousa, diretora da Casa.

Cada visitante receberá um exemplar do livro, que também será doado para o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, bibliotecas escolares, bibliotecas universitárias e academias de letras.

Sobre o livro

No livro constam 57 crônicas que foram publicadas entre os anos de 1966 a 1993 no Jornal do Brasil, onde Josué Montello tinha uma coluna intitulada Areia do Tempo. Entre as crônicas selecionadas estão presentes escritores que remontam a infância e juventude de Josué Montello, como Antonio Lopes, Dunshee de Abranches, a professora Celina Nina, entre outros, e também os amigos que já faziam parte do mundo literário ou aqueles que estavam iniciando sua trajetória como Gonçalves Dias, Humberto de Campos, Sousandrade, Maria Firma dos Reis, Odylo Costa filho e Nauro Machado.

Sobre a Exposição

São 37 obras produzidas a partir de sucatas, engrenagens, peças de bicicletas, impressoras, torneiras, mouse, teclados de computadores, ferros elétricos, motores, fios de cobre, de alumínio, cobre, metal, plásticos e diversos objetos desconhecidos retirados do lixo e adquirido por doações de terceiros.

O artista Antonio Melo é maranhense, marceneiro aposentado, artesão, escultor e membro da Academia de Luminense de Paço do Lumiar. Participou de várias exposições individuais e coletivas.  Autor da peça ‘O Violeiro’, premiada no 1º Concurso de Arte Consciente com o tema “Sons do Brasil”, promovido pela Mega Artesanal 2009 WR São Paulo.

SERVIÇO

O quê? Lançamento  do livro ‘Escritores Maranhenses: 1966-1993’ e abertura da exposição “A nova aparência do lixo’

Quando? 15 de março (sexta-feira)

Hora: 16h

Onde? Casa Josué Montello, Rua das Hortas, 327, Centro de São Luís

Imagem / divulgação neste site / Ambientes da Casa Josué Montello abrigam o acervo do escritor e museu.

Sindicatos realizam ato em defesa das empresas públicas

O Sindicato dos Bancários do Maranhão, em conjunto com o Sindicato dos Urbanitários e o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios realizará um ato público em defesa das empresas públicas.

A ação ocorrerá sexta-feira, 15/03, às 9h, na Praça João Lisboa, Centro- São Luís/MA.

O objetivo é chamar atenção para os ataques que o governo federal vem fazendo às empresas estatais e à classe trabalhadora.

Em menos de três meses de governo, o presidente já dá sinais de interesse na privatização de empresas públicas como os Correios, a Eletrobrás, a Petrobras e os bancos públicos.

Entregando essas empresas para o setor privado, o governo acaba colocando em risco a soberania nacional, elevando também a taxa de desemprego no país.

Imagem retirada deste site

Estreia! Rádio Tambor terá programa evangélico apresentado pelo pastor e professor da UFMA Lyndon Santos

Fonte: Site da Apruma

O professor Lyndon de Araújo Santos, do Departamento de História da UFMA, também Pastor da Igreja Evangélica Congregacional de São Luís, será o âncora do novo programa da Rádio Web Tambor, denominado “Papo de Crente”. A estreia acontecerá sábado (16 de março), de 9h às 10h, com transmissão ao vivo nas redes sociais da emissora (veja endereços ao final do texto).

Segundo Lyndon, essa é uma experiência rica, nova e desafiadora, aproximando este público específico de um espaço tão diversificado quanto o da Rádio Tambor, “para que os evangélicos possam aprender a ouvir e a dialogar no espaço plural”, enfatizou. Segundo ele, a expectativa é que se produza um campo de bastante aprendizagem, que rompa preconceitos tanto de quem é evangélico em relação a quem não é, quanto vice-versa.

O apresentador informa ainda que Papo de Crente será um programa aberto, com uma linguagem inclusiva, “uma experiência cristã, portanto”, diz ele, acrescentando: “Precisamos aproveitar esses espaços de interlocução”.

Basicamente, o programa trará meditações bíblicas, entrevistas, músicas e agenda das igrejas. “É um programa assumidamente evangélico, no qual se pretende um espaço de tolerância e aprendizado para todos, a serviço da sociedade e com uma linguagem ampla, aberta ao diálogo”. Para ele, essa e uma forma de se combater o preconceito.

O programa vai ao ar aos sábados, a partir do próximo dia 16 de março, de 9h às 10h, no site da Web Rádio Tambor: www.agenciatambor.net.br.

Haverá também transmissão ao vivo no Facebook, na página Agência Tambor

Quem não acompanhar o programa ao vivo pode acessar, baixar e compartilhar o conteúdo na íntegra, a qualquer momento, no endereço https://www.mixcloud.com/ag-tambor/

Plano Diretor e Jesus Cristo na Câmara Municipal de São Luís

A Câmara dos Vereadores de São Luís é realmente um espaço democrático, onde todos os naipes políticos transitam com versatilidade.

Na sessão desta terça-feira, o vereador Honorato Fernandes (PT) foi à tribuna registrar que a Prefeitura de São Luís não compareceu a nenhum evento organizado pelo Legislativo Municipal sobre a revisão do plano diretor.

O parlamentar enfatizou que o poder executivo está ausente do debate sobre a legislação urbanística, alertando que as mudanças propostas pela própria Prefeitura vão provocar fortes impactos na cidade, como a drástica redução da zona rural, a flexibilização das áreas de dunas e tantos outros dispositivos relevantes para o funcionamento cotidiano da cidade.

Fernandes mencionou também a preocupação com as regiões de recarga de aquífero, fundamentais para o fôlego dos últimos rios vivos de São Luís e necessárias ao abastecimento de água na capital.

Honorato estranhou a ausência da Prefeitura nos debates sobre o plano diretor

No seu eixo central, o discurso do vereador petista cobrava a presença da Prefeitura junto à Câmara para dialogar, esclarecer e desvendar a proposta de revisão do plano diretor.

Após o discurso de Honorato Fernandes, instando a Prefeitura a se defender, eis que toma a palavra o vereador e líder do governo Pavão Filho (PDT).

Homem experimentado com muitos mandatos parlamentares, Pavão Filho tomou a palavra e ignorou solenemente os apelos do seu colega Honorato Fernandes.

Mas, sobre o que falou Pavão?!

Em vez de apresentar qualquer que fosse o argumento ou mesmo uma desculpa esfarrapada para justificar a ausência da Prefeitura nos debates sobre o plano diretor, Pavão Filho emoldurou um discurso para falar sobre Jesus Cristo, budismo, judaísmo e outras vertentes religiosas.

Com todo respeito à crença do vereador pedetista e à santidade de Jesus, mas a atitude dele diante do questionamento sobre algo tão importante como a revisão do plano diretor é uma grave falta de respeito não só ao seu colega Honorato Fernandes, mas à cidade como um todo e aos ouvintes que acompanham as sessões da Câmara Municipal transmitidas pela rádio Educadora AM 560 Khz.

A fala concreta do vereador Honorato fez referência às alterações que vão mexer na vida de 1 milhão de pessoas em São Luís, sejam elas da zona rural ou da área nobre.

E qual foi a resposta do líder do governo, Pavão Filho?

A indiferença(!), disfarçada em um discurso sobre as dádivas de Jesus Cristo fora do contexto do debate naquele momento da sessão.

Pavão falou muito bonito, mas esqueceu de invocar na sua retórica alguns testemunhos e princípios do cristão.

Jesus histórico, homem de carne e osso, com certeza estaria preocupado com a redução da zona rural de São Luís e o risco de colapso no abastecimento de água, caso o plano diretor seja aprovado de acordo com a proposta da Prefeitura.

O filho de Deus jamais se furtaria ao debate sobre a vida dos seus irmãos, principalmente da zona rural, onde as políticas públicas demoram a chegar.

Em síntese, a indiferença do líder do governo está no mesmo nível de desleixo da Prefeitura com a cidade. As próprias audiências públicas realizadas nos bairros para “debater” a proposta de revisão do plano diretor foram desprezíveis. Feitas para não funcionar nem informar a população sobre algo que vai mexer diretamente no espaço urbano e rural.

Na verdade, a gestão Edivaldo Holanda Junior (PDT) faz o papel de lobista dos interesses da especulação imobiliária para aniquilar a zona rural, asfixiar a cidade e transformar São Luís em cidade portuária e industrial.

Fora dessa lógica, toda a cidade está ignorada pela Prefeitura. Os terminais da integração correm o risco de desabar e as operações tapa-buracos não conseguem sequer entupir as crateras com entulho, para ficar apenas nesses dois exemplos.

Enquanto isso, a Prefeitura não tem sequer a gentileza de comparecer a uma audiência na Câmara Municipal para tratar de um tema da mais alta importância sobre a vida dos moradores de São Luís – a legislação urbanística.

Como diria o finado radialista Jairzinho da Silva, o discurso de Pavão Filho sobre Jesus “foi só migué”.

Imagens: Pavão Filho e Honorato Fernandes retirada deste site.

Abraji e OAB repudiam ataque público de Bolsonaro à imprensa

Fonte: Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo)

Na noite de domingo, o presidente Jair Bolsonaro fez um novo ataque público à imprensa, desta vez valendo-se de informações falsas. Isso mostra não apenas descompromisso com a veracidade dos fatos, o que em si já seria grave, mas também o uso de sua posição de poder para tentar intimidar veículos de mídia e jornalistas, uma atitude incompatível com seu discurso de defesa da liberdade de expressão. Quando um governante mobiliza parte significativa da população para agredir jornalistas e veículos, abala um dos pilares da democracia, a existência de uma imprensa livre e crítica.

A onda de ataques no domingo começou antes da manifestação do presidente. Grupos que apoiam Bolsonaro difundiram e amplificaram nas redes sociais declarações distorcidas da repórter Constança Rezende, de O Estado de S.Paulo, para alimentar a narrativa governista de que a imprensa mente quando se refere às investigações sobre as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz, ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro. Como é comum nesse tipo de ataque, a família de Constança também virou alvo. O grave nesse episódio é que o próprio presidente instigou esse comportamento, ao citar como indício de suposta conspiração que Constança é filha de um jornalista de O Globo.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se unem neste momento no repúdio a qualquer tentativa de intimidação de jornalistas. Profissionais atacados por fazer seu trabalho terão sempre nosso apoio.

Diretoria da Abraji

Felipe Santa Cruz – presidente do Conselho Federal da OAB

Pierpaolo Cruz Bottini – coordenador do Observatório de Liberdade de Imprensa do Conselho Federal da OAB

Imagem deste site / Agência Lupa verificou e comprovou que a declaração atribuída à jornalista do Estadão é falsa.