Cabe uma retratação

O secretário de Saúde, Carlos Lula, é um dos melhores gestores do governo Flávio Dino (PCdoB).

Durante a pandemia do novo coronavírus ele tem feito o bom combate, em sintonia com as orientações das autoridades sanitárias, trabalhando com seriedade no enfrentamento da doença.

Porém, na convenção partidária governamental em Coroatá, Carlos Lula fez discurso sem máscara e até dançou com os seus correligionários no palanque, vendo na plateia um ambiente aglomerado e perigoso.

Não adianta usar o argumento de que o cidadão Carlos Lula é uma pessoa; e o secretário, outra. Ambos estão na mesma humanidade, falível.

O secretário errou e deveria fazer uma retratação.

Outros políticos e candidatos fizeram convenções aglomeradas atropelando as recomendações médicas.

A convenção do candidato a prefeito de São Luís, Duarte Junior, ex-comunista e atualmente no Republicanos, foi um exagero de aglomeração.

O que ele fez depois? Gravou e divulgou um vídeo pedindo desculpas.

O secretário de Saúde poderia tomar uma atitude semelhante. Na condição de autoridade referência no combate à pandemia é até pedagógico ele vir a público explicar a falha e reforçar os cuidados com a vida.

Basta um gesto simples e didático, com uma pequena dose de humildade.

Convenção do PSB em São Luís foi marcada pelo respeito às normas sanitárias

Ainda repercute nas redes sociais e nos meios de comunicação a forma como os partidos e as coligações fizeram as suas convenções no fim de semana – a maioria desobedecendo as orientações de prevenção diante da pandemia covid19 que ainda contamina e mata.

Várias candidaturas foram homologadas com aglomerações e um grande aparato de mobilização já bastante conhecido na forma tradicional de transportar pessoas em ônibus e vans para fazer volume nos eventos.

Já na convenção do PSB as regras sanitárias foram devidamente administradas com uso de máscara, distanciamento entre os convencionais, sala especial com telão para uma parte do público e higienização com álcool gel.

O ambiente restrito não ofuscou o brilho do evento. As pré-candidaturas de Bira do Pindaré a prefeito de São Luís, Letícia Cardoso vice e da chapa dos vereadores e vereadoras teve momentos de emoção como todo ato político, mas os cuidados com a vida foram devidamente tomados com antecedência.

No salão principal do evento estavam apenas filiados e os pré-candidatos com cadeiras marcadas. Simpatizantes e apoiadores acompanharam em outros espaços através de telões.

Bira e Letícia entraram no salão entoando a música “Oração Latina”, de Cesar Teixeira, momento de entusiasmo devido à motivação da letra que embala tantos sonhos em várias gerações.

Diferente de algumas candidaturas homologadas em grandes eventos com espetáculos pirotécnicos, alguns até assemelhados às convenções dos EUA, o PSB fez a festa com pés no chão, respeito às recomendações das autoridades sanitárias e muita aglomeração de emoções no coração de cada militante presente.