Jornalismo da TV Globo lidera a campanha dos banqueiros pela reforma da Previdência

A cobertura jornalística da grande mídia sobre a reforma da Previdência é, na verdade, uma campanha publicitária do modelo de capitalização imposto pelos bancos internacionais. O noticiário tem garoto propaganda (Paulo Guedes) e bordão de R$1 trilhão. Jogando entre visibilidade e silenciamento, a televisão cobre as manifestações em defesa da Educação e esconde as vozes críticas sobre o desmonte da Seguridade Social

Embora seja uma das maiores autoridades em Seguridade Social no Brasil, o senador Paulo Paim (PT-RS) é uma fonte proibida na grande mídia sobre o tema mais agendado atualmente nos meios de comunicação.

Paim presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que ao final dos trabalhos apresentou um substancioso relatório apontando que o déficit na Previdência é resultado de sonegação, fraudes, proteção das empresas devedoras mediante perdão de dívidas e outros mecanismos clientelistas e fisiológicos.

A CPI realizou 26 audiências públicas para debater o tema. Em seu relatório conclusivo, a comissão aponta que empresas privadas devem R$ 450 bilhões à Previdência. O texto de 253 páginas indica várias providências visando o equilíbrio do sistema previdenciário brasileiro, propõe emendas à Constituição Federal e projetos de lei com o objetivo de combater as fraudes e estabelecer mais rigor na cobrança dos grandes devedores.

Os caloteiros estão entre os principais responsáveis pelo rombo na Previdência. Essa tese é sustentada inclusive pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e corroborada por auditores fiscais reconhecidos, professores universitários e organizações como a Auditoria Cidadã da Dívida.

Todo esse conjunto de fatos e provas foi completamente ignorado pelo noticiário nacional das grandes redes de televisão no Brasil.

A censura explícita dos meios de comunicação à CPI da Previdência e aos seus resultados é uma das faces da ditadura da mídia no Brasil, que impõe a agenda ultraliberal como pensamento único manifestado nas manchetes e em todo o conteúdo das reportagens.

Todo o noticiário massifica o mantra da “Nova Previdência” como solução mágica para um suposto colapso no sistema previdenciário. O tratamento dos fatos enquadra o ministro da Economia Paulo Guedes como arauto da única, imprescindível e urgente reforma para salvar o país da crise econômica.

Agente do capital internacional, Guedes chantageia diariamente a população brasileira com a proposta da reforma. Para ele, a “Nova Previdência” é condição sine qua non para salvar o Brasil.

Esse mantra repetido meses a fio em todos os noticiários televisivos força e impõe uma corrente majoritária de opinião que transforma todos em reféns de um discurso único, homologado pelos meios de comunicação e assimilado na maioria da população.

Isso não é jornalismo, é campanha publicitária explícita, patrocinada pelos anunciantes do capital internacional que financiam a grande mídia para impor uma versão sem contradições.

Nos diversos programas do canal exclusivo da GloboNews a campanha publicitária pela reforma da Previdência é acintosa. Especialistas do mercado financeiro, consultores internacionais, empresários, parlamentares e lobistas dos banqueiros são permanentemente acionados para conceder entrevistas e repetir o mantra de Paulo Guedes.

Todos os dias o enredo é o mesmo: a reforma da Previdência tem de ser feita sob pena de o Brasil entrar em colapso.

O contraditório nunca entra no circuito da produção da notícia. Nenhuma voz dissonante é ouvida, as críticas são impedidas de se manifestar, os dados refutando Paulo Guedes jamais serão apresentados na tela da TV.

E assim a mídia segue de maneira ditatorial, sonegando informações essenciais para a audiência analisar e julgar o tema posto em evidência no noticiário.

A campanha pela reforma da Previdência precisa ser entendida como algo estratégico no campo da comunicação. Envolve um exército de “especialistas”, uma gigantesca rede de dispositivos de enunciação, uma tropa de elite do mercado financeiro e um séquitos de ventríloquos para repetir o mantra de Paulo Guedes – sem a reforma, o Brasil quebra!

Tudo isso posto sem uma notícia, mínima que seja, sobre os resultados da CPI da Previdência. Nunca, em momento algum, o senador Paulo Paim concedeu qualquer entrevista nos telejornais da Globo para refutar os argumentos do regime de capitalização.

Por outro lado, discretamente, a Globo cobra do governo federal a fatura dos banqueiros: a reforma é uma imposição, obrigatoriedade, urgência urgentíssima.

Se Bolsonaro não acelera e paga a fatura, se ele não passa o trator para atender urgente os interesses do capital rentista, é acionado pela cobertura dos protestos em defesa da Educação.

Detalhe: nesses protestos as centrais sindicais, professores, estudantes e movimentos sociais se posicionam contrários à reforma da Previdência.

O que faz a Globo?

Recorta, seleciona e agenda somente o que interessa – os protestos contra os cortes na Educação. De tabela, pressiona Bolsonaro e manda recado: o governo tem de aprovar a reforma.

É uma velha tática com novas cenas e outros atores, mas sempre estrelando o interesse do capital.

Algo muito grave pode ocorrer no Brasil com o apoio da burguesia radiodifusora – o desmonte da Seguridade Social e a sua exclusão da Constituição Federal. Tem um recheio criminoso nesse pacote. Vai matar as esperanças dos jovens e deixar míngua os idosos, na maioria pobres.

10ª Conferência Estadual de Saúde debate direito à saúde e financiamento do SUS

Democracia e Saúde é o tema que norteia a 10ª Conferência Estadual de Saúde do Maranhão. A abertura do evento ocorreu nesta quarta-feira (5), no Rio Poty Hotel, em São Luís, e reuniu cerca de 900 participantes. O resultado desse grande encontro de representantes dos usuários, profissionais de saúde, gestores, prestadores, sociedade civil organizada e não organizada tem o objetivo de traçar democraticamente as diretrizes para as políticas públicas de saúde no estado. A conferência é aberta à sociedade.

Na abertura da conferência, o secretário de Estado da Saúde do Maranhão e presidente do Conselho Estadual de Saúde, Carlos Lula, reafirma o compromisso em continuar impulsionando e efetivando os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A política pública de saúde é a mais organizada e a mais democrática que a gente tem desde a Constituição de 1988. Portanto, as conferências não são meros congressos, são espaços de deliberação, solução e encaminhamento para as secretarias de saúde e para o próprio Ministério da Saúde. De décadas em décadas debatemos muitos temas, mas o financiamento do SUS se mantém constante, pois o recurso é um componente fundamental na efetivação da saúde pública de qualidade”, ressaltou.

Participaram da solenidade a representante do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Maranhão (Cosems), a secretaria municipal de saúde de Alto Alegre, Iolete Arruda; a ouvidora geral da Defensoria Pública do Estado do Maranhão, Márcia Maia; a representante do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Estado do Maranhão (Sintsprev/MA), Maria Raimunda Rudakoff, e o deputado estadual, Yglésio Luciano Moyses Silva de Souza, representando o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto.

Presente ao evento, a deputada estadual e procuradora da Mulher na Assembleia Legislativa, Helena Duailibe, destacou que a saúde é consolidada com diálogo. “O Governo do Estado mostra o seu compromisso com os trabalhadores e usuários da saúde, pois são nas conferências que são discutidas e definidas as melhores políticas públicas”, disse.

O deputado estadual Yglésio Luciano Moyses Silva de Souza enfatizou que saúde é democracia. “Em um cenário de adversidades, podemos contar com um Governo presente e que prioriza a saúde pública. Um evento como este vem somar os esforços feitos pela Secretaria de Estado Saúde e também por todos aqui presentes”, falou.

Para Moysés Toniolo, do Fórum de Usuários do Conselho Nacional de Saúde, o Maranhão tem sido um protagonista da região Nordeste dos avanços das políticas sociais. “Aproveitando o momento da conferência, esperamos discutir formas de ajudar a saúde pública do estado, além de criar diretrizes e propostas para a conferência nacional”, disse.

Democracia e Saúde no SUS, tema central da conferência, foi apresentado pela conselheira Nacional de Saúde e coordenadora Nacional de Saúde da União de Negros pela Igualdade (Unegro), Maria da Conceição Silva. “Discutir a saúde que se faz por meio do SUS em um evento como este é a garantia da manutenção de direitos previstos na Constituição Federal”, afirmou.

Segundo Antônio Adailton Nascimento Rodrigues, presidente da APAE de Barra do Corda e membro do Conselho Municipal de Saúde, a participação popular é fundamental. “Trabalhar por um SUS cada vez melhor é a nossa obrigação enquanto representante da sociedade em um evento deste porte”.

Na avaliação de Paulo de Oliveira Neto, representante dos usuários de saúde do município de Davinópolis, a conferência servirá para fortalecer as ações em favor do serviço público ofertado à população. “Independentemente da condição social da pessoa, o serviço de saúde ofertado pelo SUS é onde todos recebem a assistência que precisam. Por isso, tudo o que for debatido e discutido aqui servirá para alavancar e continuar garantindo tudo o que já conquistamos nestes anos”, pontuou.

Conferência

O tema central da conferência é “Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação e Financiamento do SUS”. Os eixos temáticos são: I – Saúde como direito; II – Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS); e III – Financiamento adequado e suficiente para o SUS. A conferência prossegue até sexta-feira (7).

Nesta quinta-feira (6), o eixo Saúde como direito será apresentado pelo secretário de Estado de Articulação das Políticas Públicas, o médico e doutor em políticas públicas Marcos Pacheco. Em seguida, o eixo Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) com a procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa do Maranhão, a deputada estadual e médica Helena Duailibe. Dando continuidade à programação, a secretária adjunta de Assistência à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a assistente social Carmen Lúcia Silva Belfort Pinheiro, apresentará a temática Financiamento adequado e suficiente para o SUS.

Delegados

A conferência estadual elegerá, nesta sexta-feira (7), os 100 delegados maranhenses que representarão o estado na 16ª Conferência Nacional de Saúde, em Brasília (DF), de 4 a 7 de agosto.

Imagem destacada / Secretário de Saúde Carlos Lula discursa durante a abertura do evento / Foto: Julyane Galvão

Professor Luciano Façanha reitera: candidatura a vice-reitor da Ufma é independente

O professor do Departamento de Filosofia e candidato a vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Luciano Façanha, distribuiu uma nota de esclarecimento (veja abaixo) nas redes sociais reafirmando que a sua candidatura não está atrelada a nenhum dos pretendentes à Reitoria da instituição.

“Somos independentes em função da heterogeneidade que nos procurou e ousou ‘projetar’ um horizonte para todos nós. Assim, somos independentes por buscarmos alguma conciliação, sem nunca desrespeitar a força e a necessidade ‘agonística’ do dissenso”, disse Façanha.

Segundo a nota, o candidato a vice-reitor reconhece os méritos e projetos das candidaturas apresentadas à Reitoria, mas não se manifesta vinculado a nenhuma delas.

A Ufma está em fase de consulta para formar a lista tríplice, posteriormente encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro, que vai escolher o futuro reitor.

Na consulta à comunidade universitária – formada por estudantes, professores e servidores técnico-administrativos – os votos para reitor e vice-reitor são desvinculados, ou seja, não formam chapa.

Portanto, as votações de reitor e vice-reitor são independentes.

Leia a nota integral de Luciano Façanha:

Minha candidatura é independente

Por que somos um projeto independente? Somos uma candidatura independente para vice-reitoria não por não reconhecermos os méritos e as possibilidades dos projetos apresentados para o pleito da reitoria da UFMA. Cada qual coloca com propriedade o que pretende fazer pela nossa universidade. Somos independentes porque fomos “provocados” a sermos assim, pois nascemos de uma heterogeneidade de opiniões, gostos, práticas, visões de mundo e, sobretudo, de sonhos. Somos independentes porque fomos acordados pelo “grito” da diversidade de grupos que possuem suas escolhas para a reitoria. Mas que também atentaram para a necessidade de construir uma candidatura para a vice-reitoria. Somos independentes por apreço, respeito e reconhecimento a essa demanda. Somos independentes em função da heterogeneidade que nos procurou e ousou “projetar” um horizonte para todos nós. Assim, somos independentes por buscarmos alguma conciliação, sem nunca desrespeitar a força e a necessidade “agonística” do dissenso. Por fim, somos independentes por termos sido “convocados” pela comunidade acadêmica para nos colocarmos dessa maneira.

Prof. Dr. Luciano Façanha

Candidato a Vice-Reitor da UFMA

Gestão 2019-2023

Diálogo sobre Educação e onda conservadora é o tema da rádio Tambor nesta segunda-feira

“Os ataques à educação no Brasil”.

Este é o tema que os jornalistas Ed Wilson Araújo, Flávia Regina Melo e Emilio Azevedo irão debater, nesta segunda-feira (03/06), no Radiojornal Tambor (agenciatambor.net.br).

Confira o Radiojornal Tambor às 11h no site: agenciatambor.net.br

Acompanhe o Radiojornal Tambor também pelo Facebook:
https://www.facebook.com/agenciatamborradioweb/

Todas as entrevistas do Radiojornal Tambor podem ser acessadas no https://www.mixcloud.com/ag-tambor/

#EducaçãoNãoÉBalburdia
#EducaçãoNaoÉMercadoria
#JornalTambor
#DedoDeProsa

Klíssia Ferreira: trabalho reconhecido na defesa do patrimônio cultural de Bacuri

As polícias Civil e Militar já têm conhecimento de que a dupla franco-brasileira (François-Xavier Pelletier e Magnólia de Oliveira) agiu fora da lei quando usurpou uma vultosa quantidade de objetos arqueológicos de territórios quilombolas em Bacuri, Maranhão.

Veja reportagens aqui e aqui

François-Xavier Pelletier e Magnólia de Oliveira, sem qualquer autorização do Estado brasileiro, burlando a legislação que dispõe sobre trabalho de campo em Arqueologia (Lei nº 3.924, de 26 de julho de 1961; e Portaria nº 07, de 01 de dezembro de 1988), transformaram um sítio arqueológico em cenas de garimpo, no povoado São Félix.

Sítio arqueológico foi escavado pela dupla e virou cena de garimpo

A dupla retirou ilegalmente e transportou centenas de peças metálicas, artefatos de cerâmica e madeira e mostras de solo sem os devidos cuidados. Tudo foi amontoado em uma casa emprestada no povoado Portugal, na periferia de Bacuri, onde residiram até terem de se evadir quando o esquema foi descoberto pela Polícia.

Além das escavações irregulares, a dupla retirou (sem consentimento do dono do terreno) duas peças metálicas de valor histórico e afetivo, no povoado Mutaca, o que deu origem ao mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça

Leia matéria publicada no site do Ministério Público

A primeira medida já foi executada pelas polícias Civil e Militar, mediante ordem judicial, desmontando uma parte do esquema – a casa onde François e Magnólia moravam e armazenavam os objetos arqueológicos retirados dos quilombolas.

Objetos selecionados foram encontrados na casa alugada

Essa dupla deve explicações também ao Ministério Público Federal e ao Iphan e está sendo monitorada pelas autoridades policiais do Governo do Maranhão. Todas essas autoridades estão tomando ciência dos gravíssimos atos irregulares praticados por François & Magnólia.

Ademais, é sempre bom lembrar: a dupla não comprova formação em Arqueologia, não tem diploma nessa área reconhecido em nenhuma instituição brasileira e não possui qualquer pedido formal junto ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para fazer escavações. Portanto, eles agiram fora da lei ao fazer escavações e perfurações irregulares.

Estes dois ongueiros da Homme Nature, inspirados na pilhagem da antiga pirataria francesa, conseguiram enganar várias pessoas, mas não contavam que seriam descobertos e desmascarados. Todos os grandes jornais do Maranhão e as emissoras de rádio e televisão sabem a verdade sobre a expropriação cometida pelos atos fora da lei de François & Magnólia.

Carro utilizado pela dupla foi descoberto em uma garagem na cidade de Bacuri

A revelação sobre a ação da dupla veio à tona graças ao trabalho responsável da historiadora e funcionária da Prefeitura de Bacuri Klíssia Jéssica Fonseca Ferreira. A defesa do patrimônio histórico-cultural e arqueológico de Bacuri tem sido fundamental para a certificação das comunidades quilombolas junto à Fundação Cultural Palmares, mediante pesquisa de campo, relatórios e memoriais.

Se o trabalho de Klíssia Ferreira já era importante para certificar as comunidades perante a Fundação Cultural Palmares, agora deve ser valorizado pelos moradores e gestores públicos de Bacuri.

A ação das autoridades policiais fez evadir de Bacuri o casal François-Xavier Pelletier e Magnólia de Oliveira, as escavações foram interrompidas e novas providências estão sendo tomadas para ir fundo nas investigações, que só começaram.

“Arsenal” de objetos foi encontrado pela Polícia na casa alugada em Portugal

Mas, a repercussão do trabalho de Klíssia Ferreira mexeu nos interesses políticos locais. O desespero diante da interrupção das escavações e revelação dos furtos se manifestou em uma publicação apócrifa na internet para atacar Klíssia Ferreira. Cabe ainda frisar que as ameaças contra ela merecem atenção dos órgãos de Segurança Pública para garantir a sua integridade física.

Sem identificação dos autores, essa publicação assedia e ameaça Klíssia Ferreira e desqualifica até mesmo a Polícia Civil que cumpriu o mandado de busca e apreensão na casa do povoado Portugal.

Certamente, a dupla François & Magnólia, bem como os responsáveis pela publicação apócrifa (sem identificação), devem responder na Justiça pelos seus atos.

Veja abaixo links de reportagens sobre os atos fora da lei de François & Magnólia:

Jornal O Imparcial

Matéria no portal MA10

Matéria no portal Imirante

Repórter policial Silvan Alves

Matéria no Blog Claudio Mendes

Portal TV Guará

Portal Correio MA

Portal icururupu

Celso Borges lança “CarimboCarinho” em novo café e sebo de livros

Projeto reúne 15 poemas curtos do escritor carimbados dentro de uma caixinha 14cm X 20cm com design gráfico de Claudio Lima. Lançamento acontece no próximo sábado, dia 1º de junho, na abertura do Café Guará, no sebo do Chico Discos

CarimboCarinho é o quarto trabalho do poeta maranhense Celso Borges dentro da série de Poéticas Afetivas, livros pequenos feitos em parceria com artistas plásticos, fotógrafos e compositores. O primeiro, A árvore envenenada, com fotografia de Márcio Vasconcelos, foi lançado no final do ano passado. Depois, vieram O Muro e Ponta D’Areia é Ponta D’Areia, com projeto gráfico de Claudio Lima, webdesigner e cantor, que também divide com Celso Borges este trabalho.

“Além de grande intérprete, Cláudio é um excelente artista gráfico. Ele definiu as fontes dos textos dos carimbos e fez ilustrações para todos os poemas. Um trabalho muito sensível e delicado, que dialoga perfeitamente com essa série, que eu chamo de Poéticas Afetivas”, afirma Celso Borges.  

CarimboCarinho tem o apoio da OCA (Oficina de Comunicação e Arte), Ong que atua na área sócio-ambiental e que cedeu um papel especial para a impressão dos poemas, além da gráfica Gwará que confeccionou as caixinhas.  

Até o final do ano, Celso Borges vai lançar outros três livrinhos da série: Nonada, com Cláudio Costa; O Drible, com Fernando Mendonça; e Contramão, com Alex Soares.

Celso Borges tem 12 livros publicados, entre eles Persona Non Grata (1990), Música (2006), Belle Époque (2010) e O Futuro Tem O Coração Antigo (2013). Como letrista tem parcerias com Zeca Baleiro, Chico César, Gerson da Conceição, Nosly, Criolina e Assis Medeiros, entre outros compositores.

CARIMBO CARINHO

Caixa de poemas de Celso Borges

Com projeto gráfico de Cláudio Lima

Lançamento dia 1º de junho, às 17h

Sebo do Chico Discos – Café Guará; esquina da rua dos Afogados com S. João

Manifestações do dia 30 terão mostra de produção científica e prestação de serviços à população

O Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação Pública, organizado pelas centrais sindicais, estudantes e movimentos sociais, vai ocupar as ruas com várias ações em centenas de cidades no país. Em São Luís, a mobilização terá mostra de produção científica, prestação de serviços, lançamento de livros e esclarecimento à população sobre a proposta da reforma da Previdência.

A concentração começa às 9h, na praça Deodoro, com o Ciência na Rua, onde a população poderá visitar a exposição de trabalhos científicos produzidos por estudantes e professores, resultantes dos projetos de pesquisa e extensão. Além da mostra das produções acadêmicas serão ofertados serviços à população, como aferição de pressão arterial e atendimento psicológico .

Quem tiver trabalhos científicos e quiser participar do Ciência na Rua pode fazer inscrição até o meio-dia desta quarta-feira, 29 de maio, clicando aqui

Já são dezenas de trabalhos inscritos para a mostra, que acontecerá na praça Deodoro – mesmo local onde, à tarde, a partir das 15h, acontece a concentração para mais um grande ato em defesa da Educação Pública. Estão inscritos trabalhos de pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão, (Ufma), Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e Instituto Federal do Maranhão (Ifma), além das redes estadual e municipal de educação.

Um dos objetivos do Ciência na Rua é mostrar à população a importância da pesquisa científica para o desenvolvimento do país, combatendo a versão distorcida apresentada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, que acusou as universidades públicas de praticarem “balbúrdia”, referindo-se às atividades culturais em alguns campi do país.

Outra iniciativa do Ciência na Rua será a distribuição de cartilhas para esclarecer a população sobre as medidas que o governo pretende implantar nas novas regras de aposentadoria e coleta de assinaturas para o abaixo-assinado nacional contra a proposta da reforma da Previdência.

A maioria das cidades seguirá roteiro semelhante, com atos públicos, passeatas e distribuição de cartilhas e folhetos explicando as propostas de mudanças na aposentadoria e os cortes na Educação.

A Apruma (Associação dos Professores da Ufma), seção sindical do Andes-SN, está enviado os materiais impressos para vários campi do continente visando compartilhar as informações e colaborar com a mobilização dos docentes e estudantes.

Jornada

O Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação Pública é a segunda mobilização para denunciar os cortes de 30% no orçamento da Educação, determinado pelo governo federal. Em 15 de maio, quando ocorreram as primeiras manifestações, todas as capitais brasileiras tiveram atividades de rua. Cidades de médio porte e pequenos municípios também fizeram manifestações de rua.

No dia 30 de maio, em Imperatriz, principal cidade da região tocantina, a concentração será às 16h30, na Praça de Fátima (Centro), de onde uma grande passeata deve partir até a Beira-Rio. Em Bacabal, na região do Mearim, a concentração será às 15h30, na praça Silva Neto (Armazém Paraíba).

Em São Bernardo, região do Baixo Parnaíba, as atividades começarão às 7h, com concentração na praça de Eventos da cidade e passeata até o Campus da UFMA.

Já em Pinheiro, Baixada Maranhense, a concentração será às 15h, na praça do Centenário.

Buriticupu terá roda de conversa às 9h, panfletagem e exposição de projetos e trabalhos científicos, às 15h, em frente ao IFMA. Às 19h ocorrerá palestra sobre os impactos dos cortes no orçamento a Educação.

Em Timon, a concentração será na praça São José, a partir das 7h.

Servidores da educação e estudantes na cidade de São João dos Patos também já confirmaram adesão às mobilizações

As organizações que coordenam os protestos querem demonstrar a relevância do investimento em Educação Pública. No Brasil, 90% das pesquisas produzidas são feitas em universidades e institutos públicos.

Os dois acontecimentos dos dias 15 e 30 de maio são preparativos da greve geral prevista para 14 de junho, convocada pelas centrais sindicais, movimentos sociais e estudantes.

Rádio Tambor analisa as manifestações da extrema direita

Nesta segunda-feira (27/05), no Radiojornal Tambor (agenciatambor.net.br), Ed Wilson Araújo, Flávia Regina Melo e Emilio Azevedo vão debater sobre a atual mobilização da extrema-direita no Brasil. 

Confira o Jornal Tambor às 11h no site: agenciatambor.net.br

Acesse https://www.mixcloud.com/ag-tambor/ para encontrar programas gravados.

Acompanhe a entrevista também pelo Facebook:
https://www.facebook.com/agenciatamborradioweb/

#JornalTambor
#DedoDeProsa
#ForaBolsonaro

Novas manifestações em defesa da Educação acontecem dia 30 de maio em todo o país

As ruas do país serão novamente ocupadas por atos em defesa da educação pública em 30 de maio, próxima quinta-feira. Entidades estudantis e sindicais estão chamando mobilizações em todo o país para fortalecer a luta contra os cortes de orçamento. O Dia de Lutas também servirá como preparação para a Greve Geral, convocada pelas centrais sindicais para 14 de junho.

Após o sucesso das manifestações de 15 de maio, entidades estudantis e sindicais se reuniram para definir novas ações em defesa da educação. Além de convocar os atos de 30 de maio, as entidades decidiram realizar uma agenda preparatória de mobilização nas próximas semanas, com atividades nas instituições de ensino e aulas públicas na rua.

O Dia de Lutas de 30 de maio foi convocado por Andes-SN, Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Fasubra, Sinasefe, Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico (Fenet), União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

Confira atos já marcados para 30 de maio

São Paulo (SP)

Local: Largo da Batata

Horário: 16h

Rio de Janeiro (RJ)

Horário: 15h

Porto Alegre (RS)

Local: Esquina Democrática

Horário: 18h

Belo Horizonte (MG)

Local: Praça da Estação – Avenida dos Andradas

Horário: 09h

Brasília (DF)

Horário: 10h

Salvador (BA)

Local: Praça do Campo Grande

Horário: 10h

Curitiba (PR)

Local: Praça Santos Andrade

Horário: 18h

Fortaleza (CE)

Horário: 10h

Belém (PA)

Horário: 13h

Recife (PE)

Local: Rua da Aurora

Horário: 15h

Manaus (AM)

Local: Praça da Saudade

Horário: 15h

Natal (RN)

Horário: 10h

São Luis (MA)

Local: Praça Deodoro

Horário: 15h

Fonte: Andes e Brasil de Fato

Elba Ramalho será atração no São João do Maranhão

Faltando menos de um mês para a festa mais esperada do ano, Elba Ramalho está confirmada na programação oficial do São João do Maranhão. A cantora paraibana fará sua apresentação no dia 30 de junho (domingo), às 23h, na Praça Maria Aragão. O show faz parte da programação do São João do Maranhão 2019 realizado pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secma).

No repertório, estão canções que compõem a trilha sonora do período como “Forró de Xenhenhém”, “ Bate coração” e “Eu só quero um Xodó”.

“Grandes nomes da cultura popular nacional e local já estão confirmados na nossa programação do São João do Maranhão, Elba Ramalho está de volta pra trazer sua alegria, sua arte tão conhecida e apreciada por todos”, disse a secretaria adjunta da Secma, Vanessa Leite.

Neste ano o São João do Maranhão terá arraiais oficiais em Imperatriz, de 12 a 15 de junho, e em São Luís, de 19 a 30 de junho no Ipem e na praça Maria Aragão, e dias 21, 22, 28 e 29 de junho na praça Nauro Machado, que também receberá as prévias nos dias 14 e 15 de junho.

Além dos arraiais oficiais, o São João acontece, também, nos bairros da Cidade Operária, João de Deus, Anil, João Paulo, Liberdade, Anjo da Guarda, Largo de Santo Antônio (22 a 29 de junho) e Cohajap (1 a 13 de junho).

Outra atração que faz parte do calendário junino são as festas Encontro de Gigantes, Arraiá do Povo, Arena Pátio Norte, Encontro de Danças Portuguesas e Manifestações Culturais, São Pedro, São Marçal, Encontro de Miolos de Boi e Festival de Zabumbas. Estes eventos também receberam apoio do Governo do Estado.