Dia Mundial do Rádio: entre comemorações e reivindicações

Em 13 de fevereiro é comemorado o Dia Mundial do Rádio, data criada pela Unesco em 2012 para celebrar a primeira transmissão do programa da rádio das Nações Unidas, em 1946.

Desde a origem e ao longo do seu aperfeiçoamento, o rádio é marcado por mudanças tecnológicas e de conteúdo. As transformações mais recentes são a migração das AMs para FMs e o rádio expandido, dotado de múltiplas ferramentas que possibilitam ao público, por exemplo, assistir a um programa ao vivo. Tudo isso pode ser encarado como um processo normal de evolução.

O rádio segue vivo e aperfeiçoando suas potencialidades a cada era. Quanto ao conteúdo, a oferta de música e de outros gêneros de entretenimento na web vai levar o rádio convencional a investir mais em jornalismo, como vem acontecendo nas FMs.

Há também o fenômeno da segmentação de conteúdo e de público nas emissoras na web, além da força das rádios comunitárias, que cumprem um papel importante na comunicação local nos municípios brasileiros.

Essas são algumas tendências que fazem do rádio um meio de comunicação capaz de adaptações e ressignificações.

Com as novas TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) incorporadas ao rádio, alargaram-se as possibilidades de participação da audiência, cada vez mais interativa.

Nesta data especial há muito para comemorar sobre esse importante meio de comunicação e o seu papel social, mas é preciso também chamar a atenção para distorções que ainda persistem no cenário da comunicação.

No caso específico das rádios comunitárias, é fundamental a melhoria da legislação (Lei 9.612, de 1998) em três aspectos: aumento da potência que atualmente é de apenas 25 watts, permissão para as rádios comunitárias veicularem anúncios do comércio local e acesso às verbas publicitárias públicas.

Essas mudanças na lei são fundamentais para proporcionar melhores condições de produção, transmissão e sustentabilidade e tem sido uma constante luta da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço Brasil) e das associações filiadas em cada estado.

No Dia Mundial do Rádio é preciso celebrar e, sobretudo, reivindicar a construção de políticas públicas voltadas para a democratização da comunicação.

Um comentário em “Dia Mundial do Rádio: entre comemorações e reivindicações”

  1. Dia especial ,comunicar e transmitir conhecimento,reconhecer a rádio como um veículo rápido e potente de comunicação faz com que parabenizamos o inventor desta tecnologia e desejar aos comunicadores sabedoria p conduzir esse veículo com exceto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *