Era uma vez o velho abrigo do Centro Histórico de São Luís

Neste 17 de outubro São Luís foi abalada por uma gigantesca britadeira, pondo abaixo o abrigo do Largo do Carmo.

O desmonte é uma das consequências das obras de requalificação na área central da cidade, através do programa PAC Cidades Históricas, que vem fazendo uma espécie de higienização social na cidade.

A derrubada dividiu opiniões.

Saudosistas queriam a permanência do abrigo e repudiaram a decisão da Prefeitura de São Luís.

Outras opiniões apoiaram a eliminação do abrigo. Já escrevi aqui sobre esse assunto.

E reitero: defendo a construção de outro equipamento, no mesmo lugar, em condições ideais de infraestrutura, retornando ao local os comerciantes. Pode ser construção de alvenaria ou até mesmo a réplica de um bonde, assegurado o sustento das famílias que trabalhavam no ambiente demolido.

Antigo Espaço Cultural Mestre Amaral será a Praça dos Poetas

Texto e fotos: Agência de Notícias / Secap / Governo do Maranhão

No Centro Histórico de São Luís, mais precisamente no espaço de sua fundação, encontra-se uma das principais concentrações de belos estilos arquitetônicos. Na esquina da avenida D. Pedro II com a Rua Newton Bello (Montanha Russa), mais uma obra vai compor o cenário. É a Praça dos Poetas, que o Governo do Maranhão pretende entregar até o aniversário da cidade.

No espaço, existiu um sobrado colonial entre o século XIX até meados do século XX, vizinho à antiga casa de Ana Jansen. O sobrado foi demolido e durante algum tempo funcionaram alguns restaurantes que tinham o privilégio da vista panorâmica para o Rio Anil. Com a saída dos restaurantes, o lugar permaneceu abandonado, deteriorado pela ação do tempo, e por último foi ocupado pelo grupo cultural de Tambor de Crioula do Mestre Amaral.

Mestre Amaral / divulgação / capturada aqui

“A valorização dos espaços públicos tem sido marcante no Governo Flávio Dino, e a Praça do Poetas é mais um investimento para a transformação das cidades”, ressaltou o secretário de Estado da Cultura, Anderson Lindoso.

A Praça contará com um mirante e, no trajeto até ele, serão homenageados 10 escritores e poetas maranhenses. Ferreira Gullar, Catulo da Paixão Cearense, Nauro Machado, Sousândrade, Bandeira Tribuzzi, José Chagas, Gonçalves Dias, Maria Firmina, Dagmar Destêrro e Lucy Teixeira.

Vista panorâmica da Praça dos Poetas (Foto: divulgação)

O espaço terá, ainda, quiosques, banheiros públicos e tratamento paisagístico, além de detalhes arquitetônicos que remontam o colonial e o moderno.

“A área construída de 1.130m² buscou traçar linhas de cobertura singelas a fim de não carregar e obstruir a vista da cidade, buscando uma releitura entre a arquitetura colonial e a modernista”, informou Eduardo Longhi, arquiteto e superintendente de Patrimônio Cultural, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Cultura.

A obra integra o Programa Nosso Centro, do Governo do Estado, e faz parte de um amplo programa de requalificação da cidade antiga, por meio de ações como o Programa de Revitalização do Centro Histórico da Prefeitura de São Luís, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e o PAC Cidades Históricas, do Governo Federal/IPHAN.