Bob Marley era fã do Santos e jogou bola com Chico Buarque

O programa Música Futebol Clube, criado e apresentado pelo jornalista Fábio Cabral, vem se destacando pela qualidade das informações e formato agradável de assistir.

Neste episódio ele revela a paixão do ídolo do reggae, Bob Marley, pelo futebol e especialmente pelo Santos, time de Pelé.

Marley amava o time santista e o futebol brasileiro, mas nunca chegou fazer um show aqui. Ele veio ao país uma só vez para fazer o lançamento do selo de uma gravadora e acabou visitando Chico Buarque, com quem jogou uma pelada no famoso campo Politeama.

Assista ao vídeo.

Imagem destacada capturada neste site

Conheça a rádio comunitária Mocidade FM, em Serrano do Maranhão

Neste vídeo conversamos com o radialista Donato Duran, locutor da rádio comunitária Mocidade FM, a única emissora do município de Serrano do Maranhão, localizado no litoral ocidental, na região também conhecida como Floresta dos Guarás.

Donato Duran fala sobre a importância da rádio no município, a interação com os ouvintes, a prestação de serviços e o entretenimento proporcionado pela emissora.

Veja o vídeo.

Imagem destacada: o presidente da Abraço Maranhão, Ed Wilson Araújo, Donato Duran e o engenheiro Fernando Cesar Moraes em visita à rádio comunitária Mocidade FM

Prazo prorrogado! IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia recebe resumos até 10 de fevereiro

Foi prorrogado para o dia 10 de fevereiro o prazo de envio de resumos expandidos ao quarto Simpósio será realizada em São Luís

A Comissão organizadora do IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia, que acontecerá de 3 a 5 de abril, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), prorrogou o prazo para submissão de trabalhos (resumos expandidos). Até o dia 10 de fevereiro de 2019, os interessados poderão enviar trabalhos para a quarta edição do evento, que selecionará resultados finais ou parciais de projetos de pesquisa em nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, assim como relatos de experiência de pesquisas artísticas e midiáticas.

O Simpósio é promovido pelo Núcleo de Pesquisa e Produção de Imagem (Nuppi) com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) e traz como tema central “Imagina(R)Existências”. Através dessa temática busca-se promover o debate sobre as resistências, imagens e iniciativas que com seu acontecer reafirmam a variabilidade de existências possíveis e que acabam muitas vezes por se contrapor às visibilidades e narrativas predominantes nos meios midiáticos e artísticos.

Compõem a programação do evento pessoas de referências do campo da comunicação social e das artes. Dentre eles já estão confirmadas: Rosana Paulino, Miro Spinelli, Rosane Borges, Cíntia Guedes, Genilson Guajajara e Antônio Bispo. A conferência de abertura será ministrada pela artista e doutora Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), Rosana Paulino. A obra de Paulino caracteriza-se por abordar temáticas ligadas a questões sociais, étnicas e de gênero e tem encontrado destaque e repercussão no cenário artístico nacional. Seus trabalhos têm como foco principal a posição da mulher negra na sociedade brasileira e os diversos tipos de violência sofridos por esta população decorrente do racismo e das marcas deixadas pela escravidão.

Durante o Simpósio, além de palestras, mesas redondas, oficinas, exibição de filmes, atividades culturais e artísticas, também serão realizadas as reuniões dos Grupos de Trabalho (GTs) do evento. Os Gts, coordenados por pesquisadoras e pesquisadores de diferentes instituições do Brasil, configuram-se como um espaço favorável à troca e reflexão sobre diversas temáticas emergentes na intersecção entre arte e mídia.

A submissão de trabalhos pode ser feita no formato de resumo expandido, de 2 a 5 páginas, que deve ser enviado para o e-mail coletivonuppi@gmail.com até 10 de fevereiro. Poderão ser submetidos resultados finais ou parciais de projetos de pesquisa em nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, assim como relatos de experiência de pesquisas artísticas e midiáticas. Outras informações sobre o processo de submissão de trabalhos acessem http://simposioartemidia.ufma.br . Confira abaixo a lista dos Grupos de Trabalho e suas ementas:

GT 1 – Estética, mídia e cultura – Metodologias de pesquisas em mediações culturais. Arte e cultura popular. Folkcomunicação. Artivismo e ação cultural. Cultura das mídias. Memória e patrimônio cultural.

GT 2 – Arte contemporânea e o contemporâneo das artes – Estados e Estudos Contemporâneos das Artes. Artes Integradas e Sociedade Contemporânea Fragmentada. História Social da Arte. Ensino das artes e da cultura visual. Pensamentos emergentes sobre processos criativos e artísticos como existência e resistência.

GT 3 – Fotografia, cinema e vídeo – Tecnologias, linguagens e estéticas fotográficas e audiovisuais. Narrativas: hibridismo e transmidiação. Visualidades e visibilidades contemporâneas. Videoarte. Fotografia artística. Usos sociais e cotidiano das imagens técnicas. Suportes e materialidades.

GT 4 – Redes Sociais, Mídias Digitais e Economia das imagens – Economia e Política das imagens. Midiativismo. Cultura Visual e partilha em rede. Arte, design e comunicação visual. Curadoria digital. Arquivos e apropriações.

GT 5 – Corpo, arte e mídia – Teatro e os desafios da narrativa. Performance: corpo, memórias e tecnologias. Corpo instalação. Intervenções urbanas: o corpo e a cidade. O corpo e os invisíveis. Corpo e conflito. Corpo e imagem. Corpo e gênero. Corpo e racialidade.

GT 6 – Palavra, imagem e som – Música e mídia sonora. Rádio, podcast, streaming e compartilhamento. Trilha sonora, som ambiente, sonoplastia e ruído no audiovisual. Audiodescrição. Arte Sonora. Literaturas expandidas. Poesia visual e sonora. Linguagens poéticas e mídias. Palavra e performance. Literaturas e artes visuais.

Calendário dos GTs

Envio de resumos – 10 de fevereiro

Aceite dos resumos – 25 de fevereiro

Serviço

O que

IV Simpósio Nacional de Arte e Mídia

Quando

03, 04, 05 de abril de 2019

Onde

Universidade Federal do Maranhão e Instituto Federal do Maranhão

Artistas nas rádios comunitárias: o talento musical de Lucas Brenner, da Bacuri FM

José Lucas, diretor da Abraço Maranhão e da rádio comunitária Bacuri FM, tem múltiplas habilidades. É radialista, pedreiro, eletricista e carpinteiro, entre outras profissões, mas se destacou também na música, onde é conhecido pelo nome artístico de Lucas Brenner.

No início dos anos 1990, quando ainda era muito difícil gravar um CD, ele superou todas as dificuldades e emplacou a música “A garçonete” no seu primeiro disco, intitulado “Eu e você”.

A segunda produção foi o CD “Sonhos de Primavera” e depois veio o terceiro disco, lançado apenas nas redes sociais. Na família de Brenner tem ainda o talento do seu irmão, José Raimundo, líder da banda ZN, bastante requisitada na região de Bacuri e Cururupu.

Lucas Brenner é cantor e compositor. Suas músicas caminham na trilha do brega e do arrocha, mas têm muita influência percussiva. “Gosto muito de botar um tambor”, frisou Brenner.

O tambor de crioula, marcante na musicalidade maranhense, está muito presente na Baixada e no Litoral Ocidental, onde ainda resistem muitas tradições remanescentes das comunidades quilombolas.

Essa influência sonora junta-se ao carimbó de Pinduca e faz uma mistura sonora interessante na fronteira entre o Maranhão e o Pará.

As rádios comunitárias cumprem um papel fundamental na divulgação dos artistas populares que não têm acesso aos grandes meios de comunicação.

Imagem / Ed Wilson Araújo: Em visita à rádio Bacuri FM, o engenheiro Fernando Cesar Moraes aprecia o trabalho musical de Lucas Brenner

Alumar emite nota e garante que as lagoas de lama vermelha não oferecem riscos em São Luís

Por meio da sua Assessoria de Imprensa, a Alumar divulgou um comunicado garantindo que as ARBs (Áreas de Resíduos de Bauxita) não oferecem riscos de vazamento.

O comunicado foi enviado ao blog após a publicação do texto que cobra uma intensa fiscalização nas instalações na multinacional, principalmente nas lagoas de lama vermelha, onde estão depositados os resíduos.

Em sua justificativa, a Alumar informa que opera “dentro dos mais altos padrões internacionais” de segurança e alinhada às agências ambientais e regulatórias.

Apesar do esclarecimento da empresa, o blog mantém a proposta de ampla fiscalização dentro das instalações da fábrica, envolvendo uma força-tarefa de parlamentares, Ministério Público, Governo do Estado e Ibama.

As ARBs são conhecidas pela designação de lagoas de lama vermelha, coloração resultante do refinamento da bauxita, durante o processo de produção da alumina.

“Todas as ARBs possuem a parte interna (taludes e fundo)  impermeabilizados com sistema composto por três barreiras de proteção”, garante a Alumar.

Segundo o comunicado, a multinacional possui sete áreas de Disposição de Resíduos de Bauxita, Desse total, três já foram fechadas e reabilitadas.

Veja abaixo o comunicado integral.

O Consórcio de Alumínio do Maranhão – Alumar – formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto e South32 opera dentro dos mais altos padrões internacionais. Trabalhamos alinhados às várias agências ambientais e regulatórias, incluindo as Secretarias do Meio Ambiente no sentido de garantir excelência operacional e evitar riscos.

A Alumar foi planejada e implantada com modernas tecnologias e mantém o seu sistema em conformidade com as suas políticas de saúde, segurança e meio ambiente.

Sobre as ARBs

As Áreas de Resíduos de Bauxita nascem de minuciosos projetos de engenharia e são construídas com alto controle de qualidade, a fim de garantir a sua operacionalização, sem oferecer riscos.

O ciclo de vida das ARBs envolve projeto, construção, operação e reabilitação. Todas as etapas passam por processo de monitoramento, para garantir a integridade estrutural das áreas.

As ARBs são áreas especialmente construídas para a atividade de disposição do resíduo alcalino oriundo do processo de refinamento da bauxita, minério de cor avermelhada, para obtenção de Alumina, e são dimensionadas com base na produção da Refinaria, na geração de resíduo e no balanço hídrico da planta. Atualmente, a produção de Alumina é de 3,7 milhões de toneladas por ano.

As ARBs são formadas pelos Sistema de Contenção, Sistema de Impermeabilização e Sistema de Drenagem de Fundo. Este método construtivo não utiliza o próprio resíduo como material de construção e sim o solo local, conforme investigação geotécnica realizada para a implantação de cada área. Tais diques possuem altura máxima de 25 m.

Todas as ARBs possuem a parte interna (taludes e fundo)  impermeabilizados com sistema composto por três barreiras de proteção.

Adicionalmente, um fator muito relevante é a presença de sistemas de drenagem de fundo, cuja função é aliviar a pressão hidrostática no interior das áreas. Tal pressão é monitorada através de piezômetros elétricos.

A Alumar possui sete áreas de Disposição de Resíduos de Bauxita. E destas, três já foram fechadas e reabilitadas.

Aplicando os melhores recursos tecnológicos e as mais rigorosas normas de engenharia do mundo, a Alumar, em parceria com a UFMA, tem desenvolvido pesquisas para a transformação sustentável do resíduo.

Imagem: jornal O Imparcial

Bicicleta recebe grupo Revelação do Samba em mais uma prévia do pré-Carnaval

Samba da Feirinha, Philippe Carirú (Samba na Fonte) e Mariana Rosa fazem juntamente com a Bicicletinha a 3ª festa do samba na Arena Bicicletiana

O Circuito da Bicicletinha ganhou mais atrações para a sua 3ª prévia da temporada que está recheada de atrações. Em mais um final de semana, que promete arrepiar o espaço glamoroso do samba maranhense, vozes de diversos projetos culturais e agremiações carnavalescas, como Samba da Fonte e Companhia Barrica, irão agigantar o ambiente criado na Arena Bicicletiana, e presentear o público com umas das mais admiráveis produções de samba popular dos últimos anos no cenário da capital, o Samba da Feirinha que reúne há anos incríveis sambistas na área interna da Feira da Praia Grande (Casa das Tulhas) nas tardes de sábado com uma galera do famoso samba de roda da capital.

A festa, que promete engrandecer ainda mais esse projeto musical momesco, idealizado para reverenciar o samba, as marchas e os frevos carnavalescos, chega à sua terceira edição, trazendo para o Circuito da Rua do Egito grupos e sambistas que compõem a cena do samba na capital maranhense.

A Bicicleta do Samba, como anfitriã do projeto que há 9 (nove) anos movimentando o pré-carnaval de São Luís, faz as honras da casa e abre  mais uma edição a partir das 18h, com o melhor do samba nacional e regional, vivenciando também os antigos carnavais com marchas e sambas enredos que fizeram sucessos em outras décadas.

No repertório variado de sambas que marcaram inúmeras gerações e fizeram a cabeça dos amantes da boa música, composições de nomes como Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Agepê, Gonzaguinha, Benito de Paulo, Cartola, Chico Buarque, Arlindo Cruz, Nelson Sargento, Zeca Pagodinho, Candeia, João e Diogo Nogueira, Pixinguinha, Bezerra da Silva, Alcione, Ivone Lara, Beth Carvalho, Laci Brandão.

Na leva de artistas maranhenses, composições de monstros sagrados como Cristovão Alô Brasil, Lopes Bogéa, Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Joãozinho Ribeiro, entre outros.

Os sambas enredos ganham força na Bicicletinha do Samba onde são relembrados sucessos cariocas e maranhenses como: “Aquarela Brasileira” e “Bumbum PaticumbumPrugurudum” – Império Serrano; “Bahia de Todos os Deuses”, “Pega no Ganzé” e “Peguei o Ita” – Salgueiro; “A Criação do Mundo na Tradição Nagô” – Beija Flor; “O Amanhã” – União da Ilha do Governador e “Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite” – Portela como recordação carioca.

Das relíquias maranhenses, destaque para as eternas maravilhas cantadas, entre “Haja Deus”, “Foi Dã que deu origem a Daomé”, “O Circo” – Flor do Samba; “Praia Grande”. “Sublime Mãe Senhora” – Turma do Quinto;“50 Anos – Mangueira”, “Meu São José de Ribamar” – Pirata do Samba, dentre outras escolas de sambas como: Favela do Samba, Unidos de Fátima e Marambaia.

As marchinhas que fizeram sucessos no passado dão o tom dos antigos carnavais das décadas de 70 e 80, onde são cantadas perolas com: “Jardineira”, “Se Você Fosse Sincera”, “Aurora”, “As Pastorinhas”, “Mascará Negra”, “Até Quarta-Feira”, “Ta – Hi”, entre outras. Os Frevos pernambucanos mostram a força do carnaval nordestino, entre eles:“Vassourinha”, “Frevo Mulher”, “Banho de Cheiro”, “Voltei Recife”, “Festa no Interior”, “Me segura senão eu caio”, numa mostra da musicalidade brasileira, principalmente nas festas carnavalescas.

Atrações

Samba da Feirinha – O projeto do Samba da Feirinha teve início há 14 anos nas noites de sextas-feiras no Bar Senzala, na Praia Grande, o grupo começou de um encontro de amigos que se reuniam apenas para um encontro casual. A tradição durou longos anos, até que os sambistas receberam um convite do proprietário do Bar Proteção de São José para uma aparição dentro do espaço da feira, daí essa tradicional roda de samba se manteve viva ganhando um grande público, principalmente admirada pelos turistas que visitam São Luís e conhecem o projeto. Na formação: João – Cavaco e voz; Robertinho – Banjo e voz; Francinaldo – Pandeiro e voz; Fábio – Tantan de marcação e voz; Moíses – Tantan e voz e Josias – Repique de mão, Reco-reco e voz.

Mariana Rosa – Natural de São Luís, Mariana Rosa reside na cidade de São José de Ribamar. Estreou no cenário musical em 2005, quando participou do musical “Auto de Natal” com Direção Musical de José Pereira Godão e Direção Técnica de Tácito Borralho.

Atualmente integra a Companhia Barrica e realiza trabalhos com interpretações de clássicos da música brasileira, cantando sambas, xotes e em especial músicas populares maranhenses. A artista participa de backing vogal em shows de artistas locais.

Cantora maranhense que vem se destacando no cenário musical com sua voz aguda e singular afinação, Mariana passeia por um repertório irretocável da MPB. Com apresentações sempre bem recebidas pelo público.

Philippe Carirú (Samba na Fonte) – Idealizador do projeto Samba na Fonte, o músico Philippe Carirú é nascido no Bairro do Desterro. Desde cedo começou a se dedicar a música, tendo no pandeiro seu principal parceiro das rodas de sambas.

O projeto Samba na Fonte surgiu em 2001, criado pelo artista que conhece o ponto turístico desde a infância e viu com o passar dos anos, o local sendo aos poucos esquecido. Começamos a limpar a fonte, junto com músicos, moradores, produtores culturais e deu certo, porque as pessoas começaram a vim de outros lugares. Elas perceberam que o Centro não é aquele lugar perigoso e hoje o projeto está consolidado.

Philippe já viajou o Nordeste realizado pesquisas de campo com os mais diversos ritmosda cultura nordestina brasileira, hoje vem realizando este projeto que valoriza a música principalmente maranhense e enaltece os logradouros de uma cidade rica em seu patrimônio histórico e cultural.

Fotos: Gilson Ferreira

Quilombola de Matinha participa do concurso Miss Maranhão 2019

Pricila Aroucha Pinheiro representa o município de Matinha no maior concurso de beleza do estado, o Miss Maranhão Be Emotion 2019.

O concurso acontece no próximo dia 8 de fevereiro, no Teatro Zenira Fiquene, na Faculdade Pitágoras, a partir das 20 horas, e vai escolher a representante do Maranhão para a etapa nacional.

Aos 21 anos, nascida na comunidade quilombola conhecida como ‘Os Paulos’, Pricila é filha de João Damascena e Eliete Aroucha. Ela estuda Direito e Teatro, concorre pela primeira vez e tem um sonho de realizar o concurso na cidade de Matinha, na região da Baixada Maranhense.

Pricila é orgulho de Matinha

Na expectativa para a participação da jovem matinhense no concurso, a população da cidade organizou um evento local para prestigiar a filha ilustre – o I Desfile da Beleza Negra, onde ela foi a grande homenageada por representar a cidade na competição estadual.

Considerado o maior concurso de beleza do país, o Miss Brasil Be Emotion irá revelar a mulher mais bonita do Brasil, com a participação de representantes dos 26 estados mais o distrito federal.

Fotos: Blog do Jailson Mendes

Sindicato dos Bancários realiza encontro no próximo sábado

Com o tema “Por nenhum direito a menos, vamos à luta”, o Sindicato dos Bancários do Maranhão convida a categoria para o I Encontro Estadual 2019, que será realizado sábado (26 de janeiro), das 8h às 17h, na sede administrativa do sindicato, na rua do Sol, Centro de São Luís.

Na ocasião, será discutido o cenário político-econômico do Brasil após as eleições de 2018, além de estratégias de luta contra os ataques do futuro governo Jair Bolsonaro, como a reforma da previdência, a criminalização dos movimentos sociais, as privatizações das empresas públicas e a retirada de direitos dos trabalhadores. 

Para os bancários do interior do estado será disponibilizada hospedagem nos alojamentos do sindicato, assim como o ressarcimento das despesas com transporte (passagem de ônibus) e alimentação.

RicoChoro ComVida Pra Luta encerra temporada com um grande encontro neste sábado

Primeira temporada de evento realizado na sede social dos Bancários terá dj Vanessa Serra, Trítono Trio, Zeca do Cavaco e a participação especial de Chico Saldanha

Zeca do Cavaco encerrará a primeira temporada do projeto RicoChoro ComVida Pra Luta, produção de RicoChoro Produções Culturais e Eurica Produções Artísticas, realizada na sede recreativa do Sindicato dos Bancários (Av. General Arthur Carvalho, nº. 3.000, Turu), inspirada em RicoChoro ComVida na Praça – a exemplo deste, também com entrada franca e aberto ao público em geral.

No repertório, a voz e o cavaquinho – de quem toma emprestado o sobrenome artístico – de Zeca passearão por um repertório de sambas de autores maranhenses, a começar por Cesar Teixeira – que chegou a ser anunciado como atração, mas cancelou a participação por motivo de força maior –, além de clássicos da música brasileira, da lavra de compositores de sua predileção, entre os quais figuram Cartola, Geraldo Pereira, Noel Rosa e Paulinho da Viola.

Chico Saldanha terá participação especial na noite. Foto: Francisco Colombo

Zeca do Cavaco terá como convidado especial o cantor e compositor Chico Saldanha, em uma noite que promete um encontro de duas trajetórias estreitamente ligadas ao Choro no Maranhão: nos anos 1970, Saldanha foi um dos fundadores do Regional Tira-Teima, mais antigo grupamento de Choro em atividade no Maranhão, que já teve Zeca entre seus integrantes, na formação que gravou o disco de estreia do grupo, “Gente do Choro”, em 2016.

O grupo anfitrião da noite será o Trítono Trio, saudado pelo compositor Cesar Teixeira, jornalista de profissão, como “o menor e melhor regional de Choro em atividade em São Luís”. O grupo é formado por Israel Dantas (violão), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho) e Rui Mário (sanfona). O repertório do grupo foge do óbvio, misturando Astor Piazzolla, Dominguinhos, Egberto Gismonti, Ernesto Nazareth e Severino Araújo, entre outros mestres.

A DJ da noite é Vanessa Serra, que apesar do curto tempo de carreira, já tem seu nome consolidado entre as melhores do ramo. Colecionadora inveterada de vinis desde a adolescência, seu acervo vem crescendo, fruto de pesquisas e do convívio no meio. Já desfilou seu talento e repertório em eventos como RicoChoro ComVida na Praça, Lençóis Jazz e Blues Festival, Festival BR-135 e Semana Internacional de Música (SIM, em São Paulo).

Serviço

O quê: RicoChoro ComVida Pra Luta

Quem: dj Vanessa Serra, Trítono Trio e Zeca do Cavaco. Participação especial: Chico Saldanha

Onde: sede recreativa do Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb/MA, Av. General Arthur Carvalho, nº. 3000, Turu)

Quando: dia 26 de janeiro (sábado), às 19h

Quanto: gratuito e aberto ao público

Outras informações: facebook.com/ricochorocomvida

Abraço mobiliza rádios comunitárias na região da Floresta dos Guarás

Dirigentes e radialistas das emissoras comunitárias Portal dos Lençóis (Apicum-Açu), Bacuri FM (Bacuri), Mocidade FM (Serrano), Alvorada FM (Cururupu), Porto Rico FM (Porto Rico) e Rio Uru FM (Mirinzal) participaram do I Encontro da Região Baixada Litoral, na área também conhecida como Floresta dos Guarás.

O evento foi realizado em Bacuri, na Escola Estadual Cristino Pimenta, sob a coordenação da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço) no Maranhão.

Durante o evento houve palestra sobre o papel da Abraço no processo de organização das emissoras comunitárias e temas relacionados à burocracia jurídica e tecnológica exigidos para a regularização das rádios.

Pela direção da Abraço Maranhão participaram o presidente Ed Wilson Araújo e o diretor da Coordenação Jurídica e Estudos Sócio-Econômicos, Fernando Cesar Moraes de Jesus. O consultor jurídico, advogado Fernando Câmara, orientou os dirigentes sobre a legislação pertinente ao serviço de radiodifusão comunitária.

A participação das mulheres nas rádios comunitárias teve um momento especial em que as radialistas falaram sobre os desafios e as qualidades das mulheres como produtoras, apresentadoras e gestoras das emissoras.

Ao longo do dia os participantes expuseram a situação de cada emissora, informaram o perfil da grade de programação, levantaram as conquistas e dificuldades vivenciadas no dia a dia e tiraram dúvidas sobre aspectos jurídicos e técnicos.

No final do encontro a delegação da Abraço Maranhão visitou várias emissoras da região, fazendo registros fotográficos para divulgar as rádios e verificar de perto a situação dos equipamentos e o desempenho dos apresentadores.

Segundo a avaliação geral dos participantes, o encontro serviu para conhecer melhor a Abraço e entender de forma detalhada a burocracia jurídica e técnica que rege as emissoras.

Agência Tambor

O encontro serviu também para divulgar a Agência Tambor e Rádio Web Tambor como parceiras das rádios comunitárias. Criada em março de 2018, a rádio produz e distribui de segunda-feira a sexta-feira o Jornal Tambor, veiculado na internet, das 11h às 12h, com a participação de um(a) entrevistado(a).

Todo o conteúdo do Jornal Tambor é disponibilizado para as emissoras comunitárias, inclusive as entrevistas, sempre focadas em temas e convidados vinculados à valorização da democracia, direitos humanos, lutas do povo, esporte e cultura.

Além do jornal, apresentado ao vivo, a Agência Tambor iniciou a distribuição de notícias para as rádios comunitárias.

O próximo passo da Agência Tambor é formar uma equipe de repórteres das rádios comunitárias para enviar notícias dos municípios para serem veiculadas no Jornal Tambor.

Veja imagens do evento.

Lanna, Jeniffer e Rose: mulheres do rádio
Luis do Chocalho, Celso e Lana, da rádio Portal dos Lençóis, de Apicum-Açu
Engenheiro Fernando Cesar Moraes
Visita à rádio Alvorada, em Cururupu
Comida caseira no almoço de dona Miruca
Momento descontração: Lanna e Fernando
Ed Wilson, Donato Duran, Celso e Lanna