Uemasul desenvolve projeto de extensão que beneficia idosos

Segundo o Ministério da Saúde, hoje, no Brasil, os idosos representam 14,3% dos brasileiros, um total de 29,3 milhões de pessoas, e, em 2030, deve superar a quantidade de crianças e adolescentes de zero a 14 anos. O Maranhão, por sua vez, possui 8,3% de idosos, um total de 567.667 pessoas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE-2020). A longevidade e o envelhecimento da população têm grandes impactos em todos os setores da economia, principalmente na saúde, o que demanda uma atenção especial na oferta de serviços públicos e cuidados básicos, proporcionando uma vida mais digna para os idosos e idosas.

Pensando nessa faixa etária da população, nove acadêmicos e acadêmicas da primeira e segunda turmas do curso de Medicina da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) desenvolvem o projeto “Meu velho amigo”, coordenados pela preceptora enfermeira Sônia Gusmão. O projeto teve início no semestre 2021.2 e será desenvolvido por tempo indeterminado, abordando as necessidades dos idosos em relação aos atendimentos de saúde, bem-estar e outros cuidados, por meio da socialização. Além de recolher dados antropométricos, são aferidas a pressão, glicemia capilar e saturação. Também são realizadas dinâmicas para estimular a atividade psicomotora e servidos lanches para que seja não só um dia no qual se recolhem dados de saúde, mas, um dia especial para se promover a saúde, principalmente a psicológica.

Em Imperatriz, grande parte da população idosa vive em situação de vulnerabilidade social. As ações do projeto irão estabelecer vínculos de confiança que permitam a troca de saberes médicos ou empíricos. O projeto contempla a quantidade de 30 idosos, e inicialmente estão sendo atendidos os moradores do Conjunto Vitória, que frequentam a Unidade Básica de Saúde (UBS) da comunidade. As ações são realizadas uma vez por mês, em conjunto com os funcionários da UBS, que possui uma alta demanda no atendimento a pacientes idosos. A parceria garante que os atendimentos sejam realizados de forma holística, observando-se as necessidades psicossociais de cada paciente. Posteriormente, as ações serão realizadas em outros bairros.

A estudante Luiza Nascimento Soares Linhares falou sobre a satisfação em fazer parte do projeto de extensão. “É extremamente gratificante participar de um projeto que visa auxiliar na qualidade de vida dos idosos. O sentimento de poder ajudar, conversar e acompanhar o grupo é de grande felicidade, porque nessa primeira ação foi percebido que muitos deles só precisam de uma escuta, de uma troca. Uma vez que nosso intuito é fortalecer os laços com eles e colocar em prática os valores chave do projeto que são cuidado e amor”, pontuou.

O projeto cumpre as diretrizes previstas no Projeto Pedagógico do Curso (PPC) e as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Medicina, dentro do eixo Extensão, Ensino e pesquisa e Educação, promovendo ações educativas em saúde, estimulando a formação de profissionais humanizados e reforçando as ações da extensão, com efeitos a curto, médio e longo prazos.

Extensão

Estudantes fazem atendimento dos idosos

O desenvolvimento de políticas de extensão universitária é um instrumento indispensável ao funcionamento e dinamismo das instituições de ensino superior. Por meio dos projetos de extensão se disseminam conhecimentos científicos, artístico-culturais e tecnológicos, promovendo a aproximação e a troca entre universidade e comunidades locais e regionais. Além disso, as ações extensionistas promovem a formação técnica/profissional dos alunos e contribuem para o desenvolvimento da Região Tocantina do Maranhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.