Maranhão 2022: pesquisas, torcidas e indefinição

As sondagens pré-eleitorais são importantes instrumentos de mensuração do movimento de opinião acerca das candidaturas.

Feitas por institutos confiáveis, servem para monitorar a disputa e montar as estratégias dos contendores.

No cenário nacional, as sucessivas pesquisas apontam uma polaridade entre o campo democrático-popular representado por Lula (PT) e a extrema direita arrastada no laço por Jair Bolsonaro (PL).

Já no Maranhão, diversos institutos vêm divulgando levantamentos em circunstâncias diferentes do cenário nacional, onde a polaridade está nítida.

Aqui, o grande bloco de apoio ao governador Flávio Dino (PSB) dividiu-se em duas candidaturas muito parecidas, ambas aglutinadoras do campo conservador.

Embora configurem aparentemente um racha, os dois nomes nasceram do mesmo útero político pela inseminação artificial do Palácio dos Leões: Carlos Brandão (PSDB, a caminho do PSB), candidato do governador Flávio Dino (PSB); e Weverton Rocha (PDT), suposta dissidência governamental.

Na terra onde o padre Antônio Vieira pregou, há pesquisas para todos os gostos, clientes/contratantes e torcedores.

Ocorre que, diferente do cenário nacional, a disputa no Maranhão ainda está muito indefinida, dependendo de tantas variáveis que é impossível, nesse momento, apontar uma tendência em vias de consolidação.

Eis algumas variáveis que tornam o quadro local incerto:

– a federação não é fato consumado entre PT, PSB, PCdoB e outras legendas;

– o apoio oficial de Lula a Carlos Brandão ou Weverton Rocha está longe de uma definição;

– a máquina do Palácio dos Leões ainda não entrou em campo para valer e isso só vai ocorrer quando Carlos Brandão assumir a chave do cofre, em 1º de abril;

– ainda há margem para uma terceira via local, que pode até ser uma candidatura da extrema-direita;

– o eleitorado ainda não está suficientemente esclarecido sobre as candidaturas, apenas motivado pelas pesquisas;

Portanto, são precoces as análises no calor da hora presente.

Reitero a importância das pesquisas, mas é cedo para sentir uma tendência predominante.

O que há, no momento, é torcida de todos os lados, cada qual incensando os seus nomes e destronando os adversários, algo típico das paixões.

No mais, está tudo indefinido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.