Mural presta homenagem a Francisco Naiva, fundador do bumba meu boi de Axixá

Nesta segunda-feira, dia 24, a equipe do projeto “Amo, Poeta e Cantador” desembarca na cidade de Axixá, a aproximadamente 100 Km da capital maranhense, para iniciar a confecção do seu segundo grande ‘Mural da Memória’, de um total de 10 que o projeto fará neste ano de 2021.

A homenagem, dessa vez, é ao músico, poeta e compositor Francisco Naiva, fundador do Bumba meu Boi de Axixá, o mais antigo boi de sotaque de Orquestra da Região do Munim.

Personalidade reconhecida no meio artístico e cultural do estado do Maranhão, Francisco Naiva partiu em 2013, aos 81 anos, mas deixou um grande legado – afirma sua filha Leila Naiva, que atualmente comanda o Bumba meu Boi de Axixá, mantendo vivas as tradições e também a ‘mesma paixão’, assegura, que o pai tinha pela brincadeira.

“Sem amor e dedicação não dá pra fazer bem feito. A batida única do sotaque de Orquestra do Boi de Axixá está na minha alma. E, assim como o meu pai, Francisco Naiva, tenho me esforçado para que o Boi de Axixá não perca a sua essência. Quero manter vivo o nome e o legado dele”, fala Leila Naiva, que, atualmente, também é secretária de Cultura e Turismo do município de Axixá.

O ‘Mural da Memória’ em homenagem ao mestre Francisco Naiva será confeccionado entre os dias 24 e 27 de maio, no muro da sede do Bumba Boi de Axixá, às margens da MA 402, no sentido de quem segue para a região dos Lençóis Maranhenses e para Rota das Emoções, que leva a Barreirinhas, Tutóia, Fortaleza, e outras cidades turísticas do nordeste brasileiro.

O primeiro mural graffitado este ano pelo artista Gil Leros, nesta nova etapa do projeto “Amo, Poeta e Cantador”, foi no Centro de Saúde do bairro da Liberdade, entre os dias 19 e 23 de abril. O homenageado foi o mestre Leonardo, fundador do Boi da Liberdade, de sotaque de Zabumba. Além de São Luís e Axixá, serão construídos ‘Murais da Memória’ em Cururupu, Barreirinhas, Guimarães, Viana e São José de Ribamar.

Paralelamente à confecção dos murais, imagens estão sendo captadas para a produção de um documentário, que vai contar a história, tradição, trajetória, sotaques, e falar também sobre as grandes personalidades do Bumba meu Boi do Maranhão. O projeto é uma realização do Bumba meu Boi da Floresta, com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Benfeitoria e do Sitawi.

Imagem destacada / artista Gil Leros registra homenagens em várias cidades do Maranhão / divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.