Projeto Conexão Cultural dá fôlego financeiro a mais de 600 artistas em tempos de pandemia

No dia 18 de março, um dia antes de decretar situação de calamidade pública no Maranhão por conta da pandemia do novo coronavírus, o governador Flávio Dino anunciou em suas redes sociais um edital de apresentações via internet para apoiar artistas, já que o setor cultural foi um dos primeiros a parar por força da pandemia. 

Surgia ali o projeto Conexão Cultural. A iniciativa foi a solução encontrada para movimentar a economia criativa do Maranhão em tempos de distanciamento social. A ideia deu tão certo que no dia 4 de abril foi lançado um novo edital de apresentações culturais. 

O novo certame previa a seleção de 50 profissionais, mas por determinação do governador Flávio Dino, todos os artistas regularmente inscritos foram contemplados com o segundo edital do projeto. 

Ao todo, os dois editais selecionaram aproximadamente 650 artistas de várias modalidades culturais, como artes visuais, arte urbana, bandas de todos os gêneros, músicos de voz e violão, circo, dança, DJs, grupos instrumentais, performances teatrais e shows de humor.

Entre os contemplados, o DJ e pesquisador musical Pedrinho Dreadlock, que há 10 anos faz shows em São Luís com uma playlist heterogênea, que passeia pelo eletrônico, reggae, dub, soul e ritmos regionais, sempre com forte ênfase para a musicalidade negra. 

Com dois contratos fixos e vasta experiência na área artística, do dia para a noite o DJ viu seu faturamento como músico despencar devido à pandemia da Covid-19. Segundo Pedrinho, a quarentena que impôs o distanciamento social como saída para reduzir o contágio da doença “afetou 100% do seu rendimento”. 

“Eu não tenho como sair para gerar minha renda, os lugares em que me apresento estão fechados. Apertou tanto que estou me desfazendo de alguns equipamentos. Estou tentando desenvolver algo pela internet, mas ainda tá muito difícil. Nas lives, as pessoas preferem ajudar grandes artistas do que os artistas do seu próprio estado”, diz. 

Sua apresentação no projeto Conexão Cultural ainda não teve a data divulgada, mas ele reconhece a importância desse tipo de auxílio em um momento delicado para o setor artístico. 

“Eles foram muito felizes com essa iniciativa e em aprovarem todos os inscritos. Nota 10! Eu admiro muito a iniciativa. Não vejo nenhum estado que esteja fazendo isso com os artistas”, pontuou Pedrinho Dreadlock. 

DJ Pedrinho Dreadlock (Foto: arquivo pessoal)

Avaliação similar à do multi-instrumentista e produtor musical Sandoval Filho, que também foi selecionado na segunda chamada do Conexão Cultural. 

“Esse edital pra mim foi uma boa iniciativa do Estado, uma forma de não desamparar os músicos. Uma iniciativa excelente e necessária que eu acho que deve permanecer em apoio à classe artística enquanto a pandemia não acabar”, aponta o músico.            

Ele atua em projetos musicais consistentes da cena maranhense, como o duo Criolina e a Soulvenir, banda que ganhou projeção internacional em 2016 ao vencer o concurso EDP Live Bands Brasil e se apresentar em vários países da Europa.  

“Amparo fundamental”

Sandoval Filho diz que só não vem sofrendo tanto com os efeitos da pandemia porque mantém workshops online e algumas atividades de estúdio que não prescindem de contato físico com outros músicos. Sandoval Filho elogiou a decisão do governador em beneficiar todos os artistas inscritos no segundo edital. 

Sandoval Filho durante turnê da Soulvenir na Europa. (Foto: aquivo pessoal)

“Uma atitude dessa da parte do governador mostra que ele se preocupa com a classe artística. Isso é muito importante porque, infelizmente, é incomum as pessoas priorizarem ou darem importância para a classe artística. O meio artístico normalmente se locomove de forma independente e ter um amparo desse em uma situação como essa é fundamental”, afirmou. 

Já para Rhúzell Póvoas, músico que se apresenta com voz e violão em casas de shows maranhenses há duas décadas, se não fosse o projeto Conexão Cultural, o artista só teria como manter as despesas com o uso de uma reserva econômica pessoal e com o auxílio emergencial aprovado pelo Congresso.

“Achei uma grande iniciativa do estado, dando esse apoio aos artistas. Já dá pra dá uma ajuda nas despesas do músico enquanto esse período não acaba”, avalia Rhúzell. 

Os shows do Conexão Cultural são transmitidos pelo Instagram da Secretaria de Estado da Cultura (Secma), @cultura.maranhao, e pelas redes sociais dos artistas. Cada apresentação tem duração de 15 a 30 minutos, com produção e transmissão ao vivo (lives) ou em mídia gravada enviada à Secma.

Imagem destacada / Rhúzell Póvoas (Foto: arquivo pessoal)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.