Bloqueio criterioso de rede social não é censura

O Telegram recuou e admitiu cumprir parte das medidas exigidas em determinação judicial do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

A ação enérgica do STF foi acertada e vitoriosa. O Telegram é um reduto de desinformação, além de ser uma plataforma utilizada para negociar drogas, armas e até pornografia infantil.

Useiros e vezeiros do Telegram com finalidades obscuras, os bolsonaristas acusam o STF de censura.

A acusação de censura não tem qualquer fundamento. O bloqueio determinado pelo STF teve o objetivo apenas de coibir a avalanche de desinformação e outros crimes cometidos em uma rede social acessada por milhões de pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.