PL será reduto do bolsonarismo

Enquanto o PT e o PSB tentam contornar os entraves para a federação do campo democrático-popular, os partidos mais pragmáticos e conservadores se organizam para construir bancadas expressivas na eleição de 2022.

Pilotado por Waldemar da Costa Neto, o Partido Liberal (PL), que até já compôs chapa com Lula em 2002, tendo como vice-presidente o empresário José de Alencar, pensa grande para a próxima eleição.

Após idas e vindas, inclusive participando ativamente dos governos do PT, o PL volta às suas origens no campo da direita, agora turbinado pela filiação de Jair Bolsonaro.

O PL de 2022 não será apenas a legenda do presidente-candidato à reeleição. O partido já calcula eleger uma das maiores bancadas com representantes da direita e da ultradireita na próxima legislatura.

Será, sem dúvida, um reduto do bolsonarismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.