7 de setembro: diversas mobilizações ecoam o grito “Fora Bolsonaro”

Centrais sindicais, movimentos populares, Grito dos Excluídos, juventudes e coletivos vão às ruas nesse 7 de setembro para lutar por democracia

O 7 de setembro – Dia da Independência – será marcado por atos públicos, caminhadas, carreatas, bicicletaços e motociadas em todos os cantos do Brasil, unidos em prol da democracia e repudiando o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Vários coletivos vão somar ao “Grito dos Excluídos”, organizado todos os anos pelas pastorais sociais da Igreja Católica, que realizam atividades paralelas aos desfiles militares do Dia da Independência para denunciar as desigualdades e cobrar justiça e inclusão social.

Em 2021 será realizado o 27º Grito dos Excluídos, esse ano especialmente marcado pela denúncia das condições sanitárias e da crise econômica que assola o Brasil com fome, desemprego e perda de direitos, catástrofe ambiental e autoritarismo.

Em São Luís o Grito dos Excluídos terá concentração às 8h, na praça Sete Palmeiras, na Vila Embratel, na região Itaqui-Bacanga.

Antes disso, haverá concentração de carreata para quem estiver vindo de outras regiões da cidade em veículos automotores ou bicicletas no estacionamento da Praia Grande, no Centro Histórico, em direção à Vila Embratel.

É imprescindível a observação ao protocolo de prevenção à Covid19, como uso de máscaras e álcool em gel e manutenção do distanciamento mínimo necessário durante a caminhada do Grito dos Excluídos.

Veja abaixo o manifesto da Igreja Católica com as reflexões sobre o Dia da Independência e o significado do Grito dos Excluídos:

A Igreja no Brasil ao lado da democracia, da justiça, da igualdade e da paz

As instituições e instâncias abaixo assinadas vêm manifestar publicamente o irrestrito apoio à nota da presidência da CNBB por ocasião do 7 de setembro.

Repudiamos o incentivo ao uso de armas e reafirmamos que o cristão, de verdade, deve ser agente da paz.

Inspirados na “Fratelli Tutti”, do Papa Francisco, somos solidários com os que sofrem, principalmente os quase 20 milhões de brasileiros que passam fome.

Reverberamos a advertência da CNBB, na mensagem de Dom Walmor Oliveira: ‘Não se deixe convencer por quem agride os poderes Legislativo e Judiciário’. E insistimos: “a participação cidadã na política, reivindicando direitos, com liberdade, está diretamente relacionada com o fortalecimento das instituições que sustentam a democracia.”

As mazelas que atingem nosso povo são frutos da incúria de altos dirigentes políticos que são indiferentes às múltiplas crises que misturam o descuido com a vida humana em tempos de pandemia, o desemprego e a  inflação – que penalizam os trabalhadores e os pobres -, a sistemática perseguição aos grupos minoritários – como os irmãos indígenas e quilombolas -, tudo isso acentuando gravemente as histórias exclusões sociais que são uma chaga brasileira.

Não aceitamos os discursos e práticas que se sustentam nas agressões, no ódio e nas ofensas, chegando ao absurdo de se aventar a imposição da violência como saída para os problemas nacionais. 

A Igreja no Brasil, através da CNBB, se coloca, mais uma vez, na defesa da vida, da democracia, da justiça e da paz. Isso é motivo de luz nesses tempos das trevas.

Que o 7 de setembro seja ocasião de se refletir sobre o significado do verdadeiro patriotismo: o amor à Pátria se concretiza no amor aos conterrâneos, na defesa das instituições democráticas, na luta pela justiça social, na construção do bem comum e na conquista da paz, fruto da justiça.

Assinam:

Comissão Arquidiocesana Justiça e Paz de Belo Horizonte

Setor Político do Vicariato Episcopal para a Ação Social, Política e Ambiental

Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas

Pastoral da Juventude da Arquidiocese de BH

Diáconos pela Vida

Comissão Pastoral da Terra de Mi as Gerais (CPT-MG)

Movimento Laudato Sí (MCGC Movimento Católico Global pelo Clima)

Conselho Nacional de Igrejas Cristãs de Minas Gerais (CONIC-MG)

Irmandade dos Mártires da Caminhada BH

Movimento de Libertação Popular- MLP

SINFRAJUPE/ Serviço Interfranciscano de Justiça, Paz e Ecologia

Conselho Pastoral dos Pescadores/CPP-MG

OLMA – Observatório de Justiça Socioambiental Luciano Mendes (Jesuítas do Brasil)

Irmãs  Franciscanas Missionária  Diocesanas da Encarnação – Montes Claros

Articulação do Cerrado

Comissão de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da CNBB Leste 2

Fórum Político Inter-religioso – BH

Fraternidade Secular Leiga Charles de Foucauld

Pastoral dos Deficientes Visuais da Arquidiocese de Belo Horizonte

Movimento Mineiro de Fé e Política

Coletivo de Educação Popular Marta Harnecker

Movimento Laical Orionita – MLO de Juiz de Fora

Rede Um Grito pela Vida – CRB BH

Movimento AMOR – Pastoral do Povo de Rua do SASJT

Pastoral Social do Santuário Arquidiocesano São Judas Tadeu de BH

Movimento Laical Orionita – Brasil Norte

Comissão Organizadora do Grito dos/as Excluídos/as de Belo Horizonte

Escola de Fé e Política Dom Luciano Mendes

Projeto Desperta Cidadão

Centro de Estudo, Pesquisa, Intervenção de Ribeirão das Neves

Ordem Franciscana Secular do Brasil

JPIC – JUSTIÇA, PAZ E INTEGRIDADE DA CRIAÇÃO da OFS do Brasil

Conselho Nacional do Laicato do Brasil – CNLB

Serviço Jesuita aos Migrantes e Refugiados 

CNLB Regional Sul 1

Secretaria de Justiça Socioambiental da Província dos Jesuitas do Brasil

CNLB – Regional Leste II

JUFRA – Juventude Franciscana do Brasil

Comissão Sociopolítica da Diocese de São José dos Campos

Dom Mauro Morelli

Instituto Harpyia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *