Andes repudia a privatização dos Correios

NOTA DA DIRETORIA NACIONAL DO ANDES-SN EM
REPÚDIO À PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS

Mais um patrimônio público brasileiro está sob ameaça com a política neoliberal de Paulo Guedes, que, à frente do Ministério da Economia, tem provocado a destruição do Estado Brasileiro e dos serviços públicos. A votação da privatização completa dos Correios foi colocada às pressas hoje (06) por Arthur Lira na Câmara dos Deputados, por meio do PL 591.

Como se não bastasse a política genocida do governo de Bolsonaro, Mourão e seus/suas aliado(a)s que já vitimou no Brasil mais de meio milhão de trabalhadoras e trabalhadores, as altas taxas de desemprego, o avanço da fome e da extrema-miséria, a privatização das estatais aprofunda ainda mais a dura realidade da classe trabalhadora brasileira.

A privatização dos Correios significa mais um passo na subserviência do estado brasileiro ao capital, transformando nosso patrimônio e os serviços prestados para a população em mercadoria, fazendo com que as empresas privadas possam lucrar ainda mais, enquanto, as trabalhadoras e os trabalhadores pagarão o preço por essa política entreguista.

Além de ferir o princípio da soberania nacional, a privatização dos Correios terá como consequência o aumento do preço das correspondências e demais serviços. Os Correios atendem todo o território nacional, inclusive àqueles onde as suas atividades não geram lucro. É responsável por 44% das entregas de encomenda do país, onde pratica preços bem mais baixo do que da concorrência privada.

O ANDES-SN repudia essa investida entreguista do governo federal e de sua base de apoio na Câmara dos Deputados que aprofunda sua política de destruição e de morte no país.

Organizar e fortalecer nossas lutas é urgente!

Intensificar nossa luta nas ruas!

Não à Privatização dos Correios!

Correios forte e 100% público!

Brasília(DF), 6 de julho de 2021

Diretoria Nacional do ANDES-Sindicato Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *