O silêncio do general

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, concedeu habeas corpus ao ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que ele tenha o direito de ficar em silêncio na CPI da Covid.

Entre os partidos do campo democrático, ninguém saiu por aí atirando pedras e xingamentos no STF por essa decisão.

Eis a diferença entre a democracia e o autoritarismo.

Os constantes ataques ao STF, perpetrados pela extrema direita, são uma ameaça à República.

Um dos atos verbais mais agressivos contra a Suprema Corte foi proferido por um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, dizendo que para fechar o STF bastava um cabo e um soldado.

Imagem destacada / O general Eduardo Pazuello, à paisana; e Jair Bolsonaro, de paletó.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.