O grafite de Beto Diniz: maranhenses com muito orgulho

Texto e fotos: Marizélia Ribeiro, para Agenda Maranhão

No meu mais recente passeio pelo Centro Histórico de São Luís, me surpreendi e me apaixonei pelo magnífico mural do grafiteiro Beto Diniz, um artista plástico maranhense e psicopedagogo de Itapecuru-Mirim.

O mural, situado em frente do Mercado do Peixe, no anexo do Museu da Memória Audiovisual do Maranhão (Mavan), está iluminado pelo colorido de embarcações e por vinte personalidades ou nascidos em terras maranhenses ou que se integraram e deixarem seus nomes escritos na história do Maranhão, todos identificados pelos nomes.

Representam a Cultura, a Saúde, o Esporte, a Política e a luta pela dignidade humana. Tudo isso tendo como pano de fundo uma das torres da Igreja do Desterro. Eles foram escolhidos pelo Mavan porque estão em documentários produzidos pela Fundação Nagib Haickel. O museu funciona no prédio da antiga Companhia de Navegação Jaracati.

Vale à pena apreciar, seguindo a sequência do painel, o fotógrafo Ribamar Alves, o radialista Roberto Fernandes, Coxinho cantador do bumba-meu-boi de Pindaré, o missionário português padre Antônio Vieira, o compositor/músico João do Vale, o comerciante/político Nagib Haikel, o escritor Josué Montello, o engenheiro urbanista/ex-prefeito de São Luís Haroldo Tavares, o escultor Celso Antônio, a artista plástica Dila, o jornalista/poeta/escritor Bandeira Tribuzi, o lutador Zulu, o jogador de futebol Canhoteiro, o escritor/historiador Carlos de Lima, a folclorista/pesquisadora Zelinda Lima, a xilogravurista Tita, a professora/médica/defensora dos direitos humanos Maria Aragão, o compositor/cantor Mestre Antônio Vieira, a professora/farmacêutica/fitoterapeuta Terezinha Rêgo e o cinegrafista Lindberg Leite.

Pela arte de Beto Diniz e pelas personalidades, o mural deverá entrar no circuito cultural de São Luís. Bom será se os documentários possam ser vistos pelos visitantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.