O verdadeiro lado de Rodrigo Maia é a “velha” nova direita

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (Democratas), não é um bolsonarista assumido, mas pode ser algo tão perigoso quanto.

Perigoso porque faz pose de democrata, dialoga com todos os partidos e conduz a Câmara à base do fisiologismo e do clientelismo, velhos vícios da política no Brasil.

Nas mãos do presidente da Câmara está a condução de uma série de investigações e pedidos que podem levar à derrocada do presidente Jair Bolsonaro.

Mas, Rodrigo Maia não faz andar.

Antes da pandemia, ele tomava café com Bolsonaro e jantava com o Centrão. Negociava com um e outro, indistintamente.

Agora, em meio ao caos da covid19, Maia segue no mesmo “equilíbrio” de sempre. Ele é o centro do Centrão.

Em frente às câmeras de TV dá declarações de repúdio às atitudes tresloucadas de Bolsonaro, mas dentro da Câmara conduz todas as votações de interesse do campo conservador.

Maia tem o DNA da direita, é filho do conservadorismo e vai sempre defender os interesses da elite.

Entre os privilégios de um banqueiro e os interesses de um pobre que está nas filas da Caixa para receber 600 reais, sacrificando sua integridade física, Maia vai sempre optar pelo representante do capital.

Não nos iludamos com o presidente da Câmara. Ele parece o executivo de luxo do governo Bolsonaro.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *