Curtas da Escola de Cinema são premiados no 43º Festival Guarnicê

As produções cinematográficas maranhenses produzidas por alunos, ex-alunos e professores da Escola de Cinema, unidade vocacional do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), foram premiadas durante a Mostra Competitiva do 43º Guarnicê de Cinema. O curta-metragem “Vitor” foi premiado na categoria melhor desenho de som, melhor ator e melhor ator coadjuvante. O curta “Cicatrizes” recebeu menção honrosa.

De acordo com a gestora da Escola de Cinema do IEMA, Monica Rodrigues, essas premiações enriquecem o trabalho desenvolvido na unidade vocacional. “É muito relevante homenagear o trabalho desses profissionais, já atuantes dentro do cenário cinematográfico, que justificam a razão de ser dessa unidade vocacional Escola de Cinema. Gostaria de parabenizar os alunos e professores premiados. Os curtas são resultado de um trabalho realizado no ano de 2019, na gestão do Josué da Luz. Agradeço imensamente ao Governo do Maranhão, que teve a sensibilidade de oportunizar uma escola de qualificação profissional para cinema totalmente gratuita e de qualidade”, declarou.

O curta-metragem “Vitor”, premiado em três categorias, conta a história de um jovem que frequentava um cursinho e teve de se submeter à crueldade do recepcionista da escola, Jairo, que o ameaça de expor seu maior segredo. Josh Baconi, diretor do curta destaca a importância da conquista. “Fico muito feliz com o resultado, pois o filme é resultado de um exercício do curso da Escola de Cinema. Esses três prêmios recebidos vêm reconhecer o aprendizado obtido nos cursos; são todos iniciantes no cinema e agora premiados por suas atuações. Estou radiante com a premiação. Essas conquistas motivam para continuarmos trabalhando pelo audiovisual maranhense”, contou Josh.

O curta “Cicatrizes”, premiado com menção honrosa no festival, conta a história de Paula, uma criança de 9 anos que mora com a mãe. Sua mãe insiste para ela ir passar o fim de semana com o pai, e a garota insiste em não querer ir. “Esse prêmio acontece pelo valor social da obra, e isso mostra a função que o filme tem de falar sobre a violência contra a criança e adolescentes. Para a Escola de Cinema é uma realização. Estamos em festa, pois essas premiações mostram que a formação audiovisual é importante e engradece esse cenário no nosso estado”, destacou Thaís Lima, produtora do curta.

Segundo o professor do curso de Atuação para Cinema, Al Danuzio, é gratificante ver a evolução dos alunos da Escola de Cinema. “Fico muito feliz de ver nossos alunos conquistando prêmios. Eles merecem muito. Batalham muito para conseguir fazer cinema no Maranhão. Sempre que estou em algum set de gravação da cidade, vejo alguém que estudou na escola. Nossa responsabilidade é muito grande. Estamos neste exato momento definindo os representantes de toda uma cadeia produtiva, e isso acontece no dia-a-dia da Escola de Cinema. Realmente, nos alegra muito quando se percebe que estamos conseguindo”, disse.

As produções foram avaliadas nas categorias: melhor curta, direção, roteiro, direção de fotografia, montagem/edição, trilha sonora original, desenho de som, direção de arte, ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante. As premiadas levam um troféu para casa.

Fonte: Agência de Notícias / Governo do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *