Professor Luciano Façanha reitera: candidatura a vice-reitor da Ufma é independente

O professor do Departamento de Filosofia e candidato a vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Luciano Façanha, distribuiu uma nota de esclarecimento (veja abaixo) nas redes sociais reafirmando que a sua candidatura não está atrelada a nenhum dos pretendentes à Reitoria da instituição.

“Somos independentes em função da heterogeneidade que nos procurou e ousou ‘projetar’ um horizonte para todos nós. Assim, somos independentes por buscarmos alguma conciliação, sem nunca desrespeitar a força e a necessidade ‘agonística’ do dissenso”, disse Façanha.

Segundo a nota, o candidato a vice-reitor reconhece os méritos e projetos das candidaturas apresentadas à Reitoria, mas não se manifesta vinculado a nenhuma delas.

A Ufma está em fase de consulta para formar a lista tríplice, posteriormente encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro, que vai escolher o futuro reitor.

Na consulta à comunidade universitária – formada por estudantes, professores e servidores técnico-administrativos – os votos para reitor e vice-reitor são desvinculados, ou seja, não formam chapa.

Portanto, as votações de reitor e vice-reitor são independentes.

Leia a nota integral de Luciano Façanha:

Minha candidatura é independente

Por que somos um projeto independente? Somos uma candidatura independente para vice-reitoria não por não reconhecermos os méritos e as possibilidades dos projetos apresentados para o pleito da reitoria da UFMA. Cada qual coloca com propriedade o que pretende fazer pela nossa universidade. Somos independentes porque fomos “provocados” a sermos assim, pois nascemos de uma heterogeneidade de opiniões, gostos, práticas, visões de mundo e, sobretudo, de sonhos. Somos independentes porque fomos acordados pelo “grito” da diversidade de grupos que possuem suas escolhas para a reitoria. Mas que também atentaram para a necessidade de construir uma candidatura para a vice-reitoria. Somos independentes por apreço, respeito e reconhecimento a essa demanda. Somos independentes em função da heterogeneidade que nos procurou e ousou “projetar” um horizonte para todos nós. Assim, somos independentes por buscarmos alguma conciliação, sem nunca desrespeitar a força e a necessidade “agonística” do dissenso. Por fim, somos independentes por termos sido “convocados” pela comunidade acadêmica para nos colocarmos dessa maneira.

Prof. Dr. Luciano Façanha

Candidato a Vice-Reitor da UFMA

Gestão 2019-2023

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *