Categorias
notícia

Linchamento e tortura de negros em São Luís! Agressores serão investigados e vítimas terão apoio

Agência Tambor – O linchamento e a tortura de dois jovens negros, ocorridos em São Luís no último dia 2 de junho, tiveram consequências.

O festival de covardia aconteceu próximo a um shopping center, no bairro da Cohab. A sequência de crimes foi filmada e divulgada pela internet.

Os jovens foram acusados de assalto. Um grupo de aproximadamente dez homens os prendeu, espancou, deu socos e pontapés, e raspou suas cabeças. Um deles é menor de idade.

O governo do Maranhão informou sobre as primeiras providências diante da barbárie evidente.

Foi aberto um inquérito para identificar os integrantes do grupo que cometeu o atentado. E foi dito que os dois rapazes sacrificados receberão apoio do poder público.

Leia também: Quais as consequências? Negros linchados e torturados em São Luís!

Durante o linchamento, jovens tiveram suas cabeças raspadas

Sobre as consequências

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) informou que “todas as providências sobre o caso, que envolve duas vítimas, dentre elas um adolescente, foram adotadas para apurar responsabilidades criminais”.

Também foi informado que “a Polícia Civil instaurou inquérito e que os depoimentos das vítimas e testemunhas, previstos para ocorrer ainda nesta semana, vão auxiliar no esclarecimento do caso”.

A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) também se manifestou.

Leia também: Histórico! OIT recomenda titulação de quilombos em Alcântara

Atendimento psicológico às vítimas

A Sedihpop informou que, ao tomar conhecimento do caso, “prontamente mobilizou equipes do Centro Estadual de Apoio às Vítimas (CEAV) e da Comissão Estadual de Combate à Tortura”.

Ainda sobre o caso, a Sedihpop afirmou que “tem feito busca ativa das vítimas e familiares para coletar demandas de acesso à informação e à justiça”.

Além disso, a Sedihpop garantiu que está promovendo “articulação de atendimento psicológico, assistência social e jurídica”.

Monitoramento

A Agência Tambor também ouviu a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH).

Fomos informados que a SMDH está atenta ao problema e já fez contato com o poder público estadual.

Em breve, traremos mais informações sobre o assunto e sobre as medidas que estão sendo adotadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.