Categorias
notícia

Edmar Oliveira lança “Crônicas de um Piauinauta”, em São Luís

Obra tem o selo da editora Passagens e reúne textos sobre “a sombra do século passado” projetada na atualidade. Lançamento terá uma roda de conversa com o autor e o professor Flávio Reis, no Chico Discos, dia 22 (sábado), às 17h. Livro tem acesso gratuito para download (veja o link no final da postagem)

Piauiense do sertão, radicado no Rio de Janeiro há mais de 40 anos, Edmar Oliveira é um conhecido médico psiquiatra. Viveu a efervescência da contracultura, em Teresina, através da participação no jornal alternativo Gramma e como protagonista do curta de Torquato Neto, O Terror da Vermelha, filmado em 1972.

No Rio, trabalhou com Nise da Silveira e se alinhou à luta antimanicomial. Foi diretor do Instituto Municipal Nise da Silveira, no Engenho de Dentro (RJ). Aposentado do serviço público, considera-se um escritor tardio, tendo publicado dois livros sobre a prática em Saúde Mental (sendo Ouvindo Vozes, o mais conhecido), três romances, entre os quais, Sitiado, romance histórico sobre a passagem da Coluna Prestes no Nordeste, e Não Existe Pretérito Perfeito, ambientado nos anos de chumbo da ditadura. Além disso, escreveu contos e muitas crônicas.

Seu livro mais recente, Crônicas de um Piauinauta, publicado pela editora Passagens, é uma seleção de textos escritos entre 2007 e 2017 no blog intitulado Piauinauta, focando um período crucial, em que passamos da euforia do avanço inclusivo petista ao pesadelo da regressão bolsonarista. Divididas em cinco partes, a obra no coloca em contato direto com o estranho mundo que foi se configurando a partir de então.

Atento aos sinais nem sempre percebidos, em meio à fabricação de espetáculos que dominam o cotidiano, Edmar indica logo de cara como percebe o espírito do nosso tempo, ao afirmar que este é “um século que ainda não começou”. Observação provocante e certeira: com todo o avanço tecnológico e os impactos sociais resultantes, é a sombra do século passado, de suas guerras e impasses ideológicos, que se eleva sobre nossas sociedades nos dias que correm.

O olhar arguto de Edmar, a ironia desconcertante e sua escrita enxuta encontram o ponto alto na forma da crônica. Ler este livro é rever alguns sinais gritantes do cotidiano, presentes no noticiário, que delineavam o quadro distópico da atualidade.

Abaixo, a orelha do livro Crônicas de um Piauinauta, que será lançado no próximo sábado, 22/06/24, no Chico Discos:

“UM SÉCULO QUE NÃO COMEÇOU

Neste livro lemos minicrônicas discorrendo e escritas, quase sempre, em cima de acontecimento recente. Com a publicação agora, essa distância ganha um significado surpreendente. São relembrados acontecimentos importantes, que foram esquecidos por falta de espaço nas nossas memórias, atacadas por bordoadas de informações da modernidade digital. E, muitas delas, com relevância para a espiral da História, mesmo que, no momento em que foram escritas, parecessem não ter qualquer ligação. As impressões da realidade prenunciavam o vulcão da idiotia nacional, que logo aconteceria.

Como se o século anterior tivesse aprisionado a espiral da História, o que só se percebe agora, numa leitura com distanciamento.

Este é um século que ainda não começou, apesar do avanço tecnológico. Prisioneiros do século XX, 1964 retorna e nos surpreende, com uma farsa que, felizmente, não se afirmou. Mas será que nos livramos dele, quando a extrema-direita ousou aparecer sem vergonha em todo o planeta?”

Segue o link da versão em e-book: https://editorapassagens.blogspot.com/2024/01/cronicas-de-um-piauinauta.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.