Professor Martônio Tavares explica as causas e consequências dos alagamentos no período chuvoso

Geógrafo graduado na UFMA, especialista em Docência do Ensino Superior (IESF) e professor de Geografia e Atualidades em várias escolas de São Luís, o professor Martônio Tavares analisa os impactos das fortes chuvas na cidade. Veja a entrevista:

O regime de chuvas em São Luís está normal ou vem passando por alterações nos últimos anos?

Prof Martônio – O regime de chuvas na nossa cidade sempre foi considerado alto, principalmente nos meses março, abril e maio, em decorrência do avanço da zona de convergência intertropical. Em relação à pluviosidade não percebemos nenhuma mudança significativa; porém, em relação à temperatura, sim. A cidade tem apresentado temperaturas mais elevadas em razão da retirada da cobertura vegetal, verticalização e aumento da camada asfáltica.

Quais as causas atípicas dos alagamentos? Por que temos tanta água acumulada na cidade?

Prof. Martônio – Os alagamentos em São Luis ocorrem devido a uma combinação de fatores, como: avanço da impermeabilização do solo urbano (asfalto, cimentação de quintais, pavimentação de ruas), perda da cobertura vegetal, erros de projetos (drenagem insuficiente) e muito lixo descartado de forma inadequada, comprometendo os bueiros e galerias.

Os alagamentos são previsíveis ou podem ser atenuados pela intervenção humana?

Prof. Martônio  – Os alagamentos podem ser previsíveis quando o município se predispõe a fazer o monitoramento, principalmente no período chuvoso. É possível atenuar sim os alagamentos, mantendo uma constante limpeza das galerias, ampliação da drenagem nos pontos críticos e desenvolver uma política do verde (árvores) no perímetro urbano. É importante também a participação da sociedade no sentido de colaborar na questão do lixo doméstico, não descartando em locais inadequados, porque além do descarte avulso colaborar com os alagamentos existe o perigo para a saúde pública, devido a possibilidade de transmissão de doenças graves como a leptospirose (transmitida por ratos).

Quais medidas podem ser tomadas pela Prefeitura e Governo do Estado para amenizar os impactos dos alagamentos?

Prof. Martônio – As medidas estão todas relacionadas ao aumento de investimentos na esfera municipal e estadual. É necessário ampliar o saneamento básico em São Luís, ampliar os sistemas de drenagem e melhorar o serviço de limpeza dos logradouros públicos. Claro que tem de ocorrer também investimento na educação, através de campanhas de conscientização da sociedade. Governo, sociedade e também o setor empresarial devem ter o mesmo objetivo, que é minimizar os efeitos dos alagamentos no perímetro urbano. 

Além dos alagamentos existem as áreas de risco. Como atuar para amenizar os impactos desses dois efeitos das chuvas?

Prof. Martônio  – As áreas de risco são ocupadas por uma população de baixa renda, geralmente decorrente do êxodo rural e de políticas públicas que não conseguiram combater o imenso déficit habitacional da nossa cidade. O correto é o mapeamento dessas áreas e o monitoramento no período de janeiro a junho (período das chuvas em São Luis), promovendo, se for o caso, a desocupação dessas áreas de risco. É necessário um planejamento urbano que considere a ocupação da cidade levando em consideração: áreas de várzeas, declividade dos terrenos e outros fatores que podem ocasionar perdas materiais e de vidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.