Aliados de ontem começam a ver defeitos em Flávio Dino

Frutos do mesmo útero político, diversas personagens que até “ontem” usufruíram do poder e do dinheiro do governo Flávio Dino durante quase oito anos, começam agora a fazer críticas ao ex-governador.

O ex-secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, é um deles. Pré-candidato a governador, resolveu apontar defeitos na gestão do ex-chefe. Araújo chega a falar (pasmem!) na geração de empregos, crescimento econômico e justiça social…

Pré-candidato a governador, o senador Weverton Rocha, aliado e parceiro de Flavio Dino, também começa a ver falhas no ex-titular do Palácio dos Leões.

O pior de todos é o sem votos Roberto Rocha, eleito senador em 2014 nas costas de Flávio Dino e na onda de rejeição ao grupo liderado por José Sarney.

Filho do ex-governador Luiz Rocha, um dos mais perversos coronéis do Maranhão, Roberto Rocha vive a reclamar dos indicadores econômicos e sociais do estado.

Todos os agora críticos de Flavio Dino foram beneficiados por favores, cargos, dinheiro público e mandatos, mas resolveram encontrar defeitos no ex-governador.

Flávio Dino não é santo. Fez alianças heterogêneas para ganhar duas eleições e assegurar a governabilidade. Construiu um pacto com forças políticas de todos os naipes e optou pelo caminho conservador na sua sucessão, apoiando o vice-governador Carlos Brandão.

Mas, só agora, depois de quase oito anos, os aliados que o elogiavam e aproveitavam a fartura do poder resolvem condenar o ex-governador, outrora considerado um líder da mudança no Maranhão, eximindo-se de qualquer culpa ou responsabilidade pelos destinos do estado.

Isso é, no mínimo, hipocrisia.

2 comentários em “Aliados de ontem começam a ver defeitos em Flávio Dino”

  1. Belo texto. Como eleitor das ideias da chamada esquerda, a mim me pergunto: quem nos enganou ou quis nos enganar, os aliados que agora não mais o são ou quem nos fez acreditar que eram aliados?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.