As matrizes da violência contra a mulher no Brasil

Os colonizadores europeus e os deportados que vieram para o Brasil encontraram aqui uma terra fértil para todo tipo de prática sórdida contra as mulheres.

As índias vulneráveis e posteriormente as escravas eram violentadas de todas as formas.

Um homem branco poderia estuprar quantas mulheres quisesse. Era uma espécie de regra.

Na obra “Casa Grande & Senzala”, de Gilberto Freire, é possível ter uma ideia dessa atrocidade:

 “O ambiente em que começou a vida brasileira foi de quase intoxicação sexual”

Parte dos religiosos que vieram para cá também foi tomada pela “devassidão”.

Segundo Freire:

“Foram sexualidades exaltadas as dos dois povos que primeiro se encontraram nessa parte da América; o português e a mulher indígena. Contra a idéia geral de que a lubricidade maior comunicou-a ao brasileiro o africano, parece-nos que foi precisamente este, dos três elementos que se juntaram para formar o Brasil, o mais francamente sexual; e o mais libidinoso, o português.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *