Estudantes da Estácio lançam nota de solidariedade aos professores demitidos

“Professores brilhantes ensinam para uma profissão. Professores fascinantes ensinam para a vida.” (Augusto Cury)

Alunos de Direito, Educação Física e Jornalismo repudiam as demissões e ressaltam as qualidades dos docentes excluídos.
Veja abaixo a nota 

Vivemos em um tempo marcado pelo desrespeito às liberdades individuais e pelos ataques aos direitos fundamentais em nossa sociedade. A Reforma Trabalhista, a Lei da Terceirização Irrestrita e o congelamento dos gastos com saúde e educação por 20 anos passaram facilmente pelo Congresso Nacional sem muita resistência da população, dos estudantes e dos trabalhadores em geral. O resultado dessa omissão começa a ser visto agora, com o emprego informal, o desemprego, as demissões em massa e a perda de direitos históricos.

Nesse período sombrio da história do nosso país, acreditamos que a única saída para a atual geração é a educação transformadora e libertadora, que encoraje os jovens a irem à luta por seus direitos, combatendo toda e qualquer espécie de preconceitos, intolerâncias e fundamentalismos.

Essa mudança de pensamento depende, indubitavelmente, do auxílio crucial dos professores, grandes mestres, pensadores que estiveram,estão e sempre estarão no cerne de toda a transformação social, devendo, pois,serem cada vez mais valorizados e reconhecidos.

Lamentavelmente, porém, a Faculdade Estácio tem ido de encontro a esse entendimento. Na quarta-feira, dia 12/12/18, a instituição demitiu 22 professores do seu quadro, em São Luís, alegando que a revisão periódica de sua base de docentes é um “processo natural”. Em seu comunicado, a Faculdade evidenciou, explicitamente, a maneira insensível e desrespeitosa comovê seus professores, ou seja, como meros objetos, peças de um mobiliário que precisam ser trocadas a cada estação, pensamento este inaceitável!

Nós, alunos de instituição, discordamos, terminantemente, dessa decisão unilateral da Estácio. Afinal, professores não têm prazo de validade. Devem ser valorizados e respeitados, ainda mais profissionais tão gabaritados quanto os que foram dispensados. Desse modo, exigimos respeito e reconhecimento aos docentes:

•             Thyenes Corrêa, advogada, com especialização em Direito de Família, Sucessões, Processual Civil e Tributário, há 15 anos lecionando na Estácio;

•             Ricardo Calado, advogado civilista reconhecido, especializado em Direito Público, com 12 anos de excelentes serviços prestados na Faculdade;

•             Paulo Roberto Barroso, graduado em Direito, Economia, Sociologia e Administração, Mestre em Gestão de Empresas, Doutor em Ciências Jurídico-Sociais, Pós-Doutorem Democracia e Direitos Humanos, há 7 anos compartilhando seu vasto saber na casa.

•             Ranie Leão, advogado especializado em Direito Processual Penal, servidor público e há 3 anos ensinando na Estácio São Luís;

•             Isaque Ramos, professor especializado em Direito Constitucional Aplicado, com MBA em Gerenciamento de Projetos, nosso coordenador do NPJ;

•             Gustavo Alencar, mestrando em ciências jurídicas; professor de direito penal, processual penal e direitos humanos; delgado de polícia.

•             Kátia Alencar, graduada em Direito e Jornalismo, especializada em Jornalismo Cultural, Direito do Trabalho e Previdenciário, além de mestranda em Criminologia;

•             Marcio Antônio de Oliveira, pós-graduado em Direito Penal e Direito Constitucional,com MBA em Direito Civil e Processo Civil.

Como visto no breve currículo pessoal supramencionado, esses professores são referências em suas áreas, profissionais com alto grau de especialização, que gozam de irrestrito respeito e reconhecimento dos acadêmicos da Estácio e da comunidade jurídica maranhense.

Vale ressaltar que não somos meros pagantes dessa Faculdade, somos futuros juristas, educadores, comunicadores e outros profissionais , em  formação, defensores dos direitos sociais, dos direitos trabalhistas e, sobretudo, do valor social do trabalho e da dignidade da pessoa humana.

Por isso, não aceitamos que a Estácio demita nossos professores, terceirizando-os, desvalorizando-os, precarizando suas condições laborais e suas vidas. Lutaremos pelo emprego desses mestres, que aprendemos a respeitar pela capacidade técnica e pelo caráter.

Merecemos professores de qualidade! Não nos calaremos diante dessas demissões injustas e desnecessárias, cujo único objetivo é aumentar o lucro da Estácio em detrimento do saber! Estamos a postos para denunciar, nos solidarizar e apoiar esses grandes mestres!

Ante o exposto, convidamos todos os alunos, ex-alunos, professores e ex-professores da Faculdade Estácio, a se juntarem a nós nessa luta em defesa do emprego, da qualidade do ensino, contra as terceirizações e por nenhum direito a menos!

Alunos dos cursos de Direito, Educação Física e Jornalismo da Estácio de Sá Campus São Luís.