42º Festival Guarnicê terá 98 filmes em competição

A curadoria do 42º Festival Guarnicê de Cinema divulgou os 98 trabalhos pré-selecionados para as mostras nacionais competitivas Guarnicê de filmes de longas e curtas metragens, competitivas Guarnicê de filmes maranhenses de longas e curtas e, exclusiva a realizadores maranhenses, as competitivas Guarnicê de curtíssimas metragens, videoclipes, reportagens televisivas e de filmes publicitários. Veja a lista completa dos 98 trabalhos em: www.cultura.ufma.br/42guarnice.

Maior evento do cinema nacional no Maranhão, o festival será realizado no período de 14 a 21 de junho/19, na cidade de São Luís/MA. Aberto ao público, o Guarnicê é uma realização da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Empreendedorismo (Proexce), via Departamento de Assuntos Culturais (Dac), com apoio de organizações públicas e empresariais.

Foram selecionados seis filmes para a Mostra Nacional Competitiva Guarnicê de Filmes de Longa-Metragem; 18 filmes para a Mostra Nacional Competitiva Guarnicê de Filmes de Curta-metragem; Cinco filmes para a Mostra Competitiva Guarnicê de Filmes Maranhenses de Longa-metragem; 17 filmes para a Mostra Competitiva Guarnicê de Filmes Maranhenses de Curta-metragem; Dez filmes para a Mostra Competitiva Guarnicê de Filmes de Curtíssima-Metragem; 27 produções para a Mostra Competitiva Guarnicê de Videoclipes; Quatro matérias para a Mostra Competitiva Guarnicê de Reportagem Televisiva e 11 comerciais para a Mostra Competitiva Guarnicê de Filme Publicitário.

Os filmes não selecionados para competitivas poderão compor a programação oficial do evento, em mostras paralelas e alternativas. O Festival terá ainda ações formativas, apresentações culturais, pré-estreias e bate-papos com realizadores e convidados. A curadoria é formada pelo roteirista Di Moretti; a roteirista e produtora Isa Albuquerque; o professor do Curso de Comunicação Social da Ufma, Carlos Benalves; a produtora de conteúdos do Festival Guarnicê, Thais Fonseca Nunes; o crítico de cinema, Marcio Sallem, e a professora da Uema, Rose Panet.

Amigo da onça

Eloy Melonio

Professor, escritor, compositor e poeta

Gosto dos pássaros que têm nomes engraçados. Especialmente dos que soam igual a uma frase ou palavra. Ou seja, os onomatopéicos. Uma pronúncia que imita o som natural que eles produzem quando cantam. Nesse momento, lembro de dois: a fogo-pagou, que é uma espécie de rolinha, e o bem-ti-vi. Coincidentemente, esses dois são meus amigos, pois estão sempre lá na minha casa. Ela, catando migalhas no chão do quintal, e ele… Bem, ele é um caso à parte.

Todo o mundo sabe que o bem-ti-vi é um pássaro muito esperto e atrevido. Em seu currículo, muitas histórias e piadas sobre ele. Nosso conterrâneo Josué Montelo fala deles em seu livro Os Tambores de São Luís. Até eu fiz um poema sobre esses “pestinhas”.

Mas vamos ao nosso bem-ti-vi particular. Ele geralmente chega depois do almoço para catar as sobras da comida da Minie, a minha cachorrinha, e do Leo, o meu papagaio: ovo cozido ou frito, ração etc. Vai chegando de mansinho, como quem não quer nada. E, atento, observa tudo ao redor. Se acha alguma coisa, fica quietinho. E mete o bico! Se não acha nada, solta seus gritos estridentes e ameaçadores.

Um dia, ― só pra sacanear ― resolvi dar um susto no meu amigo. Escondi-me atrás da porta da sala, e fiquei observando seus movimentos. Ele pousou no murinho do terraço bem ao lado da bacia de comida. Olhou ao redor e só viu a Minie, que ― roncando como uma louca! ― nem percebeu sua presença. Aí o meu amigo pulou ao chão e foi direto ao alvo. Subiu na beirada da bacia e já se preparava para bicar a comida.

Chegou a hora, pensei comigo. Abri a porta e dei um grito: Eu tô te vendo, seu bem-ti-vi duma figa!

O pobrezinho passou uns dias sem aparecer. Ontem, depois do almoço, eu ouvi novamente o seu canto no terraço da minha casa. Se era meu amigo, eu não sei. Mas era um bem-ti-vi, e disso eu tenho a mais viva certeza.

Carta da Intercom expressa indignação sobre os cortes no orçamento da Educação

“Mais que preocupação, indignação é o sentimento causado pelos recentes anúncios feitos pelo Governo Federal de cortes orçamentários a instituições federais de ensino superior e básico, inicialmente atrelados ao conteúdo da produção acadêmica realizada em tais instituições – sob a ignominiosa justificativa de “balbúrdia”, critério este que levaria a reduções catastróficas na dotação orçamentária de prestigiadas e produtivas universidades brasileiras. “

A Diretoria da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM), mandato 2017-2020, divulga carta aberta dirigida ao Governo Federal, na figura do presidente Jair Bolsonaro e seus ministros. Leia a íntegra abaixo ou clique aqui e acesse o documento oficial.

São Paulo, 7 de maio de 2019

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

Senhores Ministros de Estado,

A Diretoria da INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, composta por professores mestres e doutores de universidades brasileiras eleitos democraticamente para representar os cerca de 1.300 pesquisadores, docentes, estudantes e profissionais do campo da Comunicação ligados à entidade, expressa sua profunda preocupação com as políticas públicas anunciadas recentemente no Brasil. Com convicção inabalável nos cinco fundamentos da República Federativa do Brasil, definidos na Constituição Federal de 1988 – soberania, cidadania, dignidade da pessoa humana, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, pluralismo político –, pontuam-se a seguir os principais focos de tal preocupação.

Primeiramente, destacamos que a Constituição Federal de 1988 estabelece que: “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” (art. 5º, inc. IX); “são direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados” (art. 6º); “é competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação, à ciência, à tecnologia, à pesquisa e à inovação” (art. 23, inc. V); “a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (art. 205). Reforçamos também três dos princípios que regem o ensino no Brasil, conforme o artigo 206 da Constituição: igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino. Caberia, ainda, citar muitos outros artigos constitucionais, porém não é nossa pretensão obstaculizar a leitura desta carta.

Mais que preocupação, indignação é o sentimento causado pelos recentes anúncios feitos pelo Governo Federal de cortes orçamentários a instituições federais de ensino superior e básico, inicialmente atrelados ao conteúdo da produção acadêmica realizada em tais instituições – sob a ignominiosa justificativa de “balbúrdia”, critério este que levaria a reduções catastróficas na dotação orçamentária de prestigiadas e produtivas universidades brasileiras.

A combinação da perseguição ao livre pensamento com a asfixia econômica das instituições de ensino e pesquisa, somada à priorização de determinadas áreas do conhecimento e regiões brasileiras em detrimento de outras, é inconcebível em um Estado Democrático de Direito que pretende sair de uma profunda crise político-econômica e promover o desenvolvimento social e econômico de sua população. Justamente o acesso à educação superior gratuita de qualidade, o fomento à pesquisa e à produção de conhecimento, o estímulo à pluralidade de ideias e à promoção da diversidade (em todos os seus aspectos) na universidade brasileira são meios imperiosos para o Brasil cumprir os cinco fundamentos de sua República e atingir seu grande potencial.

Sendo assim, a INTERCOM, que está entre as principais e maiores organizações de pesquisadores da Comunicação do Brasil e da América Latina, defende a revogação do bloqueio na verba destinada às instituições federais de ensino. Tal bloqueio ameaça inviabilizar o funcionamento dessas instituições já no ano letivo de 2019, com prejuízos incalculáveis à vida e ao trabalho de docentes, funcionários e, principalmente, estudantes de graduação e pós-graduação.

É também com extrema preocupação que recebemos, diariamente, notícias sobre políticas notadamente enviesadas nas mais diversas áreas, como direitos humanos, meio ambiente, relações internacionais e agricultura. Tais notícias incluem não só a publicização de medidas de governo por meios oficiais, como também opiniões pessoais publicadas por representantes governamentais nas mídias sociais. Seria impraticável mencionar a lista completa de tais notícias , porém é possível citar os principais temas abrangidos por elas no que se refere à educação, à ciência e à comunicação no Brasil:

1. Perseguição ao pensamento livre e aos críticos do governo, em similaridade com outros momentos históricos em que a educação, os educadores, os estudantes, o jornalismo e os jornalistas foram atacados pelo poder do Estado;

2. Asfixia econômica das instituições de ensino superior federais, prejudicando diretamente a população e com o risco de inviabilizar a pesquisa e o avanço científico no Brasil;

3. Menosprezo em relação a determinadas áreas do conhecimento, mais precisamente as Humanidades, cujo ensino é essencial para a formação de cidadãos plenos e cuja produção acadêmica tem gerado retornos inestimáveis à sociedade;

4. Aval e incentivo ao acossamento e assédio a professores em todos os níveis do ensino;

5. Estímulo à perseguição e criminalização a movimentos sociais legítimos, inclusive os presentes nas instituições de ensino superior;

6. Deslegitimação contínua da atividade jornalística, fundamental à realização da democracia.

A INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação foi fundada em 1977, sob a liderança do saudoso professor José Marques de Melo – considerado um dos maiores pensadores da América Latina e reverenciado internacionalmente por seu trabalho como professor, pesquisador e congregador em prol da universidade de qualidade. O intuito da INTERCOM é fomentar a pesquisa e o ensino no campo da Comunicação no Brasil, missão que, ao longo de seus 42 anos, tem cumprido com respeito inabalável à diversidade e à pluralidade de pensamento.

Todos os anos, o Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação e os cinco congressos regionais realizados pela INTERCOM reúnem em torno de 10 mil pesquisadores, docentes, estudantes e profissionais, promovendo o diálogo e mostrando o panorama de pesquisa, ensino e extensão. A INTERCOM também atua para o fortalecimento da pesquisa em Comunicação por meio do relacionamento institucional com organizações brasileiras e internacionais, tais como a Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (Socicom), a Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (Lusocom) e a Associação Latino-Americana de Investigadores em Comunicação (ALAIC), entre muitas outras.

Respeitando o legado de José Marques de Melo e cumprindo sua missão, a Diretoria da INTERCOM assina esta carta com a esperança de que o Brasil venha a ser um país justo com todos e todas, soberano e produtor de conhecimento e tecnologia, e ciente de seu papel protagonista no futuro do planeta.


Cordialmente,

Diretoria INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação

Mandato 2017-2020

SBPC e várias entidades realizam manifestações em defesa da Educação, Ciência e Tecnologia

Nos dias 8 e 9 de maio, a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), em articulação com outras entidades científicas e acadêmicas nacionais, realiza mobilização no Congresso Nacional, em Brasília, contra os cortes em ciência, tecnologia e inovações. Em Belo Horizonte (MG), a manifestação acontece no dia 7. São Paulo (SP), Natal (RN), Niterói (RJ), Porto Alegre (RS) e Recife (PE) também irão realizar manifestações em defesa da educação, da ciência, tecnologia e inovação nesta quarta-feira, 8.

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em articulação com entidades científicas e acadêmicas nacionais, realiza nos dias 8 e 9 de maio, em Brasília, no Congresso Nacional, manifestações em defesa da ciência e tecnologia. O desmonte da CT&I, com os cortes de 42% no orçamento do setor, anunciados no final de março, chegou a um ponto quase irreversível, e é urgente que toda a sociedade apoie e participe como puder dessa grande mobilização. Confira abaixo logo abaixo do texto a programação das atividades #cienciaocupabrasilia.

No dia 8, um ato no Congresso Nacional marca o lançamento da “Iniciativa de C&T no Parlamento – ICTP.br” e em defesa da ciência brasileira, com a presença de entidades científicas, instituições de pesquisa e pesquisadores de todo o País. A ICTP.br é coordenada pela SBPC junto à Academia Brasileira de Ciências (ABC), Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies), Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência Tecnologia e Inovação (Consecti) e Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Ciência, Tecnologia. Trata-se de um movimento organizado da comunidade brasileira de ciência e tecnologia para atuação permanente junto aos parlamentares no Congresso Nacional e, também, em Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais, em prol do desenvolvimento científico e tecnológico do País.

Na ocasião, serão apresentados e discutidos com os parlamentares os pontos prioritários para a recuperação do setor, como a atuação do Congresso em defesa da recomposição do orçamento do MCTIC; os projetos de Lei prioritários neste momento, como o PLS 315, que transforma o FNDCT em fundo financeiro, o projeto de lei que destina 25% do Fundo Social do Pré-sal à CT&I e a derrubada dos vetos à Lei dos Fundos Patrimoniais. Também será destacada a necessidade da implantação efetiva do Marco Legal e extensão a estados e municípios, a articulação junto às bancadas estaduais em defesa das FAPs e o compromisso de discussão com a comunidade científica. Os organizadores da iniciativa pretendem ainda iniciar debates sobre projetos mobilizadores e estruturantes em CT&I, e como implantar junto aos congressistas uma agenda em prol da CT&I brasileira como elemento essencial para a superação dos graves problemas do país.

No dia 9 de maio está programada uma reunião o dita todo com o ministro Marcos Pontes, no MCTIC. Na parte da manhã, o encontro será fechado, com um número limitado de representantes de entidades científicas, entre as quais, as que possuem assento no CCT. À tarde, a reunião será aberta a todos os outros representantes da comunidade científica também no auditório do MCTIC. Nos dois períodos, está programado debater os pontos prioritários.

Veja a programação

8 de maio

10h00 – Presença na Audiência Pública do Ministro da CTIC, Marcos Pontes, na Comissão de Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática – CCTCI da Câmara Federal, no Plenário 13, Anexo II.  [Observação: Há uma limitação de pessoas para participarem da Audiência e, em geral, a entrada passa a ser barrada quando tal número é alcançado. Sugere-se chegar antes do horário marcado para a Audiência].

15h30 – 16h30 –  Reunião dos representantes da comunidade científica e tecnológica no Auditório Freitas Nobre (Anexo IV) para apresentação conjunta da Iniciativa para a C&T no Parlamento (ICTP.br) e discussão do cronograma de atividades de 2019

17h00 – Ato de lançamento da Iniciativa para a Ciência e Tecnologia no Parlamento (ICTP.br) e em defesa da ciência brasileira, no Plenário 13, Anexo II, com a presença de parlamentares e representantes das sociedades científicas e acadêmicas e de instituições de pesquisa, universidades, institutos federais, entidades empresariais ligadas à CT&I, grupos de pesquisa, INCTs, etc.

9 de maio

9h00 – 12h00 – Reunião Fechada do ministro Marcos Pontes, no MCTIC, com representantes das entidades nacionais da comunidade científica e tecnológica (em número limitado e entidades previamente definidas)

13h30 – 16h00 – Reunião Aberta do ministro Marcos Pontes com todos os representantes da comunidade científica e tecnológica, também no MCTIC.

Outras cidades

As cidades de Belo Horizonte (MG), nesta terça (07), São Paulo (SP), Natal (RN), Niterói (RJ),  Porto Alegre (RS) e Recife (PE), no dia 08, também irão realizar manifestações em defesa da educação, da ciência, tecnologia e inovação somando forças ao movimento #cienciaocupabrasilia, articulado pela SBPC e diversas instituições científicas e acadêmicas.

Em Natal (RN), por exemplo, a mobilização está sendo articulada entre pesquisadores, professores e estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em parceria com a Secretaria Regional da SBPC. A atividade será das 16h às 20h na calçada do shopping Midway Mall. Além do protesto, o momento será marcado pela realização de aulas livres, mostras científicas e atividades artísticas.

Em Porto Alegre a Secretaria Regional da SBPC no Rio Grande do Sul realiza, no dia 08 de maio, um ato em defesa da ciência e tecnologia. Entre os temas destacados no evento estão a recomposição do orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o espeito à comunidade científica e a liberdade acadêmica. O encontro será no dia auditório do Instituto Latino-americano de Estudos Avançados (ILEA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), às 17h, em Porto Alegre.

Confira a programação em outras cidades:

7 de maio

Belo Horizonte (MG)

9/16h – Exposições e experimentos científicos

12h – Concentração: Praça Raul Soares. Diálogo sobre a importância da ciência com a população!

13h – Marcha até a Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG).

14h – Audiência de lançamento da Frente Parlamentar em defesa da Ciência, Tecnologia e Pesquisa. Deputados e deputadas estaduais assumirão o compromisso de defender a ciência e a tecnologia no estado de Minas Gerais junto às entidades, instituições e defensores da ciência e tecnologia!

Dia 8 de maio

Natal (RN) – 16h às 20h – na calçada do shopping Midway Mall (Av. Bernardo Vieira, 3.775).

Niterói/RJ – 16h – UFF Gragoatá – Ato “Eu Defendo a UFF” (Rua Alexandre Moura, 8 São Domingos, Niterói)

Porto Alegre – 17h – ILEA/UFRGS (Av. Bento Gonçalves, 9.500)

São Paulo (SP) – 11h – Ato e Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa das Instituições Públicas de Ensino, Pesquisa e Extensão, na Assembleia Legislativa do Estado de S. Paulo (Alesp)

16h – Marcha Pela Ciência – concentração: MASP (Avenida Paulista, 1.578)

Recife (PE) –  14h30 –  evento aberto ao público: “Ameaças à autonomia universitária”. Auditório do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

A SBPC reforça que é urgente que toda a comunidade científica, os amigos da ciência e toda a sociedade unam forças e se mobilizem contra esse cenário de desmonte. Sem educação, sem ciência e sem tecnologia, o País não tem futuro.

Fonte: Jornal da Ciência

Imagem capturada neste site

Centrais sindicais repudiam cortes na Educação e convocam manifestações

NOTA DAS CENTRAIS SINDICAIS CONTRA OS CORTES NAS VERBAS DA EDUCAÇÃO

Reunidas no dia 6 de maio de 2019, as Centrais Sindicais – CUT, Força Sindical, CTB, UGT, CSP-Conlutas, CGTB, CSB, NCST, Intersindical Instrumento de Luta e Intersindical Central, declaram-se absolutamente contrárias aos cortes de mais de 30% na educação superior, ensino técnico e ensino básico, anunciados pelo MEC.

Frente às medidas de cortes contra a educação, os estudantes, docentes, professoras e professores do ensino básico e técnico, juntamente com servidores e técnicos administrativos iniciaram inúmeras mobilizações pelo país como, por exemplo, no Colégio Pedro II –RJ, na UFPR (Universidade Federal do Paraná), UFBA (Universidade Federal da Bahia), entre outras instituições de ensino. As Centrais Sindicais declaram total apoio a essas manifestações.

As Centrais Sindicais aproveitam o ensejo para reafirmar seu compromisso e apoio ativo à Greve Nacional da Educação, convocada para o próximo dia 15 de maio (quarta-feira).

Vamos juntos à Greve Geral dia 14 de junho de 2019.

Em defesa de nossa aposentadoria. Basta de desemprego! 

Assinam:

Vagner Freitas, Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT)

Miguel Torres, Presidente da Força Sindical (FS)

Adilson Araújo, Presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

Antônio Neto, Presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)

José Calixto Ramos, Presidente da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST)

Atnágoras Lopes, Secretaria Executiva Nacional da CSP-CONLUTAS

Ubiraci Dantas, Presidente da CGTB

Ricardo Patah, Presidente da UGT

Mané Melato, Intersindical instrumento de Luta

Edson Carneiro- Intersindical Central

São Pedro dos Crentes: cidade evangélica no Maranhão pode receber a visita de Bolsonaro

Ed Wilson Araújo
Reportagem especial publicada neste domingo Jornal Pequeno

Com população de aproximadamente 5 mil habitantes, a pequena São Pedro dos Crentes, no sul do Maranhão, localizada a 758 Km da capital (São Luís), é cotada para entrar na rota do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em sua primeira visita ao Nordeste após a eleição.

Embora ainda não confirmada oficialmente, a informação já circula nos meios de comunicação e nas redes sociais. O roteiro deve incluir também o município de Balsas, vizinho a São Pedro, onde ocorre anualmente uma exposição de ruralistas – a AgroBalsas (em 2019 será de 20 a 24 de maio). Balsas é um polo do agronegócio, ambiente onde o presidente obteve amplo apoio eleitoral, transita com fluência e é palco predileto do discurso armamentista.

Bolsonaro fez menção a São Pedro dos Crentes durante uma cerimônia no Palácio do Planalto, quando falava sobre economia e as influências da temperatura e do clima como variáveis da produção no campo. Ele citou o santo católico fazendo referência ao regime de chuvas: “Estou para visitar São Pedro dos Crentes, no Maranhão. É um negócio meio esquisito, né, Igreja Católica […] mas tem tudo a ver. Um pequeno município que eu vi uma matéria outro dia na imprensa e vi lá que tinham dois grandes problemas. Primeiro, a avenida principal que não está asfaltada. Depois, não tem uma agência do Banco do Brasil e muito menos da Caixa Econômica Federal. Liguei para o nosso presidente do Banco do Brasil e perguntei a ele se existe no plano social a instalação de microagências nesses locais. Ele falou ‘existe’ e eu solicitei. Existe a possibilidade de botar uma agência lá, ele já botou. E conseguimos fazer isso lá”, frisou.

A agência ainda não está instalada, mas a menção à cidade já mexe no cotidiano dos moradores. Eles organizaram grupos em aplicativos de mensagem e falam até em abaixo-assinado com reivindicações ao presidente. Se por um lado gera euforia, a abertura de nova unidade do banco não é a regra. Pelo contrário. Segundo o Sindicato dos Bancários, em 2017 o Maranhão perdeu 13 agências do Banco do Brasil. “O fechamento fez parte de um desmonte nacional do banco que visa reduzir custos e funcionários. Nos últimos anos o BB vem deixando claro que vai investir na digitalização do atendimento ao cliente e fechamento de unidades. Em São Luís, as agências do Anjo da Guarda, Deodoro e Hospital Materno Infantil foram fechadas”, explicou Eloy Natan, presidente da entidade.

Eloy Natan, presidente do Sindicato dos Bancários, apresenta dados sobre agências fechadas

Segundo os dados informados pelo sindicato, as agências nos municípios de Açailândia e Imperatriz foram encerradas. Outras foram transformadas em postos de atendimento que não atendem todos os serviços bancários, como as agências dos municípios de Amarante, Itinga do Maranhão, Lima Campos, Matões, Olho d’Água das Cunhãs e Parnarama. “Estes postos de atendimento ou microagências, além de ter poucos funcionários, não possuem serviço de caixa para saques e pagamento de contas e boletos”, detalhou Natan.

Território ruralista influencia visita

O agronegócio no sul do Maranhão, inclusive em São Pedro dos Crentes, é outro critério para atrair Bolsonaro à região, marcada pela forte presença do latifúndio, receptivo ao discurso armamentista. No final de abril, ao participar da Agrishow, feira de ruralistas em Ribeirão Preto (SP), Bolsonaro afirmou que vai enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei que livra de punição o produtor que fizer disparos em ocupações de terras. O discurso armamentista do presidente tem ampla recepção entre os ruralistas.

O principal alvo da onda de criminalização da extrema direita é o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), já citado em diversos pronunciamentos de Bolsonaro como inimigo. Críticos do armamentismo interpretam que as iniciativas do governo federal em prol dos ruralistas caracterizam uma espécie de licença para atirar sem preocupação com eventuais punições. “O projeto nosso vai dar o que falar, mas é uma maneira que nós temos de ajudar a combater a violência no campo. É fazer com que, ao defender a sua propriedade privada ou a sua vida, o cidadão de bem entre no excludente de ilicitude, ou seja, ele responde, mas não tem punição. É a forma que nós temos que proceder para que o outro lado, que teima em desrespeitar a lei, tema vocês, tema o cidadão de bem, e não o contrário”, detalhou o presidente. Ele disse ainda que vai discutir junto à Câmara dos Deputados outro projeto que autoriza a posse de armas de fogo em todo o perímetro das propriedades rurais e não apenas restrito às residências.

Em nome de Deus

São Pedro dos Crentes entrou no mapa da mídia na eleição de 2018 por ter sido a única cidade do Maranhão onde o então candidato Jair Bolsonaro ganhou no primeiro turno (veja dados abaixo). Em fevereiro e março de 2019, o Blog do Ed Wilson publicou uma série de três reportagens sobre a cidade, abordando a religiosidade, eleições e os valores morais da Assembleia de Deus, com base na obra “A ética protestante e o espírito do capitalismo”, de Max Weber. No final de março, a Folha de São Paulo também publicou matéria especial sobre a economia, infraestrutura, costumes e política no município.

Prefeito Lhaésio, ao centro, foi cabo eleitoral dos candidatos de José Sarney

A cidade é uma mistura das fictícias Macondo e Sucupira, clássicos dos escritores Gabriel Garcia Márquez e Dias Gomes. Fundada e dominada pela Assembleia de Deus, nos anos 1940, São Pedro dos Crentes tem fiéis ardorosos e crentes “desviados”, também chamados “irmão raimundo – aquele que tem um pé na igreja e outro “no mundo”, ou seja, o fiel que em determinadas épocas se afasta dos rigores da vida assembleiana. Nas suas poucas ruas há um enorme templo central com estrutura para grandes eventos, várias igrejas e também bares, além da famosa “rua da Vaquejada”, onde tem a maior concentração de botecos e um clube de festas.

Todos os anos é realizado um grande congresso evangélico em São Pedro dos Crentes, durante três dias, reunindo crentes do Maranhão, de outros estados e pastores renomados no Brasil para fazer pregações na cidade famosa pelo nome e expressiva população de fiéis. Estima-se que aproximadamente 60% dos moradores são adeptos da Assembleia de Deus.

Apesar das contradições entre a religiosidade forte e a vida mundana, o conservadorismo se manifestou de forma concreta nas eleições presidenciais desde 2014, quando Dilma Roussef (PT) teve vitória acachapante no Maranhão, menos em São Pedro dos Crentes, onde venceu Aécio Neves (PSDB). A tendência conservadora evoluiu para a extrema direita em 2018, quando Jair Bolsonaro bateu Fernando Haddad por 50,93% contra 37,53% no primeiro turno. No segundo turno os candidatos alcançaram, respectivamente: 57,49% x 42,51%.

O prefeito dos Sarney

Em vídeos postados nas redes sociais, o prefeito Lhaésio Bonfim (PSDB) faz oposição ferrenha ao governador Flávio Dino (PCdoB) e derrama-se em elogios ao grupo liderado por José Sarney (PMDB). Em 2018, o voto conservador predominou no pleito majoritário. Com 3.889 eleitores, a cidade evangélica deu a vitória a Roseana Sarney (PSDB) contra Flávio Dino (PCdoB) na disputa pelo Governo do Estado, por 75,76% dos votos (2.163 eleitores) contra 14,75% (421 votos), respectivamente.

Irmãos teriam traído o pastor Cavalcante

Candidatos ao Senado, Sarney Filho e Edson Lobão também tiveram expressivo apoio do eleitorado de São Pedro dos Crentes, com votação de 39,30% (2.150 eleitores) e 34,86% (1.907 eleitores). Já no grupo de Flávio Dino para o Senado, a candidata evangélica oficial da Assembleia de Deus, Eliziane Gama (PPS), ficou em terceiro lugar, com apenas 13,12% (718 votos) na cidade. O quarto colocado foi Weverton Rocha (PDT) e obteve 8,44% dos votos válidos (462 eleitores).

O revés do voto evangélico no Senado chegou também à disputa da Assembleia Legislativa. Candidato preferido da Assembleia de Deus em São Pedro dos Crentes, o pastor Cavalcante (PROS) obteve apenas 73 votos dos irmãos e ficou em quinto lugar entre os mais votados na cidade. Quem ‘bombou’ nas urnas para deputado estadual foi Adriano Sarney (PV). Ele teve 61,59% dos votos válidos (1.825 eleitores). Reeleito, Adriano é neto de José Sarney e primogênito de Sarney Filho. Para deputado federal outro sarneísta liderou com folga a votação entre os evangélicos. Victor Mendes cravou 61,91% dos votos válidos, obtendo a preferência de 1.832 eleitores.

O comando para votar obedece uma dobradinha entre a máquina eleitoral do prefeito e uma espécie de “bibliocracia”, sob o comando dos pastores e das congregações vinculadas à Assembleia de Deus na hora de guiar o rebanho. “Aqui em São Pedro só tinha duas opções: Bolsonaro ou o comunismo”, resumiu o maestro e professor de música Jairo Maranhão, dono de um sistema de sonorização (rádio a cabo Nova Aliança), o único meio de comunicação local.

Senadora eleita, Eliziane Gama teve votação minguada entre os evangélicos

O pastor presidente da Comadesma (Convenção dos Ministros das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Maranhão) em São Pedro dos Crentes, Manoel Lima de Sousa, apresentou um argumento curto e grosso para justificar o voto dos evangélicos no presidenciável Jair Bolsonaro. “A palavra de Deus, a bíblia sagrada, o livro dos livros, tem resposta para todas coisas que nós imaginarmos. Ela já nos informa que todas as autoridades são constituídas por Deus, inclusive nosso presidente. E assim sendo, Deus direcionou ao povo votar no Bolsonaro.  E assim Deus fez dele o nosso presidente”, atestou. Em São Pedro dos Crentes existem 21 congregações da Assembleia de Deus, ministério Comadesma, sendo três na sede e das demais na zona rural.

Oposição ao prefeito reage

“Vocês conhecem os meus vídeos e sabem que têm um destino: o Palácio dos Leões”. A frase de efeito está registrada em um dos muitos recados do prefeito Lhaésio Bonfim para Flávio Dino. Dizendo-se vítima de perseguição, o gestor que também canta nas igrejas é o único chefe de executivo municipal no Maranhão a confrontar publicamente o governador em discursos fartamente compartilhados nas redes sociais.

O governador Flávio Dino e seu representante em São Pedro, Valdir Preto: atritos com o prefeito Lhaésio

Na base do governo, a réplica é disparada pelo assessor da Secretaria de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap) na região de Balsas (sul do Maranhão), Valdir Oliveira de Sousa, o Valdir Preto. Membro da Assembleia de Deus (Ministério Madureira), nascido em São Pedro dos Crentes e originário de uma comunidade remanescente de quilombo, Valdir Preto afirma que o prefeito vem apresentando sinais de enriquecimento ilícito, mantem relações clientelistas e alto nível de fisiologismo na gestão.

Antes de ser prefeito eleito em 2016, o médico Lahésio Bonfim chegou a apoiar Flávio Dino na corrida para o Palácio dos Leões, em 2014, mas mudou radicalmente quando percebeu a onda conservadora crescente no meio evangélico e associou-se à família Sarney e ao bolsonarismo. O prefeito controla a Câmara Municipal, composta por oito vereadores, todos evangélicos da Assembleia de Deus. Valdir Preto denuncia que a gestão é minada por favores e serviços contratados em troca de apoio dos edis, como empregos, cargos e aluguel de carros para a administração municipal.

Paulo Freire receberá condecoração máxima do Governo do Maranhão

O filósofo brasileiro receberá, em memória, a Medalha Timbira

O Governo Estado do Maranhão concederá em memória a Medalha Timbira ao educador Paulo Freire, principal educador brasileiro e um dos escritores mais citados no mundo entre a comunidade acadêmica, informou o governador Flávio Dino (PCdoB).

“Resolvi conceder ao Prof. Dr. Paulo Freire (in memoriam) a condecoração máxima do Estado do Maranhão. Reconhecimento à importância de sua monumental obra para a educação em todo o mundo. Claro que também no nosso Estado, pois agimos inspirados em suas lições, que são eternas”, afirmou Dino.

A declaração do governador do Maranhão acontece após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarar que pretende retirar o educador Paulo Freire o título de patrono da educação brasileira. O assunto “Paulo Freire” ficou entre os mais comentados do twitter na última terça-feira (30).

Na segunda-feira (29), em uma agenda em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, Bolsonaro concedeu “entrevista” à youtuber-mirim Esther Castilho, que mantém o canal “Esther e famosos”. Na conversa, o presidente sugere a possibilidade de a criança ser a patrona da educação e emenda: “quem sabe nós temos uma patrona da educação e não mais um patrono, muito chato, não precisamos dizer quem é, mas vai ser mudado”.

O educador e filósofo pernambucano foi nomeado patrono da educação brasileira em 2012, pela Lei 12.612, sancionada pela ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). A homenagem foi proposta pela deputada federal Luiza Erundina (PSOL) que, quando prefeita de São Paulo (1989 – 1993), o nomeou como Secretário de Educação.

brasileiro é um dos autores mais citado no mundo na área de ciências humanas, superando nomes como Karl Marx e Michel Foucault. Ele se tornou conhecido a partir do início dos anos 1960, quando desenvolveu um método de alfabetização de adultos baseado “nos contextos e saberes de cada comunidade, respeitando as experiências de vida próprias do indivíduo”. Freire aplicou o modelo pela primeira vez em um grupo de 300 trabalhadores de canaviais em Angicos, no sertão do Rio Grande do Norte. De acordo com os registros da época, a alfabetização ocorreu em tempo recorde: 48 horas.

Estudado em universidades de todo o mundo, principalmente em países que são tidos como referências no quesito educação, Freire foi homenageado com escultura na Suécia e recebeu nome de centro de estudos na Finlândia, que desde 2007 mantém um espaço dedicado a discutir a obra do educador brasileiro.

Fapema e Funac sob nova direção

O governador Flávio Dino empossou, na manhã desta sexta-feira (3), em cerimônia no Palácio dos Leões, a nova presidente da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), Sorimar Sabóia, e o novo diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), André Luís Santos.

Flávio Dino iniciou a cerimônia agradecendo à Elisângela Cardoso e Alex Oliveira, que deixam, respectivamente, os cargos de presidentes da Funac e Fapema. “São merecedores de integrar o nosso Governo ou qualquer outro do país. Fizeram trabalho notável à frente dos órgãos, mais ações com menos recursos, multiplicando oportunidades em um momento de trevas. Representam muito daquilo que sonhamos: uma sociedade justa para todos”, disse.

Em seu discurso, o governador fez uma defesa da manutenção dos investimentos em educação no Brasil. “Aconteça o que acontecer neste país, as Universidades e instituições de ensino e pesquisa vão continuar a ter todo o respeito no Maranhão. Vamos sempre defender o conhecimento e o saber. Isso não pode ser negado a novas gerações, e, sobretudo, àqueles que pela primeira vez na história começaram a sonhar com essa realidade”, assegurou.

“As obscenas desigualdades sociais são geradoras de um ciclo de violência institucional, material e simbólica contra as crianças desse país desde o útero materno, e que se transforma em tantos problemas do nosso cotidiano. Estamos aqui para salvar vidas”, defendeu o governador Flávio Dino.

Em complemento, o governador falou da confiança que possui nos novos presidentes. “Temos novas metas a serem alcançadas sobre metas já alcançadas. Esse é o desafio da gestão: colocar novos objetivos e encontrar os meios para alcançá-los. Ambos são cientes da importância de suas funções e tenho confiança de que irão se sair muito bem”, afirmou.

“Daremos continuidade às ações de formação dos servidores, de adequação das unidades de atendimento e de humanização, ressocialização e educação dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas”, garantiu Sorimar Sabóia, que assumiu a Funac.

Para André Luís Santos, “há trabalho muito grande para ser luz, dentro da perspectiva de corte de recursos em nível federal, por isso estamos trazendo novas ideias, para tentar diversificar as ações junto aos pesquisadores, seguir o caminho de fortalecimento da Fapema”.

Perfil dos empossados 

Sorimar Sabóia Amorim é assistente social, graduara pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e pós-graduada na Área de Enfrentamento à Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes pela Universidade de São Paulo (USP). Atuou como assistente social na Prefeitura Municipal de São Luís e como chefe da Assessoria de Planejamento e Ações Estratégicas da Funac, entre outros cargos na instituição. Foi presidente do Conselho Estadual de Assistência Social (2015 a 2016) e do sindicato dos assistentes sociais do Estado do Maranhão (2013 a 2018).

André Luís Santos é graduado em Licenciatura em Construção Civil pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão (CEFET), especialista em geoprocessamento aplicado ao planejamento urbano e rural pelo CEDECON. Mestrado em Engenharia de Eletricidade, ênfase em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e doutorado em Ciência e Engenharia de Petróleo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2014). É professor e pesquisador no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA).

Boi da Liberdade, sotaque zabumba, lança novo disco

Lançamento de “Resistência”, quinto trabalho do boi fundado pelo Mestre Leonardo em 1956, será na sede do batalhão, dia 4, no primeiro ensaio geral deste ano. Esta é a primeira vez que um boi de zabumba é gravado ao vivo.

Resistência (Zabumba Records e Na Music) foi gravado na sede do Boi de Leonardo, no bairro da Liberdade (São Luís, MA), em setembro de 2018, e mixado e masterizado em Belém, no estúdio do selo Na Music. Produzido e dirigido pelo percussionista Luiz Claudio, o disco faz um resgate das principais toadas do Boi da Liberdade, trazendo 15 composições: sete de Zió (João Vieira), cinco de Mestre Leonardo, uma de Zé Pretinho, uma  de Chico Coimbra e uma Carlinhos de Carutapera, além da participação da filha de Leonardo, Regina Avelar, que canta em duas faixas.

“Para mim é a realização de um velho sonho, ver algumas das principais toadas de meu pai e de outros cantadores num disco e estar nele, também, participando e cantando. Adorei o resultado do trabalho, acho que Leonardo ficaria feliz com esse registro”, afirma Regina de Leonardo, diretora do Boi da Liberdade, um dos mais representativos do sotaque de zabumba do Maranhão.

O disco é o primeiro do selo da Zabumba Records, criado por Luiz Claudio pra promover, resgatar e registrar a cultura popular maranhense, e sai em parceria com a Na Music, gravadora de Belém. O batalhão da Liberdade não lançava nenhum trabalho há quase 10 anos. O primeiro saiu em vinil, em 1988, produzido por Chico Maranhão. Depois, vieram três CDs, em 2002, 2007 e 2010. O Boi de Leonardo está comemorando 63 anos em 2019. 

Para o registro ao vivo na sede, a produção contratou o estúdio Deu na Telha Audiolab, especializado em gravações desse tipo, que fez toda a ambientação para que a qualidade fosse a melhor possível. O material bruto, captado em dois dias, foi levado para um estúdio onde foram regravadas mais vozes e coro. As toadas receberam uma roupagem nova sem riscos de descaracterização. Duas delas foram tiradas dos discos originais, uma com a voz do próprio Leonardo e a outra de autoria e na voz de Chico Coimbra, ambos falecidos. Na faixa Chegou foi colocada a voz de Regina, que faz um emocionante dueto com o pai.

A escolha do repertório foi feita pelos cabeceiras (compositores) antigos e atuais. As toadas estão organizadas respeitando a sequencia adotada nas apresentações ao vivo. O disco começa com uma ladainha e tem uma toada para cada momento da encenação do boi. Além da participação de Regina de Leonardo cantando, Resistência – Zabumba da Liberdade traz também a participação de um coro feminino em algumas faixas. “Isso não é comum, principalmente no boi de zabumba. Eram sempre os homens que tocavam, cantavam e faziam coro”, afirma Regina.


Regina, filha do Mestre Leonardo e atual diretora do Boi da Liberdade.
Foto: João Maria Bezerra

O Boi de Leonardo tem cerca de 160 brincantes, incluindo o tambor de crioula e é um Ponto de Cultura desde 2010. Os Pontos de Cultura foram criados no governo Lula, quando quando Gilberto Gil era o ministro da Cultura. “Recebemos três parcelas  nesses oito anos e na última conseguimos uma verba para o disco”, afirma Regina. 

Resistência já está em todas as mídias e plataformas digitais: Youtube, Instagram, Facebook, Spotfy, Deezer e ITunes. As fotos da capa e do encarte do disco são assinadas por Márcio Vasconcelos, Railleen Martins e João Maria Bezerra.

Regina

A filha de Leonardo assumiu a direção do Boi da Liberdade há pouco mais de 15 anos.  Hoje em dia o batalhão participa de vários eventos em São Luís e fora daqui. “O Boi da Liberdade se confunde com a comunidade, com a história do bairro. As pessoas se preocupam com ele. O Boi era a vida de Leonardo e hoje também é a minha vida. Esse é o sentimento que eu tenho. Eu não me vejo mais fora disso aqui”, afirma emocionada.

Nesse momento de celebração dos 63 anos do Boi da Liberdade, Regina faz questão de mencionar personagens que foram fundamentais para a construção da história do batalhão, entre eles Cecílio Martins, primo de Leonardo e brincante fundador; Ciríaco Ribeiro – Rupiado, cabeceira e amo do boi por muitos anos; Antero de Jesus, compadre de Leonardo e bordador de couro de boi; e Serafim, Justino e Dico cantadores e amos.

RESISTÊNCIA

CD Boi de Leonardo – Zabumba da Liberdade

Lançamento dia 4 de maio – no primeiro ensaio do Boi em 2019

Local: Sede do Boi da Liberdade

Rua Alberto de Oliveira, n° 150 – Liberdade; CEP 65 035-010

Realização: Ponto de Cultura Mestre Leonardo e Ribamar Produções

Patrocínio: Cultura Viva – Ministério da Cultura

Produção Executiva: Marla Silveira

Imagem destacada / Crédito: Marcio Vasconcelos /
Boi da Liberdade comemora 63 anos lançando Resistência, o primeiro disco em quase 10 anos.

Comissão realiza audiência sobre a metropolização da ilha de São Luís

A Comissão de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão (Alema) convida a sociedade civil, os meios de comunicação, sindicatos, secretarias municipais e estaduais para discutir o crescimento da Ilha de São Luís e seus quatro municípios, incluindo a capital maranhense.

A audiência será realizada no Auditório Fernando Falcão (Alema), nesta terça-feira, 30 de abril, a partir das 14h.

A Comissão de Assuntos Municipais e Desenvolvimento regional, que tem como titulares os deputados estaduais Dr. Yglésio, Hélio Soares, Carlinhos Florêncio, Pastor Cavalcante, Adelmo Soares, Ciro Neto e Rigo Teles, acredita que o crescimento urbano tem que ser realizado com planejamento para que com a chegada das chuvas as catástrofes não sejam recorrentes todos os anos.

O presidente da Comissão, deputado Dr. Yglesio, afirmou que a motivação para a realização da audiência foi justamente os problemas urbanos que estão ocorrendo na grande ilha, como o processo irregular de ocupação do solo e o excesso de degradação das áreas rurais. 

A Comissão de Assuntos Municipais convidou para a audiência pública as seguintes instituições: Imesc; IBGE; Concid; Incid; Agência Metropolitana; Agência de Mobilidade Urbana; Associação Comercial do Maranhão; Secretaria Estadual de Indústria; Comércio e Energia; Procuradoria Geral do Município; Procuradoria Geral do Estado; Câmara Municipal de São Luís; Prefeitura de São Luís, Prefeitura de Paço do Lumiar; Prefeitura da Raposa; Prefeitura de São José de Ribamar; Ordem dos Advogados do Brasil; Sinduscon; UEMA; Sindicato dos Trabalhadores Rurais; e mídia especializada.

Imagem capturada no GoogleMaps