Nova direita terá embate com os antigos coronéis

Pode não ser tão fácil quanto se imagina a vida do governo Jair Bolsonaro.

A nova direita, embora venha incensada por milhões de votos, terá de disputar poder e dinheiro dentro do Congresso Nacional com os velhos esquemas de corrupção liderados pelos antigos coronéis.

Renan Calheiros é um exemplo típico de quem não vai se deixar domar facilmente pelos novos líderes emanados das urnas.

Bolsonaro, embora eleito com ufanismo, terá de ceder à regra do jogo.

Calheiros é forte candidato à presidência do Senado e pode ganhar, seja por acordo com a própria base governista, ou impondo uma primeira derrota ao Palácio do Planalto.

É uma questão de sobrevivência e tradição. A casta privilegiada dos grandes partidos, sanguessuga da República, não vai abrir mão dos seus privilégios para entregá-los aos bichos recém-saídos do porão.

O governo que assume, embora incensado por uma base que lhe parece fiel, terá uma disputa de foice entre o antigo esquema de corrupção e a fome de poder e dinheiro do baixo clero.

Na Câmara dos Deputados já se colocam panos quentes para acomodar a reeleição de Rodrigo Maia. É a velha política com apoio da nova direita.

Acostumados ao pântano do Congresso Nacional, Rodrigo Maia e Renan Calheiros gostam de mandar e estão acostumados há muito tempo nessa posição.

Eles terão dificuldade em aceitar ordens de deputados-pastores mercenários que sempre estiveram em posição submissa no jogo de poder.

Os novos famintos e os antigos bolsos fartos terão embates. E desse conflito sairá a síntese entre o campo conservador e a extrema direita.

A governabilidade será fruto dessa tensão. E pode ser que Bolsonaro tenha baixas no primeiro momento, até que os cofres se abram para fazer os devidos ajustes e deixar tudo como antes.

A República só tem a perder com esse tipo de gente.

Imagem destacada retirada deste site

5 comentários em “Nova direita terá embate com os antigos coronéis”

  1. Acho que os líderes das oligarquias corruptas e as elites neopentecostais que, agora, estão no poder, vão se entender sem problemas. Dinheiro e concessões é o que ñ falta para fazer a partilha entre os ‘eleitos’. A miséria continuará miserável e,
    agora, carregando a culpa por se miserável e não terem méritos.

  2. bom dia Prof. Edwilson Araujo, eu estou usa deste meio de comunicação, para expressa, a minha opinião sobre a posse do novo presidente do nosso Brasil. discurso de posse é muito emocionante e lindo, mas a realidade do Brasil e outra, são palavras muito forte e emocionante, mais ser que ele vai governar para o povo brasileiro, que colocou ele no poder , esperando que ele possa fazer algumas coisas para a tira a população brasileira desta crise brasileira e uma vergonha nacional e internacional, aonde os outros países, não acredita mais no poder de negociação do pais. frente a essa situação nós brasileiros estamos torcedor para o novo presidente, juntamente com a sua equipe aceita nos negócios, e tragar de volta o desenvolvimento para o povo brasileiros em todas as áreas saúde, educação,segurança, trabalho, e transporte e lazer. e que a moeda brasileira seja respeitada e aonde mora no brasil , volte a ser um orgulho para todos os brasileiros.

    1. Muito obrigado pelo seu comentário, Edvaldo. Pertinentes as suas palavras. O Brasil precisa retomar o seu caminho do desenvolvimento e da justiça social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *