#elenão! Sindicato dos Bancários em defesa da democracia e dos direitos da classe trabalhadora

Nota do SEEB repudia Jair Bolsonaro, orienta o voto em Fernando Haddad, mas reafirma críticas ao PT. Veja abaixo o texto integral.

O Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA), por meio de sua Diretoria, posiciona-se contra o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), neste 2º turno das eleições. É preciso impedir que uma candidatura que ameaça a existência  dos sindicatos, contrária à igualdade de gênero e que coloca em risco as liberdades democráticas vença as eleições.

Para o SEEB-MA, defender o fim dos “ativismos” significa atacar as organizações dos trabalhadores que lutam por seus direitos e garantias básicas, como: férias, 13º salário e carteira assinada. A vitória de Jair Bolsonaro intensificará a implementação da Reforma Trabalhista, a terceirização (apoiadas pelo candidato do PSL) e a destruição da Previdência Social pública, planos propostos pelo seu economista e eventual superministro da Fazenda, Paulo Guedes.

O discurso machista do candidato vai de encontro a toda luta que o SEEB-MA já travou em defesa da igualdade entre homens e mulheres. Por isso, o Sindicato não irá tolerar retrocessos. Em suas falas, Bolsonaro diz que  tem mulher que nem merece ser estuprada. Disse, também, que elas devem ganhar menos que homens, porque engravidam. Tais declarações expressam claramente seus pensamentos sobre o tema. Logo, uma vitória do candidato do PSL fortalece ainda mais este sentimento machista em nossa sociedade.

A possibilidade de dar um auto golpe, como apresentado pelo seu vice, General Mourão, representa uma ameaça às liberdades conquistadas às duras penas pelos trabalhadores na luta contra a ditadura militar, período este, marcado por  ataques a direitos dos trabalhadores, assassinatos e torturas.

Por tudo isso, o SEEB-MA orienta o voto no candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, entendendo que o voto nulo, neste momento, beneficiará a vitória do autoritarismo, da intolerância e do ódio.

Contudo,  o Sindicato reafirma a falta de confiança no PT e na Central Única dos Trabalhadores (CUT), que traíram as lutas de classe como, recentemente, na Greve Geral para derrubar Temer e suas reformas.

Mesmo numa eventual vitória de Fernando Haddad (PT), o SEEB-MA continuará a combater seus ataques e traições, assim como fizemos nos 13 anos de governo de Lula e Dilma, organizando greves, manifestações e chapas de oposição à Contraf/CUT pelo país afora. 

Os bancários do Maranhão precisam continuar mobilizados para enfrentar qualquer um que ganhe as eleições em 28 de outubro, pois as duas candidaturas preparam junto com os banqueiros e os grandes empresários, a retirada de direitos.

Em defesa das liberdades democráticas! Ditadura nunca mais! Para combater o machismo, o racismo e a homofobia! Pela liberdade de organização dos trabalhadores! Greve Geral por uma Previdência Social Pública!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *