Reitora Nair Portela exonera Natalino Salgado e deflagra a sucessão na UFMA

Agora é oficial. O ex-reitor da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Natalino Salgado, está exonerado (veja imagem da portaria) de um cobiçado cargo de direção (CD-2) que ele utilizava para continuar controlando o Hospital Universitário.

É possível ver no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) que ele ministrou disciplina até 2016.1 (confira aqui). O cargo de onde foi exonerado justificava o afastamento das atividades de ensino depois do seu mandato como reitor. Agora, pelas normas da Ufma e segundo a legislação federal, terá de voltar a dar aulas.

A decisão de exonerá-lo foi tomada em uma reunião tensa, no final da tarde de sexta-feira, 14 de setembro, na presença da superintendente da Ebserh/Huufma (por solicitação do ex-reitor) e de um assessor da reitora. A perda do cargo pode ser interpretada pelo exonerado como uma declaração de guerra. E, com esse ato, a reitora Nair Portela deu início do processo eleitoral na Ufma.

A portaria de exoneração de Salgado foi publicada no mesmo dia em que a reitora mexeu outra peça no tabuleiro do poder: João de Deus Mendes da Silva deixa a Pró-Reitoria de Assistência Estudantil e assume a Pró-Reitoria de Planejamento, estratégica na administração superior e no processo eleitoral.

Túnel do tempo

Para entender a exoneração e as suas consequências é necessário retomar a eleição para a Reitoria, em 2015. À época, após dois mandatos consecutivos, Natalino Salgado passou o bastão para Nair Portela, mas sempre manteve a sede de poder latente, alimentando o desejo de voltar ao comando da Ufma sem perder o controle do Hospital Universitário e da Fundação Josué Montello.

Fora do poder central, o ex-reitor foi agraciado com o CD-2, uma espécie de cargo de luxo na administração superior.

Pelos cálculos de Natalino Salgado, a reitora Nair Portela teria apenas um mandato (2015-2018) e ele voltaria “aclamado” logo em 2019, em decorrência de supostos desgastes na atual gestão.

Ponderada, Nair Portela suportou as críticas até reunir as condições políticas para fazer a ruptura, deixando o ex-reitor sem cargo e muito irritado.

As consequências desta atitude constroem vários cenários:

1 – Nair Portela é candidata à reeleição;

2 – A criação da Pró-Reitoria de Planejamento aumenta as possibilidades de João de Deus Silva no jogo da sucessão;

3 – Os atos da reitora podem dificultar uma eventual candidatura do Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Alan Kardec;

4 – Natalino Salgado, tido como candidato competitivo, perde força;

5 – Mobiliza o campo da esquerda a se posicionar;

João de Deus e Kardec são dois pró-reitores que rompem com o ex-reitor. Ambos assinaram a Carta de Apoio a Natalino Salgado contra a greve de fome do estudante de Ciências Sociais, Josemiro Oliveira, em defesa da Residência Estudantil no Campus do Bacanga como havia planejado o ex-reitor Fernando Ramos.

A eleição será em meados de 2019, mas desde que Nair Portela assumiu a gestão e fez valer a sua forma de administrar, Natalino opera para retomar a Reitoria.

Foto destacada: Natalino Salgado e Nair Portela na cerimônia de transmissão do cargo de reitor, em novembro 2015. Crédito: O Imparcial

4 comentários em “Reitora Nair Portela exonera Natalino Salgado e deflagra a sucessão na UFMA”

  1. Importante decisão. A Profa. NAIR demonstra com essa atitude autonomia na Reitoria. Isso a aproxima dos setores mais a esquerda da UFMA e favorece a construcao de alianças que serao importantes para o futuro de nossa Univesidade.

  2. Como sempre, você escreveu de forma clara.
    Agora estou entendendo por que aumentou os POSTs negativos em relação a UFMA.
    Esse ex-Reitor é perigoso, muito baixo.
    Se voltar a ser reitor, vai administrar com ODIR.
    Decepcionante…

  3. Lamentável, um ex. Reitor achar que em pleno ano de 2019 a UFMA com a metade do orçamento vigente, e com o dobro dos alunos de sua época vai fazer alguma coisa. Só sonhando! Acordem, ele vai é afundar a UFMA!!

  4. Conheço-o, desde que cheguei aqui e sempre foi um Diretor, Reitor e médico pessoal ,trabalhador e muito competente e melhor muito o Hosp.Presidente Dutra, nos inúmeros serviços que implantou .Ele não mandava no Hosp. já que existia tanto Direção, como corpo clínico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *